Ir para conteúdo

[Paulínia]
Número de pacientes suspeitos com o novo coronavírus sobe de 41 para 54

Treze novos casos em investigação correspondem a uma alta de 25% nas notificações da Covid-19 na cidade somente nas últimas 24 horas

31 mar 2020 – 21h
Estado de São paulo confirma uma morte por hora provocada pelo novo coronavírus (Foto: Divulgação)

Onúmero de casos suspeitos do novo coronavírus em Paulínia cresceu de 41 para 54 pacientes nas últimas 24 horas. As 13 novas notificações da Covid-19 na cidade representam uma alta de 25% apenas de segunda para esta terça-feira (31). A Secretaria Municipal de Saúde não deu detalhes sobre o estado de saúde dos monitorados nem se estão em isolamento domiciliar ou internados em hospitais do município ou da região.

Conforme o mais recente boletim epidemiológico do Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus, até as 18h desta terça-feira (31), Paulínia continuava com três casos confirmados do novo coronavírus e apurava duas mortes suspeitas da Covid-19 e não tinha nenhum óbito confirmado. Pelo segundo dia consecutivo, a Secretaria Municipal de Saúde não divulgou o total de exames descartados. No último domingo (29) eram 15.

O Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus voltou a reforçar a necessidade de as pessoas não saírem de casa, exceto em caso de real necessidade. A cidade está de quarentena até o próximo dia 7 de abril. A Guarda Municipal está nas ruas para fazer cumprir o decreto em vigor. A corporação recebe denúncias de festas, aglomerações de pessoas e de comércios não essenciais que estão abertos pelos telefones 153 e (19) 3874-3646.

O Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus mantém o número de WhatsApp (19) 99620-0202 para tirar dúvidas da população sobre o novo coronavírus. O serviço funciona 24 horas por dia, inclusive aos sábados e domingos.

Campinas

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), divulgou nesta terça-feira (31), em uma transmissão pela internet, novos dados de coronavírus no município. São 36 casos confirmados, 81 descartados e 597 em investigação. Do total de confirmações, dois evoluíram para cura.

Os três novos casos referem-se a dois homens, um de 57 e outro de 28 anos, ambos em isolamento domiciliar, e a uma mulher de 41 anos, que está internada. Entre os casos confirmados anteriormente, há quatro pacientes em Unidade Terapia Intensiva (UTI), estando três deles em estado grave. Os casos mais graves são de idosos e pessoas com comorbidades, mas a faixa etária predominante é de 30 a 39 anos.

Morte

Nesta segunda-feira (30) também foi confirmada a primeira morte em razão da doença em Campinas. A vítima é um idoso de 86 anos, que tinha comorbidades. Ele morreu na madrugada do mesmo dia da confirmação, em um hospital privado.

Na Região Metropolitana de Campinas (RMC), Sumaré e Vinhedo confirmaram os primeiros casos da Covid-19 e Americana e Indaiatuba os seus segundos. O bloco regional formado por 20 cidades agora tem 51 pacientes com exames positivos para o novo coronavírus. Na segunda eram 44:

  • Campinas – 36;
  • Sumaré – 1;
  • Indaiatuba – 2;
  • Americana – 2;
  • Vinhedo – 1;
  • Paulínia – 3;
  • Valinhos – 3;
  • Hortolândia – 1;
  • Holambra – 1; e
  • Jaguariúna – 1.

O número de mortes suspeitas do novo coronavírus na RMC também cresceu nesta terça-feira de 15 para 18 investigados com o surgimento de novos óbitos em apuração em Valinhos, Indaiatuba e Sumaré:

  • Valinhos – 4;
  • Sumaré – 4;
  • Indaiatuba – 3;
  • Paulínia – 2;
  • Nova Odessa – 2
  • Campinas – 1;
  • Americana – 1; e
  • Pedreira – 1.

