Ir para conteúdo

[Covid-19]
Governador prorroga quarentena em todo o Estado de SP até o dia 22 de abril

Período de distanciamento social estava previsto para terminar nesta terça-feira; serviços considerados não essenciais devem permanecer fechados

6 abr 2020 – 13h03
Governador João Dória durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes (Foto: Divulgação)

Ogovernador João Dória (PSDB) anunciou no início da tarde desta segunda-feira (6) a prorrogação por mais 15 dias da quarentena nos 645 municípios do estado de São Paulo. O período de distanciamento social estava previsto para acabar nesta terça-feira (7). Agora, será ampliado a partir desta quarta-feira (8) até o dia 22 de abril. A medida foi tomada como forma de reduzir a velocidade da disseminação da pandemia do novo coronavírus, causador da doença Covid-19.

Dória destacou que a quarentena deve ser cumprida por todos os prefeitos dos 645 municípios paulistas. Até o próximo dia 22, segue em vigor a determinação do fechamento de comércios e serviços não essenciais. Podem seguir funcionando os essenciais, nas áreas de saúde pública e privada, abastecimento, transportes públicos, alimentação, segurança, limpeza e bancos e lotéricas. As indústrias também poderão funcionar, com cuidados especiais para os funcionários, para evitar desabastecimento

Citando o papa Francisco e o economista Joseph Stiglitz, e dando espaço para depoimentos de médicos, com todos defendendo a importância de salvar vidas primeiro, o governador criticou os que defendem o fim do isolamento neste momento.

“Aqueles que me pressionam para agir contra meus princípios (para acabar com o isolamento): vocês estão preparados para assinar os atestados de óbitos de brasileiros, a preparar os caixões? Vocês que defendem aglomerações e minimizam a crise, vão enterrar as vítimas? O governo de São Paulo vai continuar agindo com base na ciência e na medicina”, disse ele. “Nós vamos proteger vidas. Nós vamos tratar de salvar vidas. Depois disso, vamos salvar a economia”, acrescentou.

O estado de São Paulo tem hoje 4.620 casos confirmados de coronavírus no estado, com 275 mortes.

“Nenhuma aglomeração de nenhuma espécie em nenhuma cidade de São Paulo será admitida. As Guardas Municipais ou Metropolitanas deverão agir e, se necessário, recorrer à Polícia Militar para que imediatamente possa haver a dissipação de qualquer movimento ou aglomeração de pessoas. Esta é uma deliberação que deverá ser rigorosamente seguida pela população do estado de São Paulo na defesa de suas vidas e de seus familiares”, acrescentou Doria.

Em São Paulo, o distanciamento social está tem ajudado a mitigar a transmissão de casos. As pessoas tem menos contato entre si e, com isso, a taxa de contágio pela Covid-19 caiu. Segundo estudo do Instituto Butantan em parceria com o Centro de Contingência, de acordo com os dados epidemiológicos disponíveis, antes das medidas de restrição a velocidade de transmissão do vírus era de uma para seis pessoas. Em 20 de março esse número caiu para uma para três. No dia 25, já era de uma para menos de duas. Mas somente quando a taxa for menor do que um para um poderá se dizer que a epidemia foi controlada.

A redução do contágio permitiu retardar o pico de internações nos hospitais da cidade de São Paulo, que ocorreria já na primeira semana de abril se nada tivesse sido feito. Conforme projeções do Instituto Butantan em parceria com a UnB (Universidade de Brasília), haveria mais doentes por coronavírus do que leitos necessários no SUS de São Paulo, e seria preciso acrescentar 20 mil novas vagas, das quais 6,5 mil de UTI. O sistema, portanto, iria colapsar.

Ainda conforme as informações do estudo, com 66% dos paulistanos em suas casas após 23 de março, houve expressiva redução de pacientes com quadros pulmonares internados em hospitais. Mas o isolamento diminuiu nos últimos dias. Em 2 de abril, era de 52,4% na cidade de São Paulo e de 51,8% no Estado.

“Esses resultados positivos reforçam a importância das medidas de afastamento social adotadas. A evolução da epidemia indica claramente que as medidas tem que ser mantidas, e a adesão da sociedade, reforçada. O Centro de Contingência avalia diariamente o impacto das medidas na mobilidade das pessoas, e a constatação é que ainda existe espaço para melhoria. Neste momento crítico da epidemia, a única medida efetiva ao nosso dispor é o distanciamento social”, afirma o médico David Uip.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia 

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.