Ir para conteúdo

[Pandemia]
Mais três moradores morrem pela Covid-19 e Paulínia soma 54 óbitos

Hospital municipal tinha 31 internados em razão do novo coronavírus nesta quarta-feira e 10 deles ocupavam leitos da Unidade de Terapia Intensiva

12 ago 2020 – 14h10
Exames descartados para o novo coronavírus totalizam mais de 1,1 mil em Paulínia (Foto: Agência Brasil)

Paulínia anunciou no início da tarde desta quarta-feira (12) mais três mortes pela Covid-19, chegando a 54 desde o início da pandemia. O número de casos confirmados subiu de 2.484 para 2.511 (+27). Mas para o Ministério da Saúde esse total saltou de 3.511 para 3.592 (+81) e os óbitos de 50 para 54 (+4). Os recuperados passaram de 2.246  para 2.261 (+15). A quantidade de internados em razão do novo coronavírus no Hospital Municipal “Vereador Antônio Orlando Navarro” era 31 – 10 deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus informou que a:

  • 52ª morte

Trata-se de uma mulher de 72 anos, que possuía doença renal crônica. Estava internada no Hospital de Clínicas, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), desde 13 de maio, devido à doença de base e iniciou sintomas respiratórios no dia 31 de maio. Foi realizado diagnóstico laboratorial para a Covid-19 pelo exame de swab, com resultado positivo. “Evoluiu para o óbito em 11 de junho no HC da Unicamp”, informou a Prefeitura de Paulínia.

  • 53ª morte

Refere-se a um homem de 30 anos, que não tinha doenças preexistentes e era assintomático. Havia coletado swab na empresa onde trabalhava no dia 29 de julho, com resultado negativo. Conforme a Prefeitura, o rapaz procurou uma farmácia do município e realizou um teste rápido no dia 6 de agosto passado, com resultado reagente para IGM e IGG. Morreu em casa no dia 7 de agosto. “Estava residindo em Paulínia devido trabalho e seus familiares moram em Minas Gerais”, informou o governo municipal.

  • 54ª morte

Trata-se de um homem, que possuía hipertensão arterial e diabetes mellitus. Iniciou os sintomas respiratórios no dia 20 de julho passado. Deu entrada em hospital da rede privada de Campinas no último dia 26. Foi realizado diagnóstico laboratorial para o novo coronavírus por meio do exame de swab, com resultado positivo para a Covid-19. O paciente morreu no dia 2 de agosto passado, na mesma unidade hospitalar onde estava internado em Campinas.

Até as 9h desta quarta-feira, o hospital municipal tinha 31 pacientes positivos e suspeitos da Covid-19 – três a mais que nas últimas 24 horas. Dez deles ocupavam leitos de UTI (+1). Segundo servidores da linha de frente do combate à pandemia, há 14 vagas instaladas de terapia intensiva no local e oito que podem receber doentes de quaisquer complicações devido ao número reduzido de funcionários. A Prefeitura garante que são 10 e deu início neste mês à contratação temporária de 85 profissionais de saúde, por meio de processo seletivo emergencial concluído, o que permitirá a ampliação desse atendimento na rede municipal.

Os internados estavam nesta quarta-feira:

  • 10 na UTI – apesar de ter recebido 10 respiradores no último dia 15 de junho do governo do estado, o município não anunciou o aumento de leitos de UTI na rede; já o processo seletivo do final de abril feito pela Prefeitura e que permitiria a contratação de funcionários para o uso imediato dos 14 leitos de UTI instalados no hospital municipal foi cancelado pelo governo municipal (um novo processo foi aberto no último dia 7 de julho e o reforço profissional está em fase de contratação);
  • seis na Unidade Respiratória, que possui sete leitos;
  • 12 na Enfermaria Respiratória, que conta com oito leitos, mas que, segundo a Prefeitura, podem ser ampliados sempre que necessário;
  • três na Clínica Médica.

O governo do estado informou que o governador João Doria  (PSDB) testou positivo para o novo coronavírus na manhã desta quarta-feira. “Imediatamente após a confirmação do exame, Doria iniciou isolamento em sua residência, segundo protocolos médicos, e deve permanecer em observação pelos próximos dez dias”, esclareceu o comunicado.

De acordo com a nota, o governador está assintomático e recebe acompanhamento do médico infectologista David Uip. “Doria seguirá trabalhando à distância, cabendo ao vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) a participação em atos presenciais e entrevistas coletivas no Palácio dos Bandeirantes”, destacou o governo do estado.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.