Ir para conteúdo

[Relaxamento]
Paulínia ignora reclassificação do governo estadual e segue na fase laranja

Desde segunda-feira, 42 municípios que compõem a DRS VII regrediram para a etapa mais rígida do Plano São de reabertura da economia

7 jul 2020 – 11h35
Avenida José Paulino, por volta das 11h desta quarta-feira: lojas abertas antes mesmo das 12h (Foto: Divulgação)

No terceiro dia do rebaixamento dos municípios do Departamento Regional de Saúde VII para a fase 1 – vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo de reabertura gradual e regionalizada da economia, Paulínia segue na etapa 2 – a laranja, que libera funcionamento com 20% da capacidade de escritórios em geral, imobiliárias, comércio de rua, shoppings e concessionárias, ignorando determinação do governo do estado.

Segundo o Ministério da Saúde, responsável pelos dados oficiais da Covid-19 no Brasil, Paulínia tinha até a tarde de terça-feira (7), 1.327 casos confirmados da Covid-19 (118 incluídos às estatísticas apenas em 24 horas) e 14 óbitos – um que foi adicionado na última segunda-feira (6) acabou retirado nesta terça. A cidade possuía mais casos da doença acumulados a cada 100 mil habitantes (1.213) do que Campinas (835), estado de São Paulo (725) e o próprio País (794).

Desde quando Paulínia foi reclassificada pelo governo do estado para a fase vermelha, junto com outros 41 municípios da DRS VII, na última sexta-feira (3), o prefeito Du Cazellato (PL), o secretário municipal de Saúde, Fábio Luiz Alves, e o Comitê de Enfrentamento e Prevenção ao Coronavírus não se manifestaram contra ou a favor da medida nem revogaram o decreto que colocou a cidade na fase laranja.

Até a publicação deste texto, o decreto que deveria regulamentar Paulínia na fase vermelha do Plano São Paulo, com funcionamento somente de comércios e serviços essências, não havia sido publicado pelo prefeito. Lojas de ruas, concessionárias, revendas de veículos e escritórios em geral seguiam abertos no município, que vive a escalada da Covid-19, de internações no Hospital Municipal “Vereador Antônio Navarro” e mortes pela pandemia.

Até as 9h30 desta terça-feira, pelo boletim epidemiológico diário da Prefeitura de Paulínia, que está atrasado em relação aos dados oficiais dos governos federal e estadual (tem 234 contaminados a menos), a cidade possuía 1.093 moradores testados positivos para a Covid-19, 14 mortos e 26 internados – nove na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital municipal. Há um mês eram 178 infectados, três óbitos e 11 hospitalizados (três na UTI).

O governo do estado informou que a Secretaria de Desenvolvimento Regional, por intermédio do secretário Marco Vinholi, dialoga com os prefeitos “para bom entendimento das ações de combate ao coronavírus e cumprimento do Plano São Paulo. O Departamento Regional de Saúde (DRS) VII de Campinas está classificado na fase 1, vermelha, onde é permitida a abertura apenas dos serviços essenciais. Os decretos e ações dos municípios precisam observar a classificação dada pelo Plano São Paulo, que foi baseada no panorama de evolução da doença e na capacidade de atendimento da saúde pública nas suas regiões. As prefeituras devem respeitar a determinação estadual.”

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.