Ir para conteúdo

[Avanço]
Paulínia registra a 15ª morte pela Covid-19 e totaliza 1.291 infectados

Mulher de 86 anos morreu na última quarta-feira no hospital municipal e teve seu óbito divulgado somente nesta sexta pela Prefeitura

10 jul 2020 – 14h46
Ocupação de leitos de UTI no hospital municipal de Paulínia segue em taxa elevada (Foto: Divulgação)

OComitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus informou nesta sexta-feira (10) a morte de uma mulher de 86 anos pela Covid-19, em Paulínia. Trata-se do 15º óbito pela doença na cidade desde o início da pandemia. Em 24 horas, o município adicionou mais 33 casos, totalizando 1.291. Mas, para o Ministério da Saúde, já são 1.523 (+97). Os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal “Vereador Antônio Orlando Navarro” segue na lotação máxima. Os curados subiram de 699 para 711 (+12)

Conforme a Prefeitura, a mulher de 86 anos tinha doenças cardiovascular e respiratória crônica. Iniciou os sintomas respiratórios no último dia 13 de maio e 10 dias após deu entrada no hospital municipal de Paulínia. Ela ficou na UTI até quarta (8), quando morreu. Familiares realizaram testes para diagnóstico laboratorial para a Covid-19 em Unidade Básica de Saúde (UBS) da rede municipal, informou o governo local. Os resultados não foram revelados.

Paulínia entrou só nesta sexta-feira na fase vermelha do Plano São Paulo, conforme reclassificação feita pelo governo estadual no último dia 3. A decisão foi tomada com quatro dias de atraso em relação às cidades do Departamento Regional de Saúde VII, da qual faz parte com outros 41 municípios. As cidades do DRS VII estão desde segunda-feira (6) na fase mais restritiva do Plano São Paulo de retomada gradual e regionalizada da economia no estado, que autoriza apenas a abertura de comércios e serviços essenciais.

Neste novo decreto do prefeito Du Cazellato (PL) da regressão de Paulínia à etapa mais severa de retomada da economia no estado, pelos próximos 15 dias, a Prefeitura aumentou por decisão própria a lista de comércios e serviços essenciais que poderão funcionar durante a fase vermelha na cidade, incluindo alguns, da etapa seguinte (a laranja) – escritórios, imobiliárias, concessionárias e revendas de veículos -, e outros nem previstos ainda no Plano São Paulo, como os pesqueiros.

“O município de Paulínia integra a região de Campinas que, atualmente, se encontra na fase 1- vermelha do Plano SP e permite apenas a abertura de serviços essenciais”, reafirmou a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico. “O governo do Estado esclarece que dialoga para que as prefeituras sigam o decreto estadual do Plano para resguardar a vida da população e a retomada consciente da economia. Os municípios que desrespeitarem o protocolo de reabertura gradual da economia do estado estarão sujeitos a ações propostas pelo Ministério Público.”

Na atualização desta sexta-feira do Painel São Paulo, a região do DRS VII continuou na fase vermelha do plano de retomada da economia do estado em função da evolução dos casos da Covid-19, das mortes pela doença e da ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nos 42 municípios que formam o bloco regional. A próxima reclassificação está prevista para ocorrer no próximo dia 24. O governo estadual também anunciou nesta tarde a prorrogação da quarentena devido à Covid-19 até o dia 30 de julho nas 645 cidades paulistas.

 Até a tarde de quinta-feira (9), os 42 municípios do DRS VII somavam 29.087 casos confirmados do novo coronavírus (+2.266 em relação à terça) e 1.123 óbitos pela doença (+86 também em comparação ao dia 7). A taxa de ocupação de leitos de UTI subiu no período de 80,2% para 80,4%. Nessa região do estado, há 18 vagas de terapia intensiva por 100 mil habitantes, conforme o boletim completo da Secretaria de Estado da Saúde.

O hospital municipal de Paulínia, até as 9h30 desta sexta-feira, contava com 29 pacientes suspeitos e positivos para a Covid-19. Um caso positivo seguia no Pronto-Socorro. A UTI tinha nove leitos ocupados – um além de sua capacidade de funcionamento, conforme servidores da linha de frente do combate à pandemia (são 14 instalados, mas oito que podem receber doentes de quaisquer complicações devido ao número reduzido de funcionários no local). A Prefeitura garante que são 10 para a pandemia.

Os pacientes positivos e negativos para o novo coronavírus do hospital municipal de Paulínia estavam nesta sexta-feira:

  • nove na UTI – mais de 100% – apesar de ter recebido 10 respiradores no último dia 15 do governo do estado, o município não anunciou o aumento de leitos de UTI na rede; já o processo seletivo do final de abril feito pela Prefeitura e que permitiria a contratação de funcionários para o uso imediato dos 14 leitos de UTI instalados no hospital municipal foi cancelado pelo governo municipal (um novo processo foi aberto terça-feira, dia 7);
  • sete na Unidade Respiratória, que possui sete leitos; e
  • 12 na Enfermaria Respiratória, que conta com oito leitos, mas que, segundo a Prefeitura, podem ser ampliados sempre que necessário; e
  • um no Pronto-Socorro.
Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.