Ir para conteúdo

[Paulínia]
Pais de alunos têm até dia 4 para pedir chips de telefone celular com internet gratuita

Cartões SIM de telefonia móvel deverão ser utilizados por estudantes carentes para acessar a plataforma virtual de ensino remoto do município

27 out 2020 – 5h30
Desde março, e até o final deste ano, as aulas presenciais estão suspensas na rede municipal (Foto: Divulgação)

Pais e responsáveis de alunos da rede municipal de ensino de Paulínia têm até o próximo dia 4 para pedir à Secretaria Municipal de Educação chips de telefone celular com internet gratuita e serviço de voz para utilização nas aulas remotas do município. Serão beneficiados inicialmente estudantes do Ensino Fundamental I, II, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A solicitação dos chips é feita através do preenchimento de um formulário que está no endereço eletrônico https://bit.ly/3dRLQwp. O cartão SIM de telefonia móvel deverá ser utilizado por alunos carentes para acessar exclusivamente o conteúdo educacional virtual disponibilizado de modo remoto por meio de plataforma virtual hospedada no site da Prefeitura de Paulínia.

Desde março, e até o final deste ano, as aulas presenciais estão suspensas na rede municipal de educação de Paulínia por causa da pandemia da Covid-19 (somente as escolas estaduais e privadas podem voltar a receber estudante mediante o cumprimento de protocolos de saúde).

O sistema remoto foi adotado pela Prefeitura como alternativa de ensino a seus alunos durante o período de distanciamento social da pandemia. “Porém, muitas famílias demonstraram dificuldade ou mesmo impossibilidade de acesso à internet, o que levou a Secretaria de Educação a adquirir chips 4G, após um processo que se estendeu a partir do início de julho”, explicou o governo municipal.

A Prefeitura de Paulínia irá comprar e distribuir 12 mil planos da operadora Tim S/A, com franquia mensal de 10GB de internet e serviço de voz ilimitado, para alunos da rede municipal de ensino. O custo total do contrato é de R$ 609.120,00, pelo período de seis meses.

O governo municipal também anunciou que o retorno das aulas presenciais na rede municipal no próximo ano será gradual, com parte dos alunos em sala de aula e outra parte estudando na própria residência utilizando a internet.

A Prefeitura esclareceu que a facultatividade de retorno das aulas e atividades presenciais nas redes estadual e privada, bem como nas faculdades particulares, “decorre da inviabilidade jurídica do município em intervir na atividade desempenhada, na medida em que os protocolos sanitários são apresentados e homologados pelo Departamento de Vigilância Sanitária. Porém o município tem a prerrogativa de garantir a saúde e a ordem pública em caso de não cumprimento e de oferecer risco aos alunos e trabalhadores.”

O governo do estado já avisou que, desde o último dia 7 de outubro, o plano da retomada opcional de aulas presenciais escalonadas para alunos do Ensino Médio e EJA da rede estadual está condicionado à autorização dos prefeitos de cada um dos 645 municípios paulistas. As prefeituras são autônomas para decidir se vão ou não acompanhar o cronograma estadual. Os municípios podem adotar calendários mais restritivos, de acordo com dados epidemiológicos locais.

“Como governador, quero reforçar que a volta às aulas tanto na rede estadual quanto nas redes municipais e particulares está condicionada à autorização dos prefeitos. Eles têm autonomia para tomar esta decisão”, disse o governador João Doria (PSDB), ao divulgar no início do mês as regras para a volta às aulas presenciais no estado de São Paulo. O governo do estado também distribui chips de telefone celular com internet gratuita a estudantes carentes, professores e servidores de escolas do estado.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.