Ir para conteúdo

[Saúde]
Campanhas contra ‘Pólio’ e de Multivacinação começam nesta 2ª-feira

Cerca de 2,1 milhões de crianças até 5 anos devem ser imunizadas contra a paralisia infantil; prevenção de 20 doenças é garantida para os de até 14 anos

5 out 2020 – 11h23
No total, serão oferecidas 14 tipos de vacinas que protegem contra cerca de 20 doenças (Foto: Agência Brasil)

ACampanha de Vacinação de Poliomielite e Multivacinação começou nesta segunda-feira (5) em todo o estado de São Paulo. O objetivo é atualizar a carteirinha de vacinação de crianças e adolescentes entre 0 e 14 anos de idade, reforçando a proteção contra paralisia infantil (pólio) nos menores de 5 anos.

“É de extrema importância que todos estejam atentos à imunização e façam uso desta facilidade que o governo do estado, através da Secretaria de Saúde e das Secretarias Municipais de Saúde, oferecem gratuitamente à população de São Paulo”, afirmou o governador João Doria (PSDB). “A vacinação é o meio mais eficaz e seguro de proteção contra doenças graves.”

Para garantir a prevenção contra a poliomielite, pais ou responsáveis por crianças entre 1 ano a menores de 5 anos deverão levar os pequenos para receber a “gotinha” (vacina oral, VOP). A meta é alcançar cobertura vacinal de 95% de um total de 2,2 milhões de crianças (ou seja, pelo menos 2,1 milhões). A revacinação contribui com a redução do risco de reintrodução do vírus no Brasil – hoje, há circulação no Afeganistão e Paquistão.

Simultaneamente, a campanha de multivacinação será focada na atualização de carteiras vacinais de crianças e adolescentes de 0 a 14 anos. A finalidade é que pessoas nessa faixa etária recebam doses de vacinas importantes e que podem estar pendentes, garantindo assim a devida proteção contra vírus que circulam no território.

“Estas campanhas foram criadas justamente para incentivar a ida aos postos de saúde e, assim, garantir a proteção adequada”, afirmou o secretário de estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

Os pais ou responsáveis devem levar as crianças a um dos 5 mil postos de saúde localizados nos municípios de SP com a carteira de vacinação em mãos para que um profissional avalie quais doses precisarão ser aplicadas, tanto para eventual situação de atraso, falta ou necessidade de reforço. A medida contribui para melhorar as coberturas vacinais, que têm oscilado nos últimos anos.

No total, serão oferecidas 14 tipos de vacinas que protegem contra cerca de 20 doenças: BCG (tuberculose); rotavírus (diarreia); poliomelite oral e intramuscular (paralisia infantil); pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, Haemophilus influenza tipo b – Hib); pneumocócica; meningocócica; DTP; tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola); HPV (previne o câncer de colo de útero e verrugas genitais); além das vacinas contra febre amarela, varicela e hepatite A.

Além disso, neste ano, também passou a integrar o SUS uma nova vacina, já inserida na campanha: Meningo ACWY, que protege contra meningite e infecções generalizadas, causadas pela bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y. Somando todos os tipos de vacinas, são mais de 5,2 milhões distribuídas nos postos do estado para aplicação na população-alvo.

De acordo com o governo estadual, serão mobilizados cerca de 30 mil profissionais de saúde até o dia 30 de outubro, prazo definido pelo Ministério da Saúde na campanha nacional. O Dia de Mobilização (“Dia D”) será 17 de outubro, com postos abertos no sábado.

“A imunização correta garante a proteção contra complicações provocadas por diferentes tipos de vírus e, consequentemente, reduz casos e mortes. As campanhas contribuem para erradicação e para a eliminação do risco de reintrodução de doenças no território”, explica a diretora de Imunização da Secretaria, Núbia Araújo.

Coberturas vacinais

No geral, são indicadas coberturas vacinais de 90% e 95% para proteção efetiva da população, mas tais índices não têm sido atingidos devido à baixa adesão. Alguns exemplos de cobertura inferior registrada em 2019, conforme dados disponíveis em sistema do Programa Nacional de Imunizações (PNI) são: menincoccócica C (87,28%), pentavalente (71,77%), poliomielite (86,16%), e tríplice viral (91,37% na primeira dose e 82% na segunda dose). Os dados preliminares de 2020, até agosto, indicam a importância de melhorar os índices.

“Temos acompanhado os dados da cobertura vacinal em todo o estado e estamos em alerta com os baixos alcances. A Campanha de Multivacinação será um auxílio para aumentarmos a proteção e minimizarmos as chances de que as doenças retornem. Nosso objetivo é que o Estado de São Paulo tenha a maior cobertura vacinal entre os estados do país”, ressalta a coordenadora do Programa Estadual de Vacinação, Helena Sato.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.