Ir para conteúdo

[Paulínia]
Prefeitura registra mais duas mortes de moradores pela Covid-19  

Pandemia do coronavírus ‘está longe de terminar’, diz chefe da OMS; cerca de 780 milhões de vacinas foram administradas globalmente

12 abr 2021 – 17h52
Diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus (Foto: Agência Brasil)

APrefeitura registrou nesta segunda-feira (12) mais duas mortes de moradores de Paulínia pela Covid-19. Para o governo municipal, são, agora, 161 óbitos na cidade desde o início da pandemia, 10.303 contaminados e 9.691 recuperados da doença. O Ministério da Saúde, responsável pelos números oficiais da doença no Brasil, já contabiliza 168 mortes e 10.866 infectados no município.

O Comitê de Prevenção e Enfrentamento do Coronavírus de Paulínia revelou que a:

  • 160ª morte

Trata-se de um homem de 63 anos, com antecedentes de doença cardiovascular e Alzheimer. Iniciou os sintomas respiratórios no dia 6 de abril e deu entrada no Hospital Municipal de Paulínia “Vereador Antônio Orlando Navarro” no dia 7. Foi realizado diagnóstico laboratorial para a Covid-19 pelo exame de PCR, com resultado positivo. Morreu domingo (11).

  • 161ª morte

Refere-se a a outro homem de 70 anos, com antecedente de hipertensão arterial. Conforme a Prefeitura, iniciou os sintomas respiratórios no dia 4 de março e acabou internado no hospital municipal de Paulínia no último dia 13. Foi realizado diagnóstico laboratorial para a Covid-19 pelo exame de PCR, com resultado positivo. Morreu nesta segunda-feira.

Até as 9h30 desta segunda-feira, o hospital municipal de Paulínia tinha 67 internados em decorrência da Covid-19 para 64 leitos reservados a esses doentes. Sessenta e quatro lotavam 100% dos 30 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 34 dos leitos clínicos coronavírus. Três eram acomodados em leitos clínicos gerais, destinados também a outras doenças.

Nesta segunda-feira, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que confusão e negligência no combate à Covid-19 fazem com que a pandemia esteja longe de terminar, mas a situação pode ser controlada em meses com a adoção de medidas de saúde pública comprovadas. Até agora, cerca de 780 milhões de vacinas foram administradas globalmente, mas medidas como o uso de máscaras e a manutenção do distanciamento físico precisam ser aplicadas para reverter a trajetória da pandemia, de acordo com ele.

“Nós também queremos ver sociedades e economias reabrindo, e viagens e comércio recomeçando”, disse Tedros em uma coletiva de imprensa. “Mas, neste momento, unidades de tratamento intensivo de muitos países estão sobrecarregadas e pessoas estão morrendo – e isto é totalmente evitável”, acrescentou.

“A pandemia de Covid-19 está muito longe de terminar. Mas temos muitos motivos para otimismo. O declínio de casos e mortes durante os dois primeiros meses do ano mostra que este vírus e suas variantes podem ser detidos”, acrescentou. Segundo ele, a transmissão está sendo impulsionada pela “confusão, negligência e inconstância nas medidas de saúde pública”.

A Índia superou o Brasil e se tornou a nação com o segundo número mais alto de infecções pelo novo coronavírus do mundo, só ficando atrás dos Estados Unidos, agora que enfrenta uma segunda onda gigantesca, tendo dado cerca de 105 milhões de doses de vacina para uma população de 1,4 bilhão de habitantes.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Advertisement

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.