Ir para conteúdo

[Covid-19]
Paulínia registra mais de 100 infectados de uma só vez pelo 2º dia seguido

Boletim diário da Prefeitura desta quarta-feira trouxe outros 105 casos em 24 horas; hospital de campanha da Capital vai receber pacientes da região

8 jul 2020 -13h47
Total de exames descartados para a Covid-19 é de 712, de acordo com a Prefeitura (Foto: Agência Brasil)

Após bater recorde do número de casos da Covid-19 registrados de uma só vez (126 na terça-feira, dia 7), Paulínia voltou nesta quarta-feira (8), pelo segundo dia consecutivo, a adicionar mais de 100 infectados ao seu boletim epidemiológico em 24 horas. Com 105 novos contaminados, a cidade chegou a 1.198 – mesmo assim, 128 a menos do contabilizado na cidade pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde: 1.327, até terça-feira. O total de recuperados no município subiu de 641 para 677 (+36).

Nas últimas 24 horas, a situação do Hospital Municipal de Paulínia “Vereador Antônio Orlando Navarro” continuou a mesma: 26 internados em decorrência da Covid-19. Até as 9h30 desta quarta-feira, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) tinha nove leitos ocupados, um além de sua capacidade máxima de funcionamento. Conforme servidores da linha de frente do combate à pandemia, são 14 instalados, mas oito que podem receber doentes de quaisquer complicações devido ao número reduzido de funcionários. A Prefeitura sustenta que são 10 para a pandemia.

A partir desta quinta-feira (9), o hospital de campanha montado no Complexo do Ibirapuera, na zona sul da cidade de São Paulo, vai começar a receber pacientes da região. A unidade Covid-19 começou a funcionar no último dia 1º de maio e está com baixa ocupação. No local, há 240 leitos de enfermaria e 28 de UTI – quatro destes estavam ocupados nesta quarta. As vagas serão gerenciadas por uma central do governo do estado e as transferências ficarão a cargo das prefeituras. O anúncio foi feito pelo governador do estado.

Os pacientes positivos e negativos para o novo coronavírus do hospital municipal de Paulínia estavam nesta quarta-feira:

  • nove na UTI – mais de 100% – apesar de ter recebido 10 respiradores no último dia 15 do governo do estado, o município não anunciou o aumento de leitos de UTI na rede; já o processo seletivo do final de abril feito pela Prefeitura e que permitiria a contratação de funcionários para o uso imediato dos 14 leitos de UTI instalados no hospital municipal foi cancelado pelo governo municipal (um novo processo foi aberto terça-feira);
  • seis na Unidade Respiratória, que possui sete leitos; e
  • 11 na Enfermaria Respiratória, que conta com oito leitos, mas que, segundo a Prefeitura, podem ser ampliados sempre que necessário.

Ao contrário das cidades do Departamento Regional de Saúde VII que foram rebaixadas para fase 1 – vermelha e estão pelo terceiro dia na etapa mais restritiva do Plano São Paulo de retomada gradual e regionalizada da economia, com abertura só de comércios e serviços essenciais, Paulínia, que também faz parte desse bloco regional, segue por contra própria na fase 2 – a laranja. O prefeito Du Cazellato (PL) não publicou decreto retroagindo a flexibilização no município, como determinou o governo do estado, e permite o funcionamento de escritórios em geral, lojas de rua, imobiliárias, concessionárias e revendas de veículo.

Excluídos curados (677) e mortos (14) do total de infectados (1.198), Paulínia tinha, até esta quarta-feira, 507 pacientes com a doença ativa – 16 internados e 491 em isolamento domiciliar com acompanhamento da Secretaria Municipal de Saúde. Outras 693 pessoas, que ainda aguardavam resultados de exames para confirmação ou não da Covid-19, também eram monitoradas por equipes da saúde no município. Até a tarde de terça-feira, a DRS VII possuía 26.821 casos confirmados da Covid-19 (+1.385 em relação à segunda) e 1.037 óbitos (+42). A taxa de ocupação de leitos de UTI subiu de 80,2% para 80,3%.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.