Ir para conteúdo

[Pandemia]
SP relaxará quarentena apenas em cidades com isolamento acima de 50%

Início das medidas de relaxamento está previsto para dia 11; neste domingo, Paulínia registrou taxa de 61%, patamar acima da média dos dias úteis

4 mai 2020 – 16h
Rotatória da Avenida Prefeito José Lozano de Araújo, próximo à Prefeitura (Foto: RT Imagens)

Ogovernador João Doria (PSDB) avisou nesta segunda-feira (4) que as cidades que não atingirem taxas satisfatórias de adesão à quarentena e se mantiverem abaixo de 50% não vão participar do plano de relaxamento das medidas de isolamento social, previstas para ter início no próximo dia 11, quando se encerrará o período de quarentena nos 645 municípios do estado de São Paulo.

“Não havendo índice superior a 50%, cidades estarão automaticamente excluídas de relaxamento”, disse Doria. Durante o período de quarentena, somente os serviços considerados essenciais – como logística, segurança pública, saúde e abastecimento –, têm funcionamento permitido no estado.

O isolamento social alcançou índice de 61% em Paulínia neste domingo (3). O estado de São Paulo registrou 59%. Na Capital, a adesão à quarentena ficou em 58%. O ideal é o patamar acima de 70%, mas o governo paulista considera satisfatórias taxas entre 50% e 60%, para diminuir a velocidade da transmissão da Covid-19, doença respiratória provocada pelo novo coronavírus.

Os índices de adesão dos paulinenses à quarentena que são verificados aos finais de semana e feriados estão acima do patamar satisfatório estabelecido pelo governador de São Paulo. Mas durante os dias úteis têm sistematicamente ficado abaixo do nível de 50%. Confira as medições feitas pelo governo estadual na cidade no gráfico publicado nesta página.

De acordo com Doria, a quarentena adotada em São Paulo tem ajudado a diminuir a propagação do vírus. Se não fosse isso, haveria atualmente 10 vezes mais mortes que as ocorridas até o momento, afirmou o governador.  “Se não tivéssemos feito o isolamento, São Paulo teria mais de 26 mil mortes. Ajudamos a salvar vidas de brasileiros em São Paulo”, disse Doria, em entrevista no Palácio dos Bandeirantes.

O governador reafirmou que não cederá a pressões partidárias ou de empresários para encerrar a quarentena no estado. Segundo Doria, a quarentena só será encerrada após a aprovação da ciência e da medicina. “Em São Paulo só faremos aquilo que a ciência e a medicina determinarem”, afirmou.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.