Ir para conteúdo

[Boletim]
Paulínia confirma o quarto paciente infectado pelo novo coronavírus

Homem de 49 anos mora na cidade, apresentou sintomas leves em 14 de março e desde o dia 24 passado está na UTI de hospital em Campinas

1º abr 2020 – 21h08
Resultado do exame que confirmou o quarto caso da Covid-19 demorou 19 dias para ser divulgado (Foto: Divulgação)

OComitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus confirmou na noite desta quarta-feira (1º) o quarto caso da Covid-19 em Paulínia. O paciente infectado pelo novo coronavírus é um homem de 49 anos, que mora na cidade. Até as 18h, Paulínia figurava como o segundo município com maior número de pessoas com a Covid-19 na Região Metropolitana de Campinas (RMC), atrás apenas de Campinas.

De acordo com a Prefeitura, o quarto paciente com o novo coronavírus apresentou sintomas leves no último dia 14 de março, quando buscou atendimento em hospital privado de Campinas. Foi medicado e liberado no mesmo dia para isolamento domiciliar.

Apenas 19 dias depois, veio a divulgação de que esse homem havia testado positivo para a Covid-19. Nesse meio tempo, dia 20 passado, o paciente piorou e está, desde o dia 24, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital privado de Campinas. Seu estado de saúde é considerado grave.

A esposa do paciente é monitorada em isolamento domiciliar, em situação estável. O estado de saúde dos outros três infectados não foi informado pelo comitê. Com a quarta confirmação o número de casos suspeitos na cidade também subiu de 54 para 56, até as 18h desta quarta. O município investiga duas mortes suspeitas do novo coronavírus e não tem nenhum óbito causado pela doença.

O número de exames descartados não é divulgado no boletim epidemiológico da Prefeitura de Paulínia desde a última segunda-feira (30). Até domingo eram 15. A Administração municipal não explicou por que deixou de divulgar essa informação.

O Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus voltou a reforçar que é preciso manter o isolamento social e higienizar as mãos sempre que for necessário.

Nesta quarta-feira, a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa Civil divulgou que o estado de São Paulo tem um serviço gratuito à população com orientações sobre o novo coronavírus. Para receber as dicas no celular, o interessado deve enviar SMS com seu Cep para o número de telefone 40199. O SUS Paulínia também possui o WhatsApp (19) 99620-0202 para tirar dúvidas sobre a Covid-19. O serviço funciona 24 horas, inclusive, aos sábados e domingos.

Auxílio

A Secretaria de Assistência Social e Cidadania informou nesta tarde que ainda não tem informações do Ministério da Cidadania sobre como proceder para garantir o auxílio emergencial de R$ 600 que o governo federal dará pelos próximos três meses a profissionais informais, desempregados e microempreendedores da cidade. “O projeto está em fase de regularização”, explicou.

A administração municipal ressaltou que seus programas sociais em vigor sofreram alterações temporárias, como:

  • novos bloqueios ou suspensões de benefício do Programa Bolsa Família por averiguação/revisão cadastral estão interrompidos por quatro meses (120 dias). Quem já estiver com o dinheiro preso deve enviar nome completo e número do NIS por meio do e-mail cadastrounico@paulinia.sp.gov.br, pelos telefones (19) 3874-5763 ou 156, das 12h às 17h;
  • bloqueios e suspensões de Benefício de Prestação Continuada (BPC) por falta de inscrição no Cadastro Único não ocorrerão por quatro meses. Casos já bloqueados ou suspensos deverão entrar em contato por meio do e-mail cadastrounico@paulinia.sp.gov.br, pelos telefones (19) 3874-5763 ou 156, das 12h às 17h; e
  • o prazo para beneficiário do Programa Bolsa Família apresentar recurso sobre o descumprimento de condicionalidades foi prorrogado. Os benefícios bloqueados serão liberados em abril (parcela do mês). Se necessário apresentar o recurso para justificar o descumprimento e tentar o desbloqueio da parcela correspondente ao mês de março, deverá enviar nome completo, telefone, número do NIS e motivo do descumprimento (justificativa) para o e-mail cadastrounico@paulinia.sp.gov.br.
Campinas

A Secretaria Municipal de Saúde de Campinas anunciou nesta quarta-feira (1º) a segunda morte pela Covid-19 na cidade. A vítima é um homem de 62 anos. No momento há 39 casos confirmados, 82 descartados e 683 em investigação.

Na última segunda-feira (30) foi confirmada a primeira morte em razão da doença em Campinas. A vítima era um idoso de 86 anos, que tinha comorbidades. Ele morreu na madrugada do mesmo dia da confirmação.

RMC

O número de casos confirmados da Covid-19 na RMC subiu de 51 para 56 pacientes, de terça para esta quarta-feira. Registram novas ocorrências da doença Vinhedo (mais 1), Paulínia (1) e Campinas (3). Confira o balanço:

  • Paulínia – 4;
  • Campinas – 39;
  • Sumaré – 1;
  • Indaiatuba – 2;
  • Americana – 2;
  • Vinhedo – 2;
  • Valinhos – 3;
  • Hortolândia – 1;
  • Holambra – 1; e
  • Jaguariúna – 1.

