Ir para conteúdo

[Campanha]
Estado de SP inicia dia 8 vacinação de idosos acima de 90 anos

Para aqueles com idade a partir de 85 anos, o começo da imunização também em todo o território paulista está marcado para o próximo dia 15

29 jan 2021 – 15h28
Estado começa a expandir o público-alvo a ser imunizado no programa de vacinação (Foto: Agência Brasil)

Ogovernador João Doria (PSDB) anunciou nesta sexta-feira (29) o início em todo o estado de São Paulo da vacinação de idosos acima de 90 anos para o dia 8 de fevereiro e, para aqueles acima de 85 anos, para o próximo dia 15. Com a entrega do novo lote de 1,8 milhão de doses pelo Instituto Butantan ao Ministério da Saúde e a chegada de mais 5.400 litros de insumo vindos da China, previstos para a próxima quarta-feira (3), o estado de São Paulo começa a expandir o público-alvo a ser imunizado no programa de vacinação.

“Todos estão na escala de prioridade do Plano Estadual de Imunização. Gradualmente, vamos anunciando de forma organizada e planejada para viabilizar essa imunização. A nossa meta é acelerar o programa de vacinação incluindo todos os grupos no calendário, mas para vacinarmos mais rapidamente, não só em São Paulo como em todo Brasil, precisamos de mais vacinas”, afirmou Doria.

Do total de 1,8 milhão de doses liberadas nesta sexta-feira, o Instituto Butantan disponibilizará ao Ministério da Saúde 1,390 milhão de novas doses de vacina contra Covid-19. Com isso, o quantitativo proporcional de 410 mil doses destinado ao estado de São Paulo já será utilizado para expansão da campanha.

Do total de 1,8 milhão de doses da Coronavac liberadas nesta sexta-feira, 410 mil ficam no estado (Foto: Divulgação)

Com a remessa, a ser realizada na próxima segunda-feira (1), a Secretaria de Estado da Saúde realizará mais uma grande operação logística para a distribuição novas doses para todos os municípios, somando quantitativo previamente recebido por SP.

As novas grades permitirão que o público-alvo da fase 1 da campanha seja imunizado em sua totalidade, o que inclui trabalhadores da saúde, indígenas, quilombolas, idosos residentes em instituições de longa permanência e pessoas com deficiência a partir de 18 anos institucionalizados.

Além disso, permitirá que o estado de São Paulo comece a vacinar os idosos acima de 85 anos de idade, que totaliza 514 mil pessoas. A prioridade leva em consideração a vulnerabilidade dessa faixa etária, uma vez que 37% das pessoas com 85 anos ou mais que tiveram Covid-19 evoluíram para óbito no decorrer da pandemia.

Governador João Doria (PSDB) fala durante reclassificação do Plano São Paulo, nesta sexta-feira (Foto: Divulgação)

De todas as vacinas disponíveis no País até o momento, 80% foram fornecidas pelo Instituto Butantan. O estado de São Paulo já distribuiu 1,2 milhão de doses. À medida que o governo federal enviar novas doses ao estado de São Paulo, novos grupos poderão ser incluídos no calendário vacinal.

O estado de São Paulo já tem 333.623 pessoas vacinadas contra Covid-19 até as 13h35 desta sexta-feira (29). Os dados são do Vacinômetro, ferramenta digital desenvolvida pela Secretaria de Comunicação do Estado que permite a qualquer pessoa acompanhar em tempo real o número de vacinados no estado.

A ferramenta é alimentada diretamente com as informações do “Vacivida”, plataforma digital integrada para monitorar toda a campanha de vacinação contra a Covid-19. Para garantir ainda mais transparência ao processo de imunização, os posts dos perfis oficiais do governo do estado de São Paulo também estão repercutindo, diariamente, o número de vacinados no estado com base nos dados atualizados do “Vacinômetro”.

“A Secretaria da Saúde editou uma resolução solicitando a todos os municípios, tanto dos serviços públicos como privados, que informem diariamente as doses aplicadas de vacina contra a Covid-19 de forma nominal no sistema de informação Vacivida”, destacou Regiane de Paula, coordenadora de Controle de Doenças e coordenadora do Plano Estadual de Imunização.

Nesta sexta-feira, o governador anunciou que as regiões de Presidente Prudente e Sorocaba passam da fase vermelha para a laranja do Plano São Paulo a partir da próxima segunda (1º). A reclassificação também determinou o recuo da região de Ribeirão Preto para a etapa vermelha, com restrição total a comércios e serviços não essenciais.

“Houve um decréscimo nos indicadores de casos, internações e óbitos nas últimas duas semanas, mas a pandemia ainda está em um patamar muito elevado no estado”, afirmou Doria. “Nesta nova reclassificação do Plano São Paulo, 82% da população do estado está concentrada em regiões da fase laranja. Outros 18% estão na etapa vermelha.”

Paulínia segue na etapa laranja. Mas, com as regras anunciadas há uma semana, todos as 645 cidades de São Paulo ficam na fase vermelha em dias úteis, das 20h às 6h, e em período integral aos finais de semana e feriados estaduais ou nacionais.

Nos municípios abrangidos pelos Departamentos Regionais de Saúde (DRSs) de Barretos, Bauru, Franca, Marília, Ribeirão Preto e Taubaté, as restrições da fase vermelha valem durante todos os dias. Todas as seis regiões estão com ocupação hospitalar de pacientes graves com Covid-19 acima de 75%

As medidas vão vigorar até o dia 7 de fevereiro. Até lá, nenhuma região poderá avançar às fases amarela e verde, as mais flexíveis em relação ao atendimento presencial.

A fase vermelha só permite funcionamento normal de serviços como farmácias, mercados, padarias, lojas de conveniência, bancas de jornal, postos de combustíveis, lavanderias e hotelaria. Já comércios e serviços não essenciais só podem atender em esquema de retirada na porta, drive-thru e entregas por telefone ou aplicativos.

Na etapa laranja, academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros, shoppings, concessionárias, escritórios e parques estaduais podem funcionar por até oito horas diárias, com atendimento presencial limitado a 40% da capacidade e encerramento às 20h. O consumo local em bares está totalmente proibido.

A venda de bebidas alcoólicas no comércio varejista só pode ocorrer entre 6h e 20h. Somente a partir da fase verde, a mais branda, é que essa comercialização poderá voltar a ser feita sem restrições. Prefeituras que se recusarem a seguir as normas estabelecidas pelo governo do estado ficam sujeitas a sanções judiciais.

Com os dados epidemiológicos semanais divulgados nesta sexta, a média estadual passou de 348,6 para 347,8 novos casos por 100 mil habitantes. A taxa de novas internações foi de 54,1 para 51,9 a cada 100 mil habitantes, e as mortes ficaram praticamente estáveis, em 7,2 por 100 mil habitantes.

A pressão sobre o sistema hospitalar teve ligeiro recuo, mas ainda é preocupante. A média estadual de ocupação de leitos de UTI por pacientes graves de Covid-19 caiu de 71,1% para 69,9%, com 19,5 vagas a cada 100 mil habitantes.

Neste mês, o governo do estado endureceu o parâmetro de ocupação de UTI Covid-19 de 80% para 75% para a fase vermelha, além de cancelar a realização de cirurgias eletivas. A Secretaria da Saúde também coordena a abertura de 750 novos leitos de UTI em todas as regiões do estado. O resumo com as informações sobre a reclassificação do Plano São Paulo e os indicadores epidemiológicos e de capacidade hospitalar de cada região estão disponíveis no link http://bit.ly/3jad0S5.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Advertisement

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.