Ir para conteúdo

[Paulínia]
Internações em decorrência da Covid-19 crescem no hospital municipal

Boletim epidemiológico do Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus deste domingo revela que são 5 casos suspeitos e 1 confirmado

10 mai 2020 – 19h12
Cidade aguarda resultados de exames enviados para análise no Instituto Adolfo Lutz (Foto: Divulgação)

Onúmero de internações em decorrência da Covid-19, doença respiratória causada pelo novo coronavírus, cresceu no Hospital Municipal de Paulínia “Vereador Antônio Orlando Navarro”. Segundo o boletim epidemiológico diário do Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus, até as 15h30 deste domingo (10), seis pacientes ocupavam leitos destinados à pandemia.

De acordo com o comitê de enfrentamento, dos seis pacientes internados no hospital municipal por causa do novo coronavírus, cinco estão com suspeitas de contaminação: um na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e quatro na Enfermaria Respiratória. Há um caso já confirmado da Covid-19 na Unidade Respiratória. No sábado (9), o total de leitos ocupados com doença era cinco.

O boletim epidemiológico deste domingo se manteve igual ao de sábado quanto a mortes confirmadas (1), óbitos suspeitos (1), curados (23), casos descartados (173), notificações suspeitas (145), moradores infectados (42) e testes rápidos aplicados (49). A Prefeitura de Paulínia comprou 20 mil deles.

Na medida que sobe o total de infectados e de internações, Paulínia experimenta uma queda na adesão à quarentena. Neste sábado (9), a cidade atingiu a segunda menor taxa de isolamento social já verificada para este dia da semana: 50%, de acordo com o monitoramento do governo estadual. O nível mais baixo desde o início da quarentena para um sábado foi registrado no dia 8 de abril: 49%.

Quando a quarentena teve início no estado, dia 24 de março, a taxa nos finais de semana e feriados em Paulínia chegou a atingir 63%, valor máximo alcançado no dia 29 de março. Aos sábados, o índice ficava entre 52 e 59%. Em dias úteis, o patamar de isolamento social não supera mais 50% no município.

O governo paulista considerava satisfatória uma taxa acima de 50%, mas, com o avanço da doença pelo estado, o mínimo considerado satisfatório nos últimos dias passou a ser 55%. A taxa ideal é acima de 70%, o que ajudaria a diminuir a propagação da doença e impedir um colapso no sistema de saúde.

 Desde sábado, as Prefeituras das 20 cidades que compõem a Região Metropolitana de Campinas (RMC) não divulgam mortes em decorrência do novo coronavírus. O bloco regional tem 65 óbitos confirmados pela doença. Novos casos da Covid-19 surgiram neste domingo em Sumaré (+4) e Hortolândia (+5). Itatiba voltou a notificar uma morte suspeita.

Neste domingo, o estado de São Paulo registra 3.709 mortes pelo novo coronavírus, com 101 desde sábado. Há também 45.444 casos confirmados em todo o estado. Das 645 cidades de SP, 412 têm pelo menos um caso confirmado da Covid-19, e um ou mais óbitos ocorreram em 177 municípios. Cerca de 300 internações ocorreram nas últimas 24 horas.

Conforme o governo estadual, são mais de 9,8 mil pacientes internados em SP, neste domingo, sendo 3.909 em UTI e 5.938 em enfermaria. A taxa de ocupação dos leitos de UTI reservados para atendimento a Covid-19 é de 67,9% no estado de São Paulo e 83,3% na Grande São Paulo.

Entre as vítimas fatais, estão 2.174 homens e 1.535 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 73,1% das mortes. Fora desse grupo de idosos, há também alta mortalidade entre pessoas de 50 a 59 anos (495 do total), seguida pelas faixas de 40 a 49 (276), 30 a 39 (158), 20 a 29 (34) e 10 a 19 (9), e três com menos de 10 anos.

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (58,7% dos óbitos), diabetes mellitus (43,8%), doença neurológica (11,3%), doença renal (11%) e pneumopatia (10,1%). Outros fatores identificados são imunodepressão, obesidade, asma e doenças hematológica e hepática.

O Brasil chegou a 11.123 mortes pela Covid-19 neste domingo. Segundo dados do Ministério da Saúde divulgados no início da noite, são 162.699 casos confirmados, sendo 6.760 registrados nas últimas 24 horas. O número de mortes registrado no mesmo período foi de 496.

Ainda segundo o ministério, 64.957 pessoas se recuperaram e 1.892 mortes estão em investigação. São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no País, concentrando o maior número de mortes (3.709). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (1.714), Ceará (1.114), Pernambuco (1.047) e Amazonas (1.004).

São Paulo também lidera em número de casos, com 45.444 confirmações, seguido pelo Rio de Janeiro, com 17.062 casos. Ceará, com 16,6 mil, Pernambuco, com 13,2 mil, e Amazonas, com 12,5 mil, são os estados com mais de 10 mil casos registrados.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.