Anúncios
Ir para conteúdo

[Evolução]
Paulínia tem mais duas mortes suspeitas e chega a 50 casos da Covid-19

No total, município investiga três óbitos em decorrência do novo coronavírus, de acordo com boletim epidemiológico diário desta terça-feira

12 mai 2020 – 20h26
Há 47.719 pessoas infectadas em todo o estado de SP, sendo 19.037 fora da Capital (Foto: Divulgação)

OComitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus confirmou nesta terça-feira (12) que investiga mais duas mortes suspeitas pela Covid-19, em Paulínia. De acordo com o boletim epidemiológico diário, até as 15h30, a cidade também registrou o 50º caso de morador que testou positivo para a doença respiratória. Mais de 150 aguardam exames.

Uma das novas mortes investigadas trata de uma mulher de 93 anos, portadora de diabetes, doença pulmonar obstrutiva crônica e miocardiopatia crônica, que deu entrada no Hospital Municipal de Paulínia “Vereador Antônio Orlando Navarro”, na Enfermaria Respiratória, no domingo (10), após ter apresentado sintomas respiratórios. Na segunda (11), apresentou piora no quadro, de acordo com a Prefeitura, e evoluiu para óbito.

A segunda morte que entrou em investigação nesta terça-feira é de outra mulher, mas de 64 anos, portadora de neoplasia pulmonar. No dia 5, iniciou com sintomas de tosse e dispneia, sendo internada na Enfermaria Respiratória no dia 8, vindo a falecer na segunda-feira (11). Em ambos os casos foram colhidos exame swab (secreção nasal e bucal), seguindo as diretrizes do Ministério da Saúde, e encaminhado para análise no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo.

Paulínia ainda aguarda o resultado do exame de uma terceira morte em investigação que foi enviado ao Instituto Adolfo Lutz. Esse óbito foi divulgado pelo Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus no último dia 8 e se refere a uma mulher de 72 anos, portadora de doença crônica cardíaca e asma. Até as 15h30 desta terça-feira, o município tinha um caso confirmado de óbito de morador em decorrência da Covid-19.

“A Administração municipal se solidariza com os familiares e amigos”, ressaltou, por meio de nota, o governo municipal. “A Prefeitura informa que é essencial que todos sigam as orientações do Comitê de Prevenção e Enfrentamento do Coronavírus e reforça a necessidade do isolamento domiciliar, saindo somente para necessidades extremas, nunca deixando de usar máscara e higienizando as mãos sempre que possível.”

O boletim epidemiológico desta terça-feira trouxe a informação de mais dois moradores curados da Covid-19. Agora, são 27: 10 deles precisaram de atendimento hospitalar e 17 derrotaram o novo coronavírus com isolamento domiciliar e acompanhamento da Secretaria Municipal de Saúde. A ocupação de leitos destinados a Covid-19 caiu de seis para quatro nas últimas 24 horas. Dois casos suspeitos estão na Unidade de Terapia Intensiva e na Enfermaria Respiratória; e dois confirmados, na Enfermaria Respiratória.

O índice de isolamento social em Paulínia nesta segunda-feira (11) ficou em 47%, segundo o Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP), do governo de São Paulo. Desde o último dia 20 de abril, a cidade não atingi nem a marca de 50% em dias úteis – patina entre 45% e 48%. Esteve oito pontos percentuais abaixo do nível satisfatório (55%) e 23 atrás do índice considerado ideal (70%) para segurar a velocidade da disseminação da Covid-19.

A Prefeitura de Indaiatuba divulgou nesta terça-feira a 12ª morte pela Covid-19 na cidade e 73ª na Região Metropolitana de Campinas (RMC): um homem de 75 anos, que não possuía comorbidades e faleceu durante a madrugada no Hospital Augusto de Oliveira Camargo. Entre as 20 cidades do bloco regional, anunciaram novos casos de infectados pela doença municípios como Campinas (+45), Indaiatuba (+4), Pedreira (+1), Sumaré (+6) e Morungaba (+4).

Nas últimas 24 horas, 206 novas mortes pelo novo coronavírus foram confirmadas no estado de São Paulo, que registra nesta terça-feira um total de 3.949 vítimas fatais da Covid-19. Cerca de 39% ocorreram em cidades do Interior, Litoral e Grande São Paulo, totalizando 1.544 óbitos até esta tarde. Há também 47.719 pessoas infectadas em todo o estado, sendo 19.037 fora da Capital.

Das 645 cidades de São Paulo, 424 têm um ou mais casos confirmados e houve pelo menos uma morte em 186 delas. Atualmente, há 9,9 mil pacientes internados em SP, sendo 3.818 em UTI e 6.083 em enfermaria. A taxa de ocupação dos leitos de UTI reservados para atendimento a Covid-19 é de 69,1% no estado de São Paulo e 85,7% na Grande São Paulo.

