Ir para conteúdo

[Pandemia]
Prefeitura anuncia a centésima morte pela Covid-19 em Paulínia

Anúncio

Cidade entra na fase vermelha do Plano SP, a partir desta segunda-feira, nas noites de dias úteis e nas 24 horas de finais de semana ou feriados

25 jan 2021 – 15h45
São Paulo iniciou a distribuição de 501 mil doses da vacina da Fiocruz – Oxford/AstraZeneca (Foto: Divulgação)

APrefeitura de Paulínia confirmou nesta segunda-feira (25) a centésima morte de morador da cidade em decorrência da Covid-19, desde o início da pandemia. A cidade, de acordo com as estatísticas municipais, possui 5.795 contaminados e 5.518 recuperados. Mas, para o Ministério da Saúde, responsável pelos números oficiais da doença no Brasil, o município já registra 104 óbitos e 7.336 infectados.

Segundo o Comitê de Prevenção e Enfrentamento do Coronavírus, a centésima morte pela Covid-19 em Paulínia se trata de um homem de 90 anos, com antecedentes de hipertensão, hipotireoidismo e pneumopatia. Iniciou os sintomas respiratórios no último dia 17 de janeiro e acabou internado no Hospital Municipal “Vereador Antônio Orlando Navarro” dois dias depois. Foi realizado diagnóstico laboratorial para a Covid-19 pelo exame de PCR, com resultado positivo. Morreu no sábado passado, dia 23.

“A Administração municipal se solidariza com todos os familiares e amigos”, divulgou a nota do governo municipal. “A Prefeitura de Paulínia informa que é essencial que todos sigam as orientações do Comitê de Prevenção e Enfrentamento do Coronavírus e reforça a necessidade do uso de máscara, higienização das mãos sempre que possível, distanciamento social e evitar aglomerações.”

Nesta segunda-feira, começa a valer, em todo o estado paulista e, portanto, também em Paulínia, a fase 1-vermelha do Plano São Paulo de retomada econômica e de convivência com o novo coronavírus: nos dias úteis, das 20h às 6h , e aos finais de semana ou feriados, tanto de dia como à noite. Nesses períodos, somente poderão funcionar os serviços considerados essenciais de logística, saúde, abastecimento e segurança.

Nos dias úteis, das 6h às 21h, a região de Paulínia está na fase 2-laranja, onde academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros, shoppings, concessionárias, escritórios e parques estaduais podem funcionar por oito horas diárias, com atendimento presencial limitado a 40% e encerramento às 20h. O consumo local em bares está proibido nessa fase.

No estado de São Paulo, estão na fase vermelha 24 horas, durante todos os dias da semana, as regiões de Barretos, Bauru, Franca, Marília, Presidente Prudente, Sorocaba e Taubaté. Essas sete áreas do território paulista terão de fechar o comércio considerado não essencial. Essa classificação vai valer, pelo menos, até o dia 7 de fevereiro, quando está marcada uma nova atualização do Plano São Paulo.

Sem essas mudanças no Plano São Paulo, feitas na última sexta-feira, que restringem ainda mais a circulação das pessoas, e com o atual ritmo de crescimento da transmissão do coronavírus, o governo paulista calculou que em 28 dias o estado poderia ter um esgotamento dos leitos de unidades de terapia intensiva (UTI). Até domingo (24), 71,3% dos leitos de UTI de todo o estado estavam ocupados, com 5.970 pacientes internados em estado grave.

Neste mês de janeiro, até domingo passado, informou a secretaria estadual da Saúde, o estado já registrou 237.130 novos casos, 16.486 a mais que o total de dezembro inteiro (220.644). O estado também computou 4.785 novas mortes registradas neste mês, contra 4.622 no mês anterior.

O Plano São Paulo é dividido em cinco fases que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul). O plano divide o estado em 17 regiões e cada uma delas é classificada em uma fase do plano, dependendo de fatores como a capacidade do sistema de saúde e a evolução da epidemia.

Nesta segunda-feira, o governo do estado de São Paulo iniciou a distribuição de 501 mil doses da vacina da Fiocruz (Oxford/AstraZeneca) aos Grupos de Vigilância Epidemiológica (GVE), visando abastecer os 645 municípios. As grades devem chegar às regiões até terça-feira (26), e cada cidade retirará seu respectivo quantitativo no GVE da região onde está localizada – confira na tabela abaixo os quantitativos.

As novas doses da vacina da Fiocruz foram viabilizadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde. Assim como nas grades anteriores, a divisão regionalizada é baseada no quantitativo proporcional de vacinas previsto para São Paulo conforme o PNI.

Neste primeiro momento, profissionais de saúde, idosos com mais de 60 anos e pessoas com deficiência com mais de 18 anos vivendo em instituições de longa permanência, indígenas aldeados e quilombolas receberão as doses, com o apoio de equipes da atenção primária do SUS, segundo as estratégias adequadas ao cenário local. A inclusão de novos grupos populacionais será norteada pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações), do Ministério da Saúde.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Advertisement

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.