Ir para conteúdo

[Avanço]
São Paulo ultrapassa México no total de mortes pelo novo coronavírus

Paulínia tem um óbito pela Covid-19; no estado todo, 4.782 pessoas já faleceram com doença – uma quantidade maior que a do país latino

17 mai 2020 – 18h35
Hospital de campanha Covid-19, no complexo esportivo do Ibirapuera, em São Paulo (Foto: Divulgação)

Mais de mil pessoas morreram em decorrência do novo coronavírus na última semana, no estado de São Paulo. Neste domingo (17), o total é de 4.782 óbitos, contra 3.709 no dia 10 de maio, segundo balanço do governo estadual. O número de vítimas fatais superou o total de mortos em todo o México – segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), foram 4.767 mortes no País até o momento. Em Paulínia, há um óbito confirmado e outro em investigação.

Neste domingo, o boletim epidemiológico do Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus em Paulínia trouxe praticamente os mesmos números de sábado (17): 66 moradores com exames positivos para Covid-19, 35 curados, sete internados no Hospital Municipal “Vereador Antônio Orlando Navarro”. A única diferença foi um caso suspeito descartado: agora, são 161. Os exames que deram negativos para a doença somam 204.

O Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP), do governo de São Paulo, revelou que a taxa de isolamento social em Paulínia foi de 47% neste sábado (16). Trata-se do menor índice registrado na cidade para este dia da semana desde o início da quarentena. Neste domingo, a Guarda Municipal precisou dispersar um evento irregular que aglomerava pessoas em frente ao Theatro Municipal “Paulo Gracindo”. Em uma semana a doença cresceu 57% no município.

A Região Metropolitana de Campinas (RMC) registrou mais duas mortes pela Covid-19 e soma 86 óbitos até este domingo. Indaiatuba confirmou a 13ª morte: um homem de 68 anos, que estava internado no Hospital Augusto de Oliveira Camargo, desde o dia 14 passado. Segundo a Prefeitura, a vítima fatal possuía diabetes e hipertensão. Sumaré, por sua vez, teve o quinto óbito e até a publicação deste texto não havia revelado detalhes do falecimento.

No estado de São Paulo, na última semana, foram confirmadas 16.901 novas infecções, chegando ao total de 62.345 com diagnóstico da Covid-19. Com isso, o número de casos no estado agora é 38% maior que o total verificado no território mexicano – de acordo com a OMS, são 45.032 casos no país latino. Em 10 de maio, São Paulo registrava 45.444 infectados.

No momento, o estado tem pelo menos uma pessoa infectada em 463 cidades, e há no mínimo um óbito correspondente a 213 municípios. A taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) reservados para atendimento de pacientes decorrentes da Covid-19 é de 73,9% no estado e 92,2% na Grande São Paulo.

Entre as vítimas fatais, estão 2.832 homens e 1.950 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 72,9% das mortes. Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (58,6% dos óbitos), diabetes mellitus (43,6%), doença neurológica (11,4%), doença renal (10,8%) e pneumopatia (9,7%).

A Prefeitura de São Paulo decidiu suspender as restrições mais amplas de circulação de veículos a partir desta segunda-feira (18). A medida deve ser publicada em edição extra do Diário Oficial, informou o prefeito Bruno Covas. Com a mudança, o rodízio volta a ser como era antes da pandemia. A restrição é definida de acordo com o número final da placa do veículo e o dia da semana.

Confira como funcionará o rodízio a partir desta segunda-feira (18) na Capital paulista:

Segunda-feira – veículos com finais de placa 1 e 2 estão proibidos de circular;

Terça-feira – 3 e 4;

Quarta-feira – 5 e 6;

Quinta-feira – 7 e 8; e

Sexta-feira – 9 e 0;

O Brasil registrou 485 novas mortes pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, totalizando 16.118. Até sábado, eram 15.633 mortes notificadas. A letalidade (número de mortes pela quantidade de casos confirmados) da doença no País está em 6,7%, a mesma de sábado.

O País teve 7.938 novos casos confirmados e chegou ao total de 241.080. Até o sábado, eram 233.142 infectados. O número de recuperados, de acordo com o boletim diário do Ministério da Saúde, chegou a 94.122, 39% do total de infectados. Outros 130.840 casos (54,3%) estão em acompanhamento. Há ainda 2.450 mortes em investigação.

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no País, concentrando o maior número de mortes (4.782). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (2.715), Ceará (1.641), Pernambuco (1.516) e Amazonas (1.413).

No Brasil foram registradas mortes no Pará (1.239), Maranhão (549), na Bahia (295), no Espírito Santo (285), em Alagoas (210), na Paraíba (194), em Minas Gerais (156), no Rio Grande do Norte (139), Rio Grande do Sul (142), Paraná (124), Amapá (119), Santa Catarina (83), Sergipe (77), Rondônia (74), Piauí (72), Goiás (70), Acre (60), Distrito Federal (59), Roraima (51), Mato Grosso (27), no Tocantins (31) e Mato Grosso do Sul (15).

São Paulo tem o maior número de casos confirmados (62.345), seguido de Ceará (24.255), Rio de Janeiro (22.238), Amazonas (20.328), Pernambuco (19.452), Pará (13.864), Maranhão (12.492), Bahia (8.443), Espírito Santo (6.744) e Santa Catarina (4.776).

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.