Entre as vítimas fatais, estão 2.324 homens e 1.625 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 73,1% das mortes. Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (59,4% dos óbitos), diabetes mellitus (43,9%), doença neurológica (11,4%), doença renal (11,1%) e pneumopatia (9,8%).

Sobre o decreto do presidente Jair Bolsonaro que incluiu na noite de segunda-feira (11) salões de beleza, barbearias e academias de ginástica na lista de atividades essenciais durante a pandemia da Covid-19, a assessoria do governo de São Paulo informou, por meio de nota, que o decreto federal está sendo analisado e que o próprio governador João Doria (PSDB) se manifestará sobre o assunto em entrevista marcada para esta quarta-feira (13).

O Brasil teve 881 novos registrados de mortes nas últimas 24 horas e chegou a 12,4 mil. O resultado representou um aumento de 7,6% em relação à segunda-feira, quando foram contabilizados 11.519 falecimentos pela Covid-19. O balanço diário foi divulgado no início desta noite pelo Ministério da Saúde. Os novos casos confirmados foram 9.258, totalizando 177.589. O resultado marcou um acréscimo de 5,4% em relação à segunda-feira, quando o número de pessoas infectadas estava em 168.331.

Do total de casos confirmados, 92.593 (52,1%) estão em acompanhamento e 72.597 (40,9%) foram recuperados. Há ainda 2.050 mortes em investigação. São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no País, concentrando o maior número de falecimentos (3.949). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (1.928), Ceará (1.280), Pernambuco (1.157) e Amazonas (1.098).

Além disso, foram registradas mortes no Pará (864), Maranhão (423), Bahia (225), Espírito Santo (212), Paraíba (154), Alagoas (150), Minas Gerais (127), Paraná (113), Rio Grande do Sul (111), Rio Grande do Norte (93), Amapá (86), Santa Catarina (73), Goiás (52), Acre (51), Rondônia (50), Piauí (49), Distrito Federal (46), Sergipe (37), Roraima (50), Mato Grosso (19), Tocantins (14) e Mato Grosso do Sul (11).

Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, o secretário-substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário, apresentou a nova plataforma de disponibilização de dados sobre a pandemia. O site continuou disponibilizando dados atualizados diariamente de casos confirmados, mortes e a letalidade (número de falecimentos por pessoas infectadas).

Essas informações são detalhadas por região e por estado. Foram adicionadas novas informações, como o número de recuperados e a mortalidade. Os recuperados passaram a ser informados diariamente desde a troca no comando do Ministério da Saúde.

Na plataforma, são publicados também dados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), grupo de infecção onde a Covid-19 se insere. Contudo, deixaram de ser atualizados diariamente os números totais de hospitalizados por SRAG, hospitalizados com Covid-19 e hospitalizados com SRAG em investigação.

 Eduardo Macário informou que há 39 casos identificados no sistema de informação nacional antes do primeiro dia, 26 de fevereiro. O Ministério da Saúde pediu para que secretarias estaduais façam investigação mais detalhada para analisar como se deram esses casos e transmissão.

“No Sivep gripe temos mais de 100 mil casos nesses primeiros quatro meses. Queremos entender melhor, (para saber) se trata-se de erros de digitação. Para nos certificarmos que se tratam de casos, precisamos da contribuição das secretarias estaduais e municipais”, disse o secretário.

Profissionais de saúde

A secretária de gestão do trabalho do Ministério da Saúde, Mayra Ribeiro, anunciou que a pasta começará um levantamento dos profissionais de saúde contaminados e mortos em razão da Covid-19. A equipe do ministério comentou que pretende lançar um boletim epidemiológico com o detalhamento sobre a situação desses profissionais. Até o momento, há 884 trabalhadores da área registrados no sistema como Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), sendo 276 hospitalizados.

Ela informou que o programa de recrutamento de trabalhadores de saúde Brasil Conta Comigo já cadastrou 931 mil pessoas. Deste total, 431 mil já se dispuseram a atuar em estados e cidades que tenham esta demanda. O primeiro município a solicitar auxílio foi Manaus, para onde foram enviados 377 profissionais.

Mayra informou que começou a ser disponibilizado para os profissionais um apoio psicológico. Entre os trabalhadores enviados a Manaus, em 6% já foram encontradas situações de ansiedade e depressão. “Temos que ter cuidado com nossos profissionais para que estejam aptos a enfrentar a pandemia. Eles precisam de mais suporte emocional para continuar atuando”, observou a secretária.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Anúncios

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.