Ir para conteúdo

[Pandemia]
Paulínia registra terceiro caso do novo coronavírus; RMC tem a primeira morte

Homem de 57 anos mora e trabalha na cidade; ele apresentou os sintomas na última quinta-feira (26) e fez exame em laboratório particular

30 mar 2020 – 20h42
Paulínia aguarda resultados de 41 casos em investigação, além de duas mortes suspeitas (Foto: Divulgação)

OComitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus divulgou na noite desta segunda-feira (30) o terceiro caso confirmado em Paulínia da pandemia da Covid-19, provocada pelo novo coronavírus. A Região Metropolitana de Campinas (RMC) também registrou nesta tarde a primeira morte causada pela doença.

O terceiro caso confirmado do novo coronavírus em Paulínia é um homem de 57 anos, que mora e trabalha na cidade. Ele apresentou os sintomas na última quinta-feira (26) e, ao fazer o exame em um laboratório privado, testou positivo para a Covid-19. O paciente e sua família estão em isolamento