Ir para conteúdo

[Pandemia]
Anvisa amplia prazo de validade da vacina da Janssen contra Covid-19

Período foi esticado de três para quatro meses e meio; farmacêutica adiou a entrega de um novo lote de 3 milhões de doses do imunizante ao Brasil

14 jun 2021 – 21h42
Decisão respondeu a um pedido da farmacêutica, subsidiária do grupo Johnson & Johnson (Foto: Agência Brasil)

Adiretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a ampliação do prazo de validade da vacina da Janssen contra a Covid-19 de três para quatro meses e meio, sob temperatura de 2ºC a 8ºC.

A aprovação ocorre após a publicação da informação de que doses previstas para este mês têm prazo de validade até dia o 27. Um lote de 3 milhões de doses estava previsto para chegar nesta terça-feira (15), mas foi adiado.

A decisão respondeu a um pedido da farmacêutica, subsidiária do grupo Johnson & Johnson, protocolado no dia 10 de junho. A Janssen possui autorização para uso em caráter emergencial no Brasil.

Em nota, a Anvisa afirma que a medida foi baseada em “criteriosa avaliação dos dados de qualidade dos estudos que demonstrou que a vacina tende a se manter estável pelo período (4,5 meses) bem como considerou decisão da agência norte-americana (Food and Drug Administration – US FDA), que também aprovou a referida alteração em 10 de junho de 2021”.

O Ministério da Saúde confirmou nesta segunda-feira que a farmacêutica Janssen adiou a entrega de um novo lote de 3 milhões de doses de imunizantes para o combate à Covid-19 que chegaria ao Brasil nesta terça. O Ministério disse que a entrega das 3 milhões de doses deve ocorrer nesta semana. A pasta afirmou que a empresa não explicou os motivos ou quando o lote será enviado.

O lote consistia em um adiantamento anunciado pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, no fim de semana. Elas possuem validade até o dia 27 de junho.

Com o adiamento da entrega que ocorreria nesta terça-feira, o desafio de garantia da logística e aplicação do imunizante fica mais complexo. No cronograma original, com a chegada na terça, a previsão era que demorasse dois dias para começar a distribuir as doses aos estados.

Nas últimas 48 horas, a Prefeitura registrou a 220ª morte de morador de Paulínia pela Covid-19. Trata-se de um homem de 50 anos, sem comorbidades. Iniciou os sintomas respiratórios no dia 10 de maio.

O homem deu entrada no Hospital Municipal de Paulínia “Vereador Antônio Orlando Navarro” no dia 26 de maio. Foi realizado diagnóstico laboratorial para a Covid-19 pelo exame de PCR, com resultado positivo. Faleceu no dia 9 passado.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Advertisement

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.