Ir para conteúdo

[Pandemia]
Paulínia volta a confirmar duas mortes de moradores por Covid-19

Coronavac dá proteção acima de 90% a quem tem comorbidades, diz estudo;  pesquisa avalia 5 mil voluntários imunizados na capital amazonense

16 sete 2021 – 21h42
Efetividade da Coronavac foi superior a 97% contra infecções, hospitalizações, internações em UTI e mortes (Foto: Agência Brasil)

APrefeitura de Paulínia confirmou nesta quinta-feira (16) duas mortes de moradores de Paulínia em decorrência da Covid-19. Pelas estatísticas da Administração municipal, o total de óbitos subiu para 297 desde o início da pandemia. Mas, para o Ministério da Saúde, responsável pelos números oficiais da doença no Brasil, e que também divulgou nesta tarde nova morte na cidade, já são 301.

O Comitê de Prevenção e Enfrentamento do Coronavírus da Administração municipal informou que a:

  • 296ª morte

Trata-se de uma mulher de 73 anos, sem comorbidades. De acordo com a Prefeitura de Paulínia, morreu no último dia 22 de março, no entanto somente nesta quinta-feira, quase seis meses depois, teve sua morte em decorrência da Covid-19 confirmada pela Administração municipal.

  • 297ª morte

Trata-se de um homem de 79 anos, com comorbidades, e é bem mais recente, de acordo com a informação da Prefeitura. Morreu na quarta-feira passada, dia 15. Nos dois óbitos, a Administração não informou se as mortes ocorreram no Hospital Municipal de Paulínia “Vereador Antônio Orlando Navarro”.

Até as 9h30 desta quinta-feira, o hospital municipal tinha 21 pacientes internados em consequência da Covid-19 – cinco a mais em relação às últimas 24 horas. Desse total de doentes, 15 ocupavam vagas de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e seis estavam em leitos clínicos.

Desde o último dia 7, a Administração municipal não atualiza todos os dados de seu boletim epidemiológico diário, principalmente, aqueles referentes a casos confirmados, suspeitos, descartados e recuperados. “Devido a problemas técnicos na exportação da base de dados ‘E-SUS Notifica’ do Ministério da Saúde”, alega.

O boletim desta quinta-feira do Ministério da Saúde trouxe nesta quinta-feira, além de mais uma morte pela Covid-19, outros 34 casos confirmados da doença em Paulínia. No total, conforme o governo federal, 15.641 habitantes da cidade tiveram coronavírus desde o início da pandemia. Para a Prefeitura, foram 15.947 – 15.102 se recuperaram.

Nesta quinta-feira, foram divulgadas informações preliminares do estudo CovacManaus, realizado na capital amazonense, que mostram que a Coronavac, vacina da farmacêutica chinesa Sinovac contra a Covid-19 garante proteção contra a doença superior a 90% em pessoas com comorbidades. As informações são do Instituto Butantan, que produz o imunizante no Brasil.

A pesquisa está sendo feita com 5 mil profissionais da educação e da segurança pública da rede estadual de Manaus, com idades entre 18 e 49 anos. Do total desse público vacinado com o imunizante, somente 2,6% tiveram infecções causadas pelo SARS-CoV-2. O índice de hospitalizações pela doença foi de 0,1%, e o de admissões em UTIs foi de 0,04%. Um óbito foi confirmado, configurando uma porcentagem de 0,02% da amostra.

“A efetividade da Coronavac foi superior a 97% contra infecções, hospitalizações, internações em UTI (unidades de terapia intensiva) e mortes. Outro indicador relevante é que, entre os vacinados, 91% apresentaram anticorpos detectáveis após tomarem a primeira dose, e 99,8% após a segunda dose”, destacou o Butantan em nota. Entre as principais comorbidades apresentadas pelos voluntários que participam do estudo estão obesidade (72%), diabetes (54%), hipertensão arterial (36%) e imunossupressão (27%).

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Advertisement

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.