Ir para conteúdo

[Saúde]
Samaritano vai testar uso de hidroxicloroquina em pacientes com Covid-19

Unidade de Campinas é a única particular da região metropolitana selecionada para participar de estudos que envolvem 80 hospitais do País

20 abr 2020 – 15h30
Hospital Samaritano Campinas: unidade se preparou para o enfrentamento da Covid-19 (Foto: Divulgação)

OHospital Samaritano Campinas juntou esforços com o Instituto de Pesquisa Clínica de Campinas, que realiza estudos clínicos na área de medicina, para testar o uso da hidroxicloroquina – medicação para malária –, e da azitromicina (antibiótico) para o tratamento em pacientes com Covid-19. O hospital é o único privado na Região Metropolitana de Campinas (RMC) selecionado para a realização dos testes.

Os estudos são comandados pelo cardiologista José Francisco Kerr Saraiva, que é diretor do Instituto de Pesquisa Clínica de Campinas em conjunto com médicos do Hospital Samaritano Campinas. Saraiva é também professor da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC- Campinas), diretor da Sociedade Brasileira de Cardiologia e ex-secretário de Saúde de Campinas. Os testes têm início nos próximos dias.

Segundo o coordenador médico da Unidade Coronariana e UTI Respiratória do Samaritano Campinas, Hugo Bertipaglia, o hospital vai participar dos testes em conjunto com o Hospital Albert Einsten. “A escolha pelo nosso hospital é em razão de já realizarmos estudos clínicos internacionais há alguns anos”, explicou. “O Samaritano Campinas sempre ajuda a população da região oferecendo o que há de mais moderno e tecnológico na medicina atual.”

Saraiva destacou a infraestrutura do hospital. “O Samaritano é referência em Campinas e tem uma política assistencial. Está apto a tratar pacientes com Covid-19 e um dos poucos hospitais na cidade que optou por montar um a infraestrutura adequada para esses pacientes com Pronto-Socorro, Ala de Internação e UTI Respiratórios”, falou. “Dentro de todo esse cenário, nada mais justo do que convidar o hospital para participar do estudo junto com mais de 80 hospitais no País.”

Segundo o diretor do Instituto de Pesquisa, a ideia é que 1,2mil pacientes participem dos testes. Um deles engloba o uso da hidroxicloroquina com a azitromicina e outro só o uso da hidroxicloroquina. “Como todo medicamento, há efeitos colaterais. Os medicamentos só serão administrados nos pacientes com o consentimento deles ou autorização das famílias” explicou. Os resultados devem sair entre 60 e 90 dias.

“Essa droga funciona na diminuição da replicação viral, ou seja, ela diminui o aumento da quantidade de vírus dentro do organismo”, falou Bertipaglia. Poderão fazer uso dos medicamentos os pacientes internados com Covid-19 com idade acima de 18 anos.

Ambos os médicos estão com grandes expectativas. “Esperamos que os medicamentos nos ajudem no combate à doença e tire todo esse sofrimento e angústia nesses tempos tão difíceis”, disse o responsável pela UTI Respiratória. “Em meio a toda essa pandemia é necessário estudos de tratamentos que possam nos dar respostas científicas. É uma iniciativa muito boa e que traz esperanças aos pacientes”, afirmou Saraiva.

Preparado

Para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, o Hospital Samaritano Campinas se preparou para atender e tratar os pacientes. A unidade abriu um Pronto-Socorro Respiratório separado do Pronto-Socorro Geral, montou uma Ala de Internação Respiratória com 16 leitos e uma UTI Respiratória com 13 leitos. Esses leitos foram adicionados aos já existentes no hospital.

Outro Hospital do grupo Samaritano que também foi preparado para atender os pacientes com Covid-19 é o Santa Ignês, em Indaiatuba. Nele, também foi aberto um Pronto-Socorro Respiratório separado do Pronto-Socorro Geral. O Hospital tem Ala de Internação Respiratória com 8 leitos e UTI Respiratória com 12 leitos. Os leitos são adicionais aos já existentes.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.