Ir para conteúdo

[Pandemia]
Número de mortes de moradores de Paulínia por Covid-19 sobe para 334

Estado de São Paulo começa na próxima segunda-feira (21) aplicar a 4ª dose de vacina contra a Covid-19 para idosos acima de 80 anos

16 mar 2022 – 19h45
Quarta dose será aplicada para os idosos que tomaram a 3ª há, no mínimo, quatro meses (Foto: Agência Brasil)

A

Prefeitura de Paulínia informou nesta quarta-feira (16) mais duas mortes de moradores da cidade em decorrência da Covid-19. Desde o início da pandemia, 334 habitantes do município morreram em razão da doença. Outros 22.481 já foram contaminados pelo coronavírus.

De acordo com a Prefeitura, a:

  • 333ª morte

Trata-se de uma mulher de 94 anos, com comorbidades. Morreu no dia último dia 9 de março.

  • 334ª morte

Refere-se a outra mulher de 86 anos, com comorbidades. Morreu, conforme a Prefeitura, no dia 12 passado.

Desde o ano passado, a Prefeitura não revela mais detalhes dos pacientes mortos com Covid-19, como quais comorbidades tinham e se morreram no Hospital Municipal de Paulínia “Vereador Antônio Orlando Navarro”.

Até segunda-feira (14), sete pacientes estavam internados no hospital municipal de Paulínia em decorrência da Covid-19: três ocupavam leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e quatro, leito clínicos.

A partir da próxima segunda-feira (21), idosos acima dos 80 anos de idade que vivem no estado de São Paulo poderão tomar a 4ª dose de vacina contra a Covid-19. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (16) pelo governador João Doria (PSDB).

O público estimado nesta faixa etária é de 900 mil pessoas. “Essa é a população mais vulnerável”, disse Regiane de Paula, coordenadora-geral do Programa Estadual de Imunização, justificando por que o governo paulista decidiu iniciar a vacinação da quarta dose por essa faixa etária.

Segundo o governador, a quarta dose será aplicada para os idosos que já tomaram a terceira dose há, no mínimo, quatro meses. Quaisquer imunizantes que estiverem disponíveis nos postos de vacinação poderão ser aplicados.

As vacinas que estão sendo aplicadas no Brasil são seguras e foram aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Foi a vacinação que repercutiu provocando melhora na ocupação de leitos (por Covid-19). A tendência de queda em mortes é também impacto da vacinação”, disse Jean Gorinchteyn, secretário estadual de Saúde.

Um estudo divulgado essa semana pela Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo apontou que os óbitos por Covid-19 foram 26 vezes maiores entre as pessoas que não se vacinaram.

O estudo analisou 7.942 mortes entre os dias 5 de dezembro de 2021 e 26 de fevereiro de 2022. Nesse período, o número de mortes entre os não vacinados correspondeu a 332 por 100 mil habitantes. Entre os vacinados, correspondeu a 13 mortes a cada 100 mil habitantes.

Segundo o governo paulista, cerca de 717 mil pessoas que vivem no estado não tomaram quaisquer doses de imunizante contra a Covid-19.

Deltacron

Gorinchteyn disse que o estado de São Paulo ainda não detectou casos da nova variante Deltacron, que combina características das variantes Delta e Ômicron.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.