Ir para conteúdo

[Pandemia]
Prefeitura confirma mais duas mortes pelo coronavírus em Paulínia

Brasil deve receber 69,4 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 em setembro; nos próximos dois meses serão 132,7 milhões entregues

29 jul 2021 – 21h54
Presidente sancionou a lei que inclui gestantes e lactantes em grupo prioritário para vacinação (Foto: Agência Brasil)

APrefeitura de Paulínia confirmou nesta quinta-feira (29) mais duas mortes de moradores da cidade em decorrência do coronavírus. Desde o início da pandemia, o município totaliza 273 óbitos, de acordo com o Ministério da Saúde, responsável pelos números oficiais da doença no Brasil.

O Comitê de Prevenção e Enfrentamento do Coronavírus da Prefeitura não esclareceu se essas duas vítimas fatais já tinham tomado vacina contra a Covid-19. Informou que a:

  • 268ª morte

Trata-se de um homem de 56 anos, com comorbidades. Morreu em hospital da rede privada de Campinas no último dia 23 de julho.

  • 269ª morte

Refere-se a uma mulher de 83 anos, com comorbidades. Morreu no Hospital Municipal de Paulínia “Vereador Antônio Orlando Navarro” no dia 17 de julho passado.

Até as 9h30 desta quinta-feira, 42 pessoas estavam internadas no hospital municipal de Paulínia em razão da Covid-19 – duas a mais em relação às últimas 24 horas: 19 ocupavam vagas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 23 leitos clínicos.

O Ministério da Saúde deve receber, em setembro, 69,4 milhões de doses de vacina Covid-19. Com essa projeção, a expectativa é que mais de 132,7 milhões de doses sejam entregues pelos laboratórios contratados nos próximos dois meses. No mês de agosto, a previsão do ministério é de 63,3 milhões de vacinas.

Para o Ministério da Saúde, a previsão coloca o Brasil no caminho para cumprir a meta de que toda população brasileira acima de 18 anos esteja vacinada com a primeira dose da vacina contra Covid-19 em setembro.

De acordo com o ministério, até o momento, 98,3 milhões de brasileiros receberam a primeira dose da vacina. O número representa 61,4% da população vacinável, estimada em 160 milhões de pessoas. Foram distribuídas 176,2 milhões e, dessas, mais de 137 milhões foram aplicadas, sendo 98 milhões de primeira dose e 39 milhões da segunda dose ou dose única.

Nesta quinta-feira (29), o presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que inclui gestantes e lactantes como grupo prioritário para a vacinação contra a Covid-19. Todas as lactantes são consideradas prioridade, independente de idade da criança ou da existência de comorbidades. Também estão entre as prioridades puérperas, crianças e adolescentes com deficiência permanente ou com comorbidade, e pessoas privadas de liberdade.

A lei teve origem no Senado, em um projeto do senador o senador Jean Paul Prates (PT-RN). Durante os debates no Legislativo, Prates elencou como motivos para a apresentação do projeto a diminuição da chance de uma lactante que volta ao trabalho presencial adoecer e contaminar o filho e a redução do índice de mortalidade materna, entre outros.

Bolsonaro também aprovou a convocação da 5ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa. O evento será realizado ainda este ano, de forma virtual, em sistema disponibilizado no sítio eletrônico do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

A ideia é possibilitar a participação da sociedade civil, na figura das entidades que atuam na defesa, promoção e garantia dos direitos dos idosos, no debate sobre os desafios e políticas públicas necessárias a essa parcela da sociedade. A Conferência será realizada em duas etapas: regional e nacional.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Advertisement

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.