Ir para conteúdo

[Eleições 2020]
Du Cazellato é reeleito prefeito de Paulínia por mais quatro anos

Tiguila Paes (Cidadania) foi o candidato a vereador mais votado na cidade, com 1.462 votos; além dele, outros seis conseguiram se reeleger na Câmara

16 nov 2020 – 00h30
O prefeito Du Cazellato é cumprimentado pela vitória ao chegar em comitê político (Foto: Arquivo)

Oprefeito Du Cazellato (PL) venceu as eleições municipais de 2020, realizadas neste domingo (15), em Paulínia. Agora, junto com seu vice Sargento Camargo (PSL), ficará à frente da Prefeitura por mais quatro anos – até o dia 31 de dezembro de 2024. A posse do novo mandato ocorre no dia 1º de janeiro que vem.

Vencedor do pleito suplementar realizado em Paulínia no ano passado, pela segunda vez seguida, Cazellato derrota a candidata Nani (MDB), mulher do ex-prefeito Edson Moura (MDB). Em terceiro lugar ficou Robert de Paiva (REDE), seguido de Gustavo Yatecola (Patriota), Edson do PT (PT) e Renato Cardoso (PTB).

“Fui eleito pela segunda vez consecutiva prefeito da nossa cidade. Muito obrigado a minha família por todo apoio que me dá, ao meu vice-prefeito Sargento Camargo pelo companheirismo de sempre”, escreveu Cazellato nas redes sociais. O prefeito reeleito agradeceu presidentes de partido, candidatos a vereador da coligação, toda a sua equipe e os eleitores que votaram nele. “Aproveito para reafirmar meu compromisso com nosso povo, que me esforçarei ao máximo para trazer avanço e progresso a nossa amada cidade.”

Tiguila Paes (Cidadania) foi o candidato a vereador mais votado na cidade, com 1.462 votos; além dele, outros seis conseguiram se reeleger na Câmara: Fábio Valadão (PL), José Soares (Republicanos), Edilsinho Rodrigues (Solidariedade), João Mota (DC), Flávio Xavier (Podemos) e Zé Coco (PSB). Três não concorreram ao pleito: Danilo Barros (PL), Marquinho Fiorella e Marcelo D2 (DC). Com isso, das 15 vagas existentes no Legislativo paulinense, oito foram renovadas nas eleições municipais deste domingo (54%).

Os vereadores que não conseguiram a reeleição foram o presidente da Câmara, Loira (DC), o sobrinho dele Xandynho Ferrari (Podemos), Marcelo Souza (PSB), Fabia Ramalho (Podemos) e Manoel Filhos da Fruta (Solidariedade).

Os novos vereadores são Fábio da Van (Solidariedade), Alex Eduardo (Solidariedade), Gibi Professor (PTB), Pedro Bernarde (Cidadania), Messias Boi (PL), Helder Pereira (PL), Grilo (MDB) e Cícero Brito (MDB). Na nova composição da Câmara não há nenhuma mulher. Os partidos com maior número de cadeiras são Cidadania e PL, com três; MDB e Solidariedade,  duas; PTB, Republicanos, DC, Podemos e PSB, uma cada.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou na  noite deste domingo que a divulgação dos resultados da apuração do primeiro turno estava atrasada devido a um problema técnico. Segundo o tribunal, uma lentidão no processo de totalização dos votos causava demora na disponibilização das informações.

Os números referentes às eleições em Paulínia começaram a ser librados por volta das 22h15 pelo Tribunal Superior Eleitoral. Tanto a divulgação da totalização dos votos dos candidatos a prefeito como a vereadores começou somente no final da noite.

O TSE informou que os dados da votação eram recebidos normalmente dos tribunais regionais eleitorais, mas a soma dos resultados estava “mais lenta que o previsto”. Técnicos do tribunal trabalhavam para resolver o problema e acelerar o processo de divulgação.

A Corte também esclareceu a lentidão não tinha relação com a tentativa de ataque cibernético confirmado mais cedo pelo presidente, ministro Luís Roberto Barroso.

A votação foi encerrada em Paulínia às 17h e em  todo o País, às 19h.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.