Ir para conteúdo

[Contágio]
Paulínia é a quinta em mortalidade pela Covid-19 entre as 20 cidades da RMC

Prefeitura adicionou mais 46 moradores infectados pelo novo coronavírus no boletim epidemiológico desta quarta-feira; UTI tem 10 pacientes

29 jul 2020 – 13h45
Pouco mais de 1,8 mil resultados de testes rápidos estão inseridos no boletim epidemiológico (Foto: Agência Brasil)

Com 33 óbitos e 2.450 casos já confirmados pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria de Estado da Saúde, Paulínia é a quinta em mortalidade em decorrência da Covid-19 e a primeira em incidência da doença entre os 20 municípios da Região Metropolitana de Campinas (RMC). Nesta quarta-feira (29), a Prefeitura registrou mais 46 moradores infectados pelo novo coronavírus em seu boletim epidemiológico diário, totalizando 1.962, e manteve o número de 30 mortes. Há 10 pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os curados passaram de 1.226 para 1.271 – outros 45 em relação às últimas 24 horas.

A diferença existente entre os números do Ministério da Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde e os da Prefeitura – até aqui, de 488 pessoas contaminadas e três mortes pela Covid-19 em Paulínia -, de acordo com a Administração local, ocorre pela demora de ser notificada dos casos de moradores da cidade atendidos em outros municípios. O Observatório da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas) utiliza os dados oficiais da doença do governo estadual para produzir gráficos e comparações entre os municípios que compõem a RMC e determinar o avanço do novo coronavírus e das mortes na região metropolitana.

Segundo o Observatório da PUC-Campinas, entre as 20 cidades que compõem a RMC, Paulínia é a primeira em incidência da Covid-19, com 2.332,5 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes; e a quinta em mortalidade, com 31,4 óbitos em razão da doença por 100 mil habitantes. As médias da Região Metropolitana de Campinas são 1.049 e 36, respectivamente (veja quadro nesta página). Quando o assunto é óbito pelo novo coronavírus na RMC, o município de Paulínia fica somente atrás de Campinas, Engenheiro Coelho, Indaiatuba e Nova Odessa. Os dados da universidade são os mesmos oficiais da Secretaria de Estado da Saúde e também do Ministério da Saúde, até a tarde da última segunda-feira (27), quando até então havia ocorrido a mais recente atualização do sistema.

A Secretaria de Estado da Saúde informou na manhã desta quarta-feira que os dados de casos da Covid-19 de terça-feira (28), até a publicação deste texto, estavam em reprocessamento pelas equipes de Tecnologia da Informação e Vigilância Epidemiológica. Ressaltou que, diariamente, divulga os dados extraídos a partir dos dois sistemas oficiais do Ministério da Saúde para notificação por parte dos serviços de saúde e municípios: E-SUS, onde são notificados os casos leves, e Sivep, para os graves e óbitos.

“Em virtude da inserção de novos campos no sistema Sivep por parte do Ministério da Saúde, as equipes estaduais estão trabalhando na readequação da rotina de extração das informações deste sistema, uma vez que as alterações impactaram no processo de extração automatizada realizada diariamente pela pasta estadual”, explicou. “A Secretaria também trabalha na qualificação dos dados, com unificação de registros a fim de evitar duplicidades relacionadas a uma mesma pessoa nos sistemas distintos.”

O novo coronavírus é de notificação compulsória e os municípios devem comunicar formalmente todos os casos e óbitos. “As informações, tão logo estas questões sejam solucionadas, serão atualizadas e disponibilizadas para consulta pública no site www.saopaulo.sp.gov.br/coronavírus”, completou a Secretaria de Estado da Saúde.

 Na terça-feira (28), Paulínia registrou seu pior índice de adesão à quarentena e o mais baixo do estado: 34%. Até as 9h30 desta quarta-feira, 31 pacientes positivos e suspeitos para o novo coronavírus seguiam internados no Hospital Municipal de Paulínia “Vereador Antônio Orlando Navarro” – 10 deles na UTI (+1). Segundo servidores da linha de frente do combate à pandemia, há 14 vagas instaladas de terapia intensiva no local e oito que podem receber doentes de quaisquer complicações devido ao número reduzido de funcionários. A Prefeitura garante que são 10, mesmo sem informar a contratação de profissionais da saúde o que permitiria ampliar esse atendimento na rede municipal da cidade.

Os internados em consequência da Covid-19 em Paulínia estavam nesta quarta-feira:

  • 10 na UTI – apesar de ter recebido 10 respiradores no último dia 15 de junho do governo do estado, o município não anunciou o aumento de leitos de UTI na rede; já o processo seletivo do final de abril feito pela Prefeitura e que permitiria a contratação de funcionários para o uso imediato dos 14 leitos de UTI instalados no hospital municipal foi cancelado pelo governo municipal (um novo processo foi aberto no último dia 7);
  • nove na Unidade Respiratória, que possui sete leitos;
  • 10 na Enfermaria Respiratória, que conta com oito leitos, mas que, segundo a Prefeitura, podem ser ampliados sempre que necessário; e
  • dois na Pediatria.
Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.