Ir para conteúdo

[Pandemia]
Mulher de 53 anos morre pela Covid-19 no hospital municipal

Além de festa em Betel, ações conjuntas da Guarda Municipal e Polícia Militar resultaram no encerramento de outros três eventos em Paulínia

 1º mar 2021 – 17h50
Imagem de pessoas em uma das festas interrompidas por ações policiais em Paulínia (Foto: Divulgação)

APrefeitura de Paulínia divulgou nesta segunda-feira, dia 1º de março, mais uma morte em decorrência da Covid-19. De acordo com os números do governo municipal, trata-se do 112º óbito no município desde o início da pandemia. Mas, para o Ministério da Saúde, 116 moradores da cidade já perderam a vida devido ao novo coronavírus.

O Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus de Paulínia informou que a 112ª morte pelo novo coronavírus na cidade se refere a uma mulher de 53 anos, sem doenças anteriores. Iniciou os sintomas respiratórios no dia 16 de fevereiro. Deu entrada no no Hospital Municipal “Vereador Antônio Orlando Navarro” no dia 24. Foi realizado diagnóstico laboratorial para a Covid-19 pelo exame de PCR, com resultado positivo. Morreu sábado, dia 27.

Até as 9h30 desde segunda-feira, os 14 leitos de Unidade de Terapia Intensiva do hospital municipal de Paulínia seguiam 100% ocupados pelo nono dia seguido e pela 13ª vez somente neste ano. Ao todo, 36 pacientes estavam internados na rede municipal de saúde em razão do novo coronavírus: 22 em leitos clínicos (19 positivos e três suspeitos).

Apesar de a pressão que a doença exerce nos últimos dias no sistema de saúde municipal, eventos irregulares e que causam aglomerações são feitas em Paulínia. No sábado (27), além daquela dispersada em uma chácara no bairro Betel, a Guarda Municipal e a Polícia Militar encerraram outros três eventos. “Todos realizados sem autorização da Administração municipal e descumprindo o toque de restrição de circulação de pessoas do governo de São Paulo”, destacou a Prefeitura.

A primeira ação foi o encerramento de um show que ocorria em uma loja de conveniência, em um posto de combustíveis próximo ao Paulínia Shopping. Em sequência a festa marcada pelas redes sociais foi dispersada antes mesmo de seu início em uma chácara em Betel, onde já estavam 500 pessoas no local.

O terceiro evento que teve de ser interrompido pela Guarda Municipal e a PM foi uma festa corporativa na Rua Sebastião Cardoso, no Parque Brasil 500. O último se tratava de uma festa no bairro Santa Terezinha. “Já havia sido iniciado e, no momento da abordagem, havia cerca de 400 pessoas, segundo as forças de segurança”, informou a Prefeitura.

Nesta segunda-feira, o governador João Doria (PSDB) anunciou o aumento da entrega das doses da vacina Coronavac. Serão 21 milhões de doses destinadas ao Ministério da Saúde ainda em março, número 17% maior do que o previsto para este mês. O Instituto Butantan dobrou a capacidade de produção da sua fábrica, que agora funciona sete dias por semana, 24 horas por dia.

“Na próxima quinta-feira (4), vamos receber mais 8 mil litros de insumos da vacina vindos da China, do laboratório Sinovac”, afirmou Doria. “Isso representa a produção de mais 14 milhões de doses da vacina. Sobre o programa de vacinação, na quarta-feira (3), vamos entregar mais 900 mil doses da vacina pronta e envasada para o Ministério da Saúde para prosseguir a vacinação dos brasileiros.”

Até o final de abril o governo de SP entregará 46 milhões de doses da vacina do Butantan ao Ministério da Saúde. Até 30 de agosto, outros 54 milhões de doses da vacina serão enviadas ao governo federal. As 100 milhões de doses eram esperadas até 30 de setembro, mas com a intensificação da produção, foi possível antecipar em 30 dias.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Advertisement

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.