Ir para conteúdo

[Impasse]
Paralisação de motoristas e cobradores da Terra continua nesta quinta-feira

Reunião entre Prefeitura de Paulínia e trabalhadores terminou sem acordo no final da noite desta quarta; cerca de 25 mil passageiros são prejudicados

29 abr 2021 – 0h50
Ônibus da Terra Auto Viação estacionados no Rodoshopping de Paulínia (Foto: Divulgação)

Paulínia entrou nesta quinta-feira (29) no segundo dia sem ônibus do transporte público municipal nas ruas. A reunião entre uma comissão de motoristas e cobradores da Terra Auto Viação com o secretário municipal de Transportes, João Victor Teixeira, terminou sem acordo, por volta das 23h30 desta quarta-feira (28), e a paralisação da categoria está mantida por tempo indeterminado. Até as 16h30, os coletivos não estavam rodando.

Os ônibus do transporte público urbano e rural de Paulínia pararam de rodar às 9h30 desta quarta-feira, deixando a pé cerca de 25 mil passageiros, principalmente, no final da tarde, no horário de pico da volta para casa. Nesta quinta-feira, no início da manhã, alguns ônibus fizeram suas linhas, mas, por volta das 9h30, voltaram a ser todos recolhidos no Rodoshopping.

Motoristas e cobradores não concordam com o fim da função de cobrador nos coletivos, previsto para ocorrer na nova concessão do transporte público de passageiros na cidade, que está na fase de análise de documentos para habilitação de um consórcio e duas empresas interessadas na concorrência pública. Eles reclamam que 120 trabalhadores serão demitidos. A categoria também quer estabilidade de seis meses no emprego.

“Uma comissão formada por trabalhadores da Terra Auto Viação foi recebida pelo secretário de Transportes, João Victor Teixeira, durante um período de quatro horas”, informou a Prefeitura, já no início da madrugada desta quinta-feira. “Porém, após intervenção de Nilton Aparecido, representante da Federação dos Trabalhadores Rodoviário, não foi possível um desfecho positivo para a população, mesmo com os funcionários concordando com o retorno”.

A Administração municipal reforçou que o movimento é irregular. “Pede o fim imediato da paralisação e declara que tomará as medidas cabíveis para que a operação retorne o mais breve possível, buscando evitar mais prejuízos aos munícipes usuários do transporte público.”

A Prefeitura não esclareceu quais medidas pretende tomar nesta quinta-feira nem se entrará na Justiça para colocar fim ao movimento ou garantir um número mínimo de ônibus nas ruas. Representantes da Federação dos Trabalhadores Rodoviário não foram encontrados para manifestar a respeito da paralisação da categoria.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Advertisement

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.