O estado de São Paulo registrou nesta terça-feira (31) 136 óbitos relacionados ao novo coronavírus. Somente nesta tarde 23 novas mortes foram confirmadas. Trata-se do maior aumento em números absolutos já registrado, com cerca de uma confirmação por hora, desde segunda (30).

Agora, são 13 cidades de São Paulo com mortes, incluindo Campinas, e São Caetano do Sul, Santo André, Caieiras, na Grande São Paulo. Até o meio da última semana, apenas a Capital registrava óbitos relacionados à Covid-19. Entretanto, desde então, já ocorreu pelo menos um óbito nos municípios de Vargem Grande Paulista, São Bernardo do Campo, Guarulhos, Taboão da Serra, Embu das Artes, Sorocaba, Osasco, e Ribeirão Preto, além dos quatro novos desta terça-feira (31).

Perfil

Os 23 óbitos registrados nesta terça são 13 mulheres e 10 homens. Entre as vítimas femininas, duas eram adultas de 42 e 54 anos, com comorbidades que, assim como os idosos, representam grupo mais vulnerável a complicações da Covid-19. As outras 11 mulheres tinham 69 anos, 85, 86, 76, 84, 72, 64, 81, duas de 65 e 68.

No grupo masculino, estão inclusos um de 43 anos com comorbidades e outros 10 com idades de 66, 79, 86, 89, 68, 90, 83, 78 e 63. O Estado também registra 2.339 casos confirmados, um aumento de 54% com relação à segunda-feira.

Brasil

O número de mortes em razão do novo coronavírus chegou a 201 no Brasil, nesta terça-feira (31), conforme nova atualização divulgada pelo Ministério da Saúde. O resultado marca um aumento de 26% em relação a segunda-feira (30), quando foram registrados 159 óbitos.

As mortes ocorreram em São Paulo (136), Rio de Janeiro (23), Ceará (sete), Pernambuco (seis), Piauí (quatro), Rio Grande do Sul (quatro), Paraná (três), Amazonas (três), Distrito Federal (três), Minas Gerais (duas), Bahia (duas), Santa Catarina (duas), Alagoas (uma), Maranhão (uma), Goiás (uma), Rondônia (uma) e Rio Grande do Norte (uma).

Maior

O número de novas mortes, 42, foi o maior da série histórica. O maior quantitativo de óbitos em um dia até então tinha sido 23, na segunda (30). Em relação ao perfil, 41,4% eram mulheres e 68,6%, homens. Em relação à idade, 89% estavam na faixa acima de 60 anos. Em relação às complicações de saúde, a maioria (107) apresentava cardiopatia, 75 tinha diabetes, 33 pneumopatia e 22 alguma condição neurológica.

Já os casos confirmados saíram de 4.579 para 5.717. O resultado de novas 1.138 pessoas infectadas em um dia foi mais que o dobro do maior registrado até agora, de 502 novos casos no dia 27 de março.

Ranking

Os estados com mais casos são São Paulo (2.339), Rio de Janeiro (708), Ceará (390), Distrito Federal (332) e Minas Gerais (275). A menor incidência está em estados da Região Norte, como Rondônia (oito), Amapá (10), Tocantins (11) e Roraima (16).

O índice de letalidade, que estava abaixo de 2% no final de semana, ficou em 3,5% no balanço desta terça-feira, o mesmo registrado segunda. As hospitalizações saíram de 757 para 1.075 em 24 horas.

Isolamento

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, argumentou que a pandemia não entrou na curva ascendente porque houve “conscientização de todo mundo”. Mas a situação desta terça reflete a dinâmica de 14 dias atrás. “Não temos nem sete dias que estamos ficando em casa. Por isso que é importante manter”, defendeu.

Mandetta reforçou a importância das medidas de isolamento social, mas acrescentou que o governo discute as condições para uma movimentação de abertura, o que chamou de “condicionantes”, entre elas o abastecimento dos profissionais de saúde com equipamentos de proteção individual (EPIs).

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.