Ir para conteúdo

[Plano SP]
Paulínia avança à fase amarela; bares, restaurantes e academias podem reabrir

Barbearias, cabeleireiros e salões de beleza também podem voltar a funcionar nesta etapa da retomada gradual e regionalizada da economia

7 ago 2020 – 10h15
Vista aérea parcial da região do bairro Alto de Pinheiros, em Paulínia: flexibilização (Foto: RT Imagens)

Paulínia e os outros 41 municípios do Departamento Regional de Saúde VII (DRS VII) vão avançar a partir deste sábado (8) para a fase amarela do Plano São Paulo de enfrentamento ao coronavírus e reabertura gradual e faseada da economia no estado. A informação foi antecipada na manhã desta sexta-feira (7) pelo prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), em transmissão ao vivo em suas redes sociais, e confirmada no início desta tarde pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), durante a décima atualização de cores das 17 regiões do mapa de São Paulo. A quarentena também foi prorrogada em todo o território paulista até o dia 23 de agosto.

A etapa 3 amarela do Plano São Paulo, com flexibilização intermediária de atividade econômica e mobilidade social, permite:

  • aumento do tempo de atendimento nas lojas de ruas e nos shoppings de quatro para seis horas diárias e da capacidade de 20% para 40%;
  • reabertura, com atendimento presencial, de bares, restaurantes, padarias, pizzarias, bem como barbearias, cabeleireiros e salões de beleza com 40% da capacidade;
  • funcionamento de academias com 30% de vagas e expediente limitado a seis horas por dia; e
  • a permanência por 28 dias seguidos nesse mesmo estágio possibilita a reabertura, com limitações, de espaços culturais como museus, bibliotecas, cinemas, teatros e salas de espetáculos.

Na fase amarela, restaurantes, padarias e similares podem oferecer consumo local apenas em ambientes arejados ou ao ar livre, com obrigatoriedade de assentos. A orientação é que o atendimento seja com horário agendado, para evitar aglomerações. A ocupação máxima deve ser de 40% da capacidade dos assentos e o funcionamento precisa ocorrer por no máximo seis horas diárias, consecutivas ou não, até as 17h. Os estabelecimentos devem adotar protocolos geral e específicos para o setor. Funcionários e clientes devem usar máscara em todos os ambientes, tirando apenas no momento da refeição. Após 14 dias consecutivos da cidade na fase amarela, restaurantes, padarias e similares podem oferecer consumo local até as 22h.

Paulínia está na fase laranja do Plano SP desde o último dia 25, já que antecipou por conta própria seu avanço de etapa em relação aos demais 41 municípios da DRS VII. Até a publicação deste texto, a Prefeitura não havia informado se seguirá as novas determinações de Doria. Às 9h30 desta quinta-feira (6), o município registrava 2.262 casos positivos da Covid-19, 41 mortes pela doença e nove pacientes positivos ou suspeitos do novo coronavírus em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da rede municipal. O Ministério da Saúde já contabiliza 3.235 infectados e 46 óbitos de moradores da cidade, quatro do Lar dos Velhinhos.

Além do DRS VII Campinas, mais oito áreas de Departamentos Regionais de Saúde progrediram de fase e estão agora na etapa amarela, menos restritiva em relação às atividades econômicas e à mobilidade social. São elas: Araçatuba, Bauru, Marília, Piracicaba, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista, Sorocaba e Taubaté. 

“Estamos passo a passo, com muito cuidado, com muita segurança, sem precipitação, sem politização, vencendo gradualmente o coronavírus no estado de São Paulo”, disse Doria. “Esta é uma ótima notícia para mais de 15 milhões de brasileiros que vivem em São Paulo nestas nove regiões. Mas isto, obviamente, não deve significar nenhum relaxamento contra o coronavírus, nenhum relaxamento com as medidas restritivas de cuidados pessoais. Qualquer descuido pode ser fatal”, completou.

Com a atualização, 86% da população do estado está em regiões localizadas na fase amarela. A Capital, as sub-regiões Sudoeste, Sudeste e Leste da Grande São Paulo, a Baixada Santista e Araraquara permanecem na etapa amarela. “Agora que estamos nessa estabilização, precisamos buscar juntos a redução. Esse retorno gradual não pode ser de uma forma que a gente baixe a guarda, muito pelo contrário. O uso da máscara ainda é mais importante, o respeito aos protocolos também”, ressaltou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

Das 17 áreas de DRSs estabelecidas no Plano São Paulo, apenas Franca e Registro permanecem na etapa vermelha, com restrição total ao atendimento presencial de comércios e serviços não essenciais.“Das regiões que seguem na fase vermelha, a de Franca mostrou também uma reação muito forte na sua capacidade hospitalar ao longo dos últimos dias. Saímos de 4,32 leitos por 100 mil habitantes, atingimos 9,2 e vamos chegar no triplo de leitos do que era antes”, comentou o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

A sub-região Oeste da Grande São Paulo regrediu para a fase laranja, onde permanecem as regiões de Barretos, Presidente Prudente, São José do Rio Preto e sub-região Norte da Grande São Paulo. Esta etapa permite funcionamento com 20% da capacidade de público em escritórios em geral, imobiliárias, comércio de rua, shoppings e concessionárias. A abertura é restrita a quatro horas diárias, todos os dias, ou seis horas durante quatro dias e fechamento por três.

“Com 86% da população na fase amarela, estamos ainda na metade da progressão do plano São Paulo, falta progredir para a fase verde, depois para a fase azul. E o isolamento vai gradativamente migrando para aquilo que nós chamamos de distanciamento consciente”, concluiu o coordenador do centro e contingência do Estado de São Paulo, José Medina.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.