Ir para conteúdo

[Plano SP]
Atualização do governo do estado coloca Paulínia na fase verde

Cidade e 41 municípios do Departamento Regional de Saúde (VII) Campinas irão para a etapa quatro das cinco existentes da retomada gradual da economia

9 set 2020 – 12h19  
Como fica agora o mapa atualizado das 17 regiões de saúde do estado de São Paulo (Foto: Reprodução)

Paulínia e as 41 cidades que compõem o Departamento Regional de Saúde (VII) Campinas foram reclassificadas na fase verde do Plano São Paulo de reabertura gradual e regionalizada da economia, no início da tarde desta sexta-feira (9), pelo governo do estado. O avanço de etapa começa a valer a partir deste sábado (10). A quarentena nos 645 municípios paulistas também está prorrogada até novembro.

A região dos municípios da DRS VII está há 62 dias na fase amarela e apresenta indicadores para monitoramento da transmissibilidade e da evolução da doença (de novos casos, de óbitos e de internação hospitalar) compatíveis com essa nova classificação, segundo a avaliação do governo estadual. Até as 9h30 desta sexta-feira, Paulínia tinha 3.619 casos confirmados da Covid-19 e 82 mortes pela doença, conforme as estatísticas da Administração municipal, que já informou que seguirá a reclassificação do governo e deixará a cidade na fase verde.

Além da DRS VII Camapinas, o governador João Doria (PSDB) anunciou o avanço da Grande São Paulo e das regiões da Baixada Santista, Piracicaba, Sorocaba e Taubaté para a fase verde do Plano São Paulo de controle da pandemia e retomada consciente de atividades econômicas não essenciais.

Após 130 dias de vigência, o Plano São Paulo também passa por nova recalibragem de indicadores, áreas de monitoramento e normas de abertura do comércio para flexibilização da quarentena.

“Agora, 76% da população do estado segue para a fase verde do Plano São Paulo, incluindo a Capital”, afirmou o governador. “Essas regiões terão um pouco menos de restrições no seu dia a dia, de acordo com as indicações do Plano São Paulo”.

Pela primeira vez, é alcançada a penúltima fase mais branda de uma escala de cinco etapas do Plano São Paulo. A reclassificação vale de sábado e até o dia 16 de novembro. Na fase verde, o rol de permissões para atendimento presencial com restrições de acesso e protocolos sanitários é ampliado para atividades culturais, convenções e eventos sociais ou de negócios.

As regiões de Araçatuba, Araraquara, Bauru, Franca, Marília, Presidente Prudente, Registro, Ribeirão Preto São João da Boa Vista e São José do Rio Preto prosseguem na etapa amarela. Já a região de Barretos teve piora nos índices de avanço da pandemia e regride para a fase laranja.

Todas as alterações foram avalizadas pelos Centro de Contingência do coronavírus em São Paulo. O grupo de especialistas também divulgou nota técnica publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira com detalhes da recalibragem do Plano São Paulo.

Agora, a evolução da pandemia será considerada na comparação entre o total de novos casos, internações e e óbitos dos últimos 28 dias e os 28 dias anteriores. Antes, eram comparados em espaços de sete dias.

Outra mudança amplia o horário de funcionamento do atendimento presencial de oito para dez horas diárias na fase amarela. A capacidade máxima de público, entretanto, continua mantida em 40% – exceto academias, com limite de 30%. Nas regiões que avançaram para a fase verde, o atendimento local pode ser feito por até 12 horas diárias, com máximo de 60% da capacidade para todos os setores liberados.

Para bares, restaurantes e demais estabelecimentos com consumo local de alimentos e bebidas, o atendimento presencial é permitido entre 6h e 22h, desde que respeitados os limites de dez horas de expediente na fase amarela e 12 horas na fase verde. Em ambas, os estabelecimentos com funcionamento noturno deverão fechar as portas às 22h, mas podem autorizar a permanência de clientes que já estão no local até as 23h.

Atividades que gerem aglomeração, tais como festas, baladas, presença de torcedores em eventos esportivos e grandes shows com público em pé continuam proibidas em todos os 645 municípios de São Paulo. A liberação só deve acontecer em eventual avanço para a fase azul ou após a disponibilização de uma vacina contra o coronavírus.

Já a Região Metropolitana de São Paulo, que era dividida em seis sub-regiões de saúde, volta a ser classificada como uma única área de controle da pandemia com a redução das taxas de ocupação hospitalar.

“Existe uma distorção na cidade de São Paulo que precisa ser corrigida. A cidade de São Paulo é uma referência médica da América Latina e que concentra o maior número de pacientes graves”, explicou José Medina, coordenador do Centro de Contingência.

O governador pediu que a população mantenha a higiene frequente das mãos, o distanciamento social e o uso obrigatório de máscaras em locais de acesso coletivo e nos veículos de transporte público ou por aplicativo.

“Cuidado, cautela e zelo vão evitar a infecção, a contaminação e o risco de morte”, declarou Doria. “Podemos desfrutar o feriado prolongado, mas com cuidado para proteger a sua vida, as vidas de seus familiares e amigos. O vírus não escolhe vítima, idade, sexo ou condição socioeconômica”, concluiu.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.