Ir para conteúdo

[Paulínia]
Ministério da Saúde e Prefeitura confirmam mortes pela Covid-19

Cidade de São Paulo inicia nesta quinta vacinação contra o coronavírus com primeiro lote da Pfizer; serão imunizadas pessoas de 60 a 62 anos

5 mai  2021 – 20h19
Vacina da Pfizer será entregue só em capitais por ter de ficar guardada em baixa temperatura (Foto: Agência Brasil)

OMinistério da Saúde registrou mais duas mortes de moradores de Paulínia pela Covid-19, totalizando 198 óbitos desde o início da pandemia. Já a Prefeitura de Paulínia confirmou uma em seu boletim epidemiológico desta quarta-feira (5). Para a Administração municipal, 193 habitantes da cidade morreram até aqui em decorrência do novo coronavírus. O governo federal é responsável pelos números oficiais da doença no Brasil.

O Comitê de Prevenção e Enfrentamento do Coronavírus da Prefeitura informou que a 193ª morte pela pandemia em Paulínia se refere a um homem de 50 anos, com antecedentes de diabetes e doença cardiovascular. Iniciou os sintomas respiratórios no dia 17 de abril, sendo internado no Hospital Municipal “Vereador Antônio Orlando Navarro” no último dia 24. Foi realizado diagnóstico laboratorial para a Covid-19 pelo exame de PCR, com resultado positivo. Morreu terça-feira (4).

Nesta quinta-feira (6), a Capital paulista vai dar continuidade à campanha de vacinação contra o novo coronavírus utilizando as primeiras 135,7 mil doses da vacina da farmacêutica norte-americana Pfizer. Nessa etapa, serão imunizadas pessoas de 60 a 62 anos de idade. O primeiro lote do imunizante chegou terça-feira (4) à cidade.

A vacina da Pfizer será entregue apenas nas capitais dos estados por causa da necessidade de armazenamento das doses em temperaturas muito baixas. Segundo o prefeito em exercício de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), o imunizante será distribuído de maneira uniforme por toda a cidade em 468 unidades básicas de saúde.

A Secretaria Municipal de Saúde precisou alterar a configuração de uma das câmaras frias para receber o imunizante que necessita ser armazenado em temperaturas mais baixas. As doses ficam a uma temperatura de 25 graus Celsius negativos e são descongeladas para temperaturas positivas entre 2ºC e 8ºC para serem utilizadas em um prazo de até cinco dias.

Com as alterações no equipamento, a Capital paulista tem condições de armazenar até 4 milhões de doses da vacina da Pfizer por 14 dias. A cidade deve receber um outro lote do imunizante no próximo dia 17 de maio.

O Ministério da Saúde começou na segunda-feira (3) a distribuição da primeira remessa com 1 milhão de doses da vacina da Pfizer às 27 unidades da federação. A logística de distribuição levou em conta a capacidade das localidades em armazenar as doses do imunizante que precisam ficar em temperaturas mais baixas do que as demais vacinas.

Segundo último balanço da prefeitura, já foram aplicadas na Capital paulista 3,38 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19, sendo que 1,27 milhão de pessoas receberam as duas doses do imunizante.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Advertisement

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.