Ir para conteúdo

[Artigo]
Você sabe a diferença entre remuneração e salário?

Entenda o que significa cada um deles e não se engane mais

Erica Meniti Pires* | 24 fev 2021 – 10h21
A advogada Erica Meniti Pires: ‘Remuneração está associada a todos os componentes que um colaborador recebe’ (Foto: Divulgação)

Embora esses dois termos costumam ser usados pelos brasileiros para se referir à mesma coisa, há diferenças significativas entre eles.

Vamos entender a diferença:

  • Remuneração

A remuneração é o conjunto de tudo o que é dado pelo empregador ao empregado em troca da execução do seu trabalho, incluindo o seu salário, ou seja, salário é sempre remuneração, mas remuneração nem sempre é salário.

A remuneração está associada a todos os componentes que um colaborador recebe, por isso, ela também engloba as vantagens, como os benefícios corporativos, por exemplo: remuneração funcional; remuneração por habilidades; remuneração variável; participação acionária; comissões e premiações; salário indireto; remuneração por competências, entre outros.

Tudo o que é oferecido ao trabalhador além do seu salário é, portanto, uma remuneração.

Contudo, a Reforma Trabalhista estabeleceu o que pode compor a base para o cálculo do 13º salário, férias e rescisões, que são: horas extras; adicionais noturnos; adicionais de periculosidade ou insalubridade; gratificações; gorjetas; DSR, etc.

Obs.: Outras remunerações como abonos, prêmios, ajuda de custo, abonos habituais, salário in natura e diárias para viagem, apesar de serem comuns, não integram a remuneração do empregado, não se incorporam ao contrato de trabalho e não constituem base de incidência de qualquer encargo trabalhista e previdenciário.

  • Salário

A definição de salário é bastante similar à da remuneração e consiste na recompensa paga ao empregado pela sua prestação de serviços em um período determinado, sendo dividido em diferentes tipos: salário base; salário mínimo; piso salarial; salário profissional; salário líquido e salário bruto.

Entenda o conceito de cada um:

  • Salário mínimo: o salário mínimo é aquele fixado por lei;
  • Salário base: o salário base é o que foi estabelecido no contrato de trabalho firmado entre a empresa e o colaborador, sem contar adicionais e variáveis.
  • Salário profissional: o salário profissional é regulamentado pelos sindicatos de classe e é o mínimo que pode ser pago aos integrantes de uma categoria profissional;
  • Piso salarial: o piso salarial possui a mesma definição de salário profissional. Ele é proporcional à extensão e complexidade do trabalho de cada cargo. Para algumas categorias, é fixado por lei ou convenção coletiva;
  • Salário bruto: o salário bruto é o mesmo que o salário base, computado o valor recebido pelo empregado antes dos descontos de impostos (INSS, IRRF, etc.).
  • Salário líquido: o salário líquido é o valor final recebido pelo empregado após o desconto das diversas taxas trabalhistas devidas. É o que “sobra” do salário bruto após a dedução de todos os impostos obrigatórios e outros descontos na folha de pagamento. (*Erica Menite Pires é advogada em Direito do Trabalho – Instagram: adv_ericapires)
Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Advertisement

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.