Ir para conteúdo

[Plano SP]
Quatro dias após início da reclassificação, Paulínia volta à fase vermelha

Cidades do Departamento Regional de Saúde VII estão na etapa mais restritiva desde 2ª-feira; Paulínia seguiu até esta quinta por conta própria na laranja

9 jul 2020 – 20h40
Paulínia tinha até esta quinta-feira 1.258 casos da Covid-19 e 14 óbitos pela doença (Foto: RT Imagens)

APrefeitura de Paulínia informou no início da noite desta quinta-feira (9) que o município vai voltar para a fase mais restritiva da retomada gradual e regionalizada da economia no estado. “Seguindo determinação do governo estadual, Paulínia regressa à fase vermelha do Plano São Paulo a partir desta sexta-feira, 10”, revelou. Conforme boletim epidemiológico desta manhã, a cidade tinha 1.258 casos da Covid-19 e 14 óbitos desde o início da pandemia.

O passo atrás é dado pela Prefeitura quatro dias depois dos municípios do Departamento Regional de Saúde VII, da qual Paulínia faz parte com outras 41 cidades, terem iniciado a fase vermelha, com o funcionamento apenas de serviços considerados essenciais. O Decreto 7.840, de 9 de julho, foi publicado na edição 1.511 do Semanário Oficial desta quinta-feira.

O governo municipal não explicou por que permaneceu na fase laranja até quinta-feira, permitindo também abertura de lojas de rua, shopping, imobiliárias, escritórios em geral, concessionárias e revendas de veículos na cidade; e muito menos revelou o que mudou nesses quatro dias ou o fez aceitar a determinação do governo do estado.

“Com a regressão à fase 1, somente os comércios essenciais poderão funcionar. Serviços e comércios não essenciais estão suspensos por 15 dias. O prazo poderá ser revisto conforme dados epidemiológicos da Secretaria Municipal de Saúde”, destacou a Prefeitura. Nesta sexta-feira, o governo estadual pode fazer nova reclassificação das regiões do estado e permitir modificações conforme o avanço da Covid-19, dos óbitos e da ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O novo decreto da Prefeitura aumentou a lista de comércios e serviços essenciais que poderão funcionar durante esta fase vermelha em Paulínia, incluindo alguns, da etapa seguinte (laranja) – escritórios, imobiliárias, concessionárias e revendas de veículos -, e outros nem previstos ainda no Plano São Paulo, como pesqueiros. Segundo o governo municipal, podem funcionar na cidade:

  • Saúde: hospitais; clínicas médicas, odontológicas, de fisioterapia, de psicologia, de vacinação e veterinárias; farmácias; óticas; laboratórios de análises clínicas; lavanderias e serviços de limpeza e hotéis;
  • Alimentação: supermercados e congêneres (mercearias, açougues, peixarias, pesqueiros); estabelecimentos de alimentação de animais, bem como os serviços de entrega (delivery) e “drive thru” de bares, restaurantes, padarias e lojas de conveniência;
  • Abastecimento: transportadoras; serviços de entrega de mercadorias; postos de combustíveis e derivados; distribuidora de água e gás; oficinas de veículos automotores; lojas de material de construção; empresas de locação de veículos e concessionárias de venda e revenda de veículos automotores;
  • Segurança: serviços de segurança pública e privada;
  • Serviços: oficinas de conserto de eletrodomésticos e eletrônicos; oficinas de costura, loja de aviamentos e tecidos; escritórios de contabilidade, advocacia, administração e consultoria; serviços imobiliários; serviços de jardinagem; serviços de inspeção veicular; serviços de despachante; serviços de lava-jato e limpeza veicular; borracharia; serviços de guinchos; correspondentes bancários;
  • Comunicação social: meios de comunicação social, inclusive eletrônica, executada por empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens, serviços de call center.
Pelo plano São Paulo, na fase vermelha podem funcionar:
  • Saúde: hospitais, clínicas, farmácias, clínicas odontológicas, lavanderias e estabelecimentos de saúde animal.
  • Alimentação: supermercados, hipermercados, açougues e padarias, lojas de suplemento, feiras livres. É vedado o consumo no local.
  • Bares, lanchonetes e restaurantes: permitido serviços de entrega (delivery) e que permitem a compra sem sair do carro (drive thru). Válido também para estabelecimentos em postos de combustíveis.
  • Abastecimento: cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis e lojas de materiais de construção.
  • Logística: estabelecimentos e empresas de locação de veículos, oficinas de veículos automotores, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos.
  • Serviços gerais: lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica de produtos eletroeletrônicos e bancas de jornais.
  • Segurança: serviços de segurança pública e privada.
  • Comunicação social: meios de comunicação social, inclusive eletrônica, executada por empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens.
  • Construção civil, agronegócios e indústria: sem restrições.
Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.