A quantidade de mortes suspeitas pelo novo coronavírus na RMC também cresceu nas últimas 24 horas, de 18 para 20 com novos casos em apuração em Indaiatuba (mais 2). Veja os números:

  • Paulínia – 2;
  • Valinhos – 4;
  • Sumaré – 4;
  • Indaiatuba – 5;
  • Nova Odessa – 2
  • Campinas – 1;
  • Americana – 1; e
  • Pedreira – 1.

O estado de São Paulo registrou nesta quarta-feira (1º) 164 óbitos relacionados ao novo coronavírus, um aumento de 21% desde terça-feira (31). Foram confirmadas 28 mortes somente nesta tarde, com o maior aumento em números absolutos em um período de 24 horas.

Nesta quarta, houve confirmação do primeiro óbito em três cidades: São Sebastião, no Litoral Norte; Suzano, do Alto Tietê; e Cotia, na Grande São Paulo. Assim, salta para 16 o número de municípios com mortes pela doença: São Paulo, Guarulhos, Osasco, Embu das Artes, Ribeirão Preto, Santo André, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo, Sorocaba, Taboão da Serra, Campinas, Caieiras, Suzano, São Sebastião, Vargem Grande Paulista e Cotia.

Faixa

Entre as 164 mortes, 20 tinham mais de 90 anos; 50 na faixa de 80-89 anos; 45 entre 70-79; 32 de 60-59 anos. Outros 17 tinham idade equivalente ou inferior a 59 anos, todos com comorbidades que, assim como os idosos, representam grupo mais vulnerável a complicações da Covid-19. O total soma 96 homens e 68 mulheres.

“Diante do volume de notificações e da ampliação da capacidade de diagnóstico e seguindo o compromisso de manter a transparência, alteramos a metodologia de contabilização dos casos por faixas etárias”, explicou o secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann. O estado registra 2.981 casos confirmados até as 15h30 desta quarta-feira, um aumento de 27% com relação à terça.

Brasil

O número de casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus no País subiu para 6.836 nesta quarta-feira (1°), de acordo com os dados mais recentes do Ministério da Saúde. O número de mortes pela Covid-19 chegou a 241. O índice de letalidade ficou em 3,5%.

Na terça (31), o País contabilizava 201 óbitos e 5.717 casos confirmados da doença. Os novos casos somaram 1.119, um pouco menos do que os 1.138 novos no balanço ontem.

As mortes estão assim distribuídas pelos estados brasileiros: São Paulo (164), Rio de Janeiro (28), Ceará (8), Pernambuco (8), Piauí (4), Rio Grande do Sul (4), Paraná (3), Amazonas (3), Distrito Federal (3), Minas Gerais (3), Bahia (2), Santa Catarina (2), Rio Grande do Norte (2), Alagoas (1), Maranhão (1), Mato Grosso do Sul (1), Goiás (1), Paraíba (1) e Rondônia (1).

Bilhões

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta (1º) cerca de R$ 200 bilhões em medidas para socorrer trabalhadores e empresas e ajudar estados e municípios no enfrentamento aos efeitos da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. Serão editadas três medidas provisórias (MP) e sancionado o projeto que prevê o auxílio emergencial de R$ 600 para trabalhadores informais, autônomos e sem renda fixa.

O auxílio emergencial, segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, custará R$ 98 bilhões aos cofres públicos e deve beneficiar 54 milhões de brasileiros. “De forma que eles tenham recursos nos próximos três meses para enfrentar a primeira onda de impacto, que é a onda da saúde. Há uma outra onda vindo de desarticulação econômica que nos ameaça.”

Fundos

O governo federal também vai transferir R$ 16 bilhões para os fundos de participação dos estados e dos municípios. “É para reforçar essa luta no front, onde o vírus está atacando, os sistemas de saúde e segurança”, explicou Guedes.

De acordo com o ministro, as outras medidas são para ajudar as empresas na manutenção dos empregos. São R$ 51 bilhões para complementação salarial, em caso de redução de salário e de jornada de trabalho de funcionários, e R$ 40 bilhões (R$ 34 bilhões do Tesouro e R$ 6 bilhões dos bancos privados) de crédito para financiamento da folha de pagamento.

Como será

“Então a empresa que resolver manter os empregos, nós não só complementamos o salário como damos crédito para o pagamento. A empresa está sem capital de giro e reduziu, por exemplo, em 30% a jornada e o salário, nós pagamos 30% do salário. E ela está sem dinheiro para pagar os outros 70% que se comprometeu a manter, nós damos o crédito”, explicou.

Segundo o ministro Guedes, as medidas custarão ao Tesouro o correspondente a 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no País.

Clique aqui para ver mais notícias em Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.