Ir para conteúdo

[Pandemia]
Ministério da Saúde confirma mais três mortes pela Covid-19 em Paulínia

Total de óbitos em decorrência do novo coronavírus na cidade chega a 95 moradores desde o início da pandemia, de acordo com os números oficiais do governo federal

6 jan 2021 – 16h32
Seminário Virtual de Gestão Pública: Plano Estadual de Imunização foi apresentado a prefeitos (Foto: Divulgação)

OMinistério da Saúde confirmou mais três mortes pelo novo coronavírus em Paulínia. Com isso, a cidade chega a 95 óbitos em decorrência da Covid-19 desde o início da pandemia. O governo federal, responsável pelos números oficiais da doença no País, informou que 6.623 moradores do município já foram infectados pelo novo coronavírus.

Já a Prefeitura de Paulínia, até as 9h30 desta quarta-feira (6), divulgou mais uma morte pelo novo coronavírus. Agora, pelas estatísticas municipais, são 90 mortos, 5.216 contaminados e 5.043 recuperados na cidade. Vinte uma pessoas estão internadas em decorrência da Covid-19 no Hospital Municipal “Vereador Antônio Orlando Navarro” – oito delas ocupam leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A Administração municipal alega que seu boletim diário tem 1.407 pacientes e cinco mortes a menos que as estatísticas oficiais do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde, atualizadas até o início da noite de terça-feira (5), por causa da demora de ser notificada pelo estado de casos de moradores da cidade atendidos em outros municípios; e da eventual duplicidade de notificações de atendidos em outras cidades e também em Paulínia. A Secretaria de Estado da Saúde informou que confere todas as notificações e faz as atualizações necessárias.

Segundo o Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus de Paulínia, a 90ª morte se trata de uma mulher de 86 anos, com antecedentes de Parkinson e Síndrome Demencial. Iniciou os sintomas respiratórios no dia 9 de dezembro, sendo internada em hospital da rede privada de Campinas no dia 21 do último mês. Foi realizado diagnóstico laboratorial para a Covid-19 pelo exame de PCR no dia 22. A paciente morreu no último dia 30 de dezembro de 2020.

Nesta quarta-feira, o governador João Doria (PSDB) apresentou, durante o 1º Seminário Virtual de Gestão Pública, o Plano Estadual de Imunização contra o novo coronavírus aos 645 prefeitos eleitos para os mandatos iniciados em 2021. A estratégia das autoridades estaduais é iniciar a imunização contra a Covid-19 em todas as regiões do estado no dia 25 de janeiro.

“A saúde é a prioridade absoluta. Lamentavelmente, todos os 215 países estão enfrentando uma segunda onda desse vírus e isso exige cuidado, zelo, disciplina, perseverança, determinação e coragem para fazer o que precisa ser feito”, disse Doria.

O secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn, listou aos prefeitos os detalhes do plano. A primeira etapa de vacinação vai priorizar profissionais da saúde, pessoas com 60 anos ou mais e grupos indígenas e quilombolas. A expectativa do Estado é que 9 milhões de pessoas sejam imunizadas na primeira etapa, com a aplicação de 18 milhões de doses, até o dia 28 de março.

A campanha coordenada pela Secretaria Estadual da Saúde em parceria com os 645 municípios paulistas visa dobrar o total de postos de vacinação dos atuais 5,2 mil para até 10 mil. A estimativa é de que a vacinação envolva cerca de 79 mil profissionais, com 54 mil trabalhadores do setor da saúde e 25 mil agentes da segurança pública para garantir a segurança da população e evitar aglomerações nos locais de imunização.

O seminário também teve a participação dos secretários de Estado Marco Vinholi (Desenvolvimento Regional), Henrique Meirelles (Fazenda e Planejamento), Mauro Ricardo (Projetos, Orçamento e Gestão), Patricia Ellen (Desenvolvimento Econômico), Coronel Walter Nyakas Júnior (Casa Militar e Defesa Civil), Célia Parnes (Desenvolvimento Social), do Diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e da presidente do Fundo Social de São Paulo, a primeira-dama Bia Doria.

O secretário da Fazenda destacou o atual momento econômico de São Paulo e as perspectivas para retomada da economia em 2021. A pandemia impactou a economia paulista, mesmo em setores que não foram afetados pela quarentena. Com a retomada gradual das atividades econômicas sob as diretrizes do Plano São Paulo, o PIB paulista voltou a crescer.

Em outubro, Doria apresentou o programa Retomada 21/22, com previsão de R$ 36 bilhões para impulsionar a economia do estado e gerar cerca de 2 milhões de empregos. Segundo Meirelles, a iniciativa inclui 19 projetos para atração de investimentos privados nacionais e estrangeiros em todas as regiões do estado.

Já a secretária de Desenvolvimento Econômico respondeu a dúvidas dos prefeitos sobre o Plano São Paulo. Já o secretário de Projetos, Orçamento e Gestão apresentou aos prefeitos sugestões de medidas iniciais para ajuste fiscal, redução de despesas gerais e incremento de receitas.

Parcerias municipais

O secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, anunciou o lançamento de uma plataforma exclusiva para as prefeituras no site www.parceriasmunicipais.sp.gov.br. A ferramenta digital é importante no apoio aos gestores municipais e oferece diagnósticos de cada município ante indicadores estaduais, além de possíveis convênios com o estado, uma agenda de cursos de capacitação e o desempenho de cada cidade no programa desde 2019.

Até a publicação deste texto, a Prefeitura de Paulínia não havia confirmado se o prefeito Du Cazellato (PL) participou do 1º Seminário Virtual de Gestão Pública nem revelou se possui agulhas e seringas para vacinação ou como se prepara para a primeira fase da imunização contra a Covid-19, prevista para começar no próximo dia 25 no estado de São Paulo.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Advertisement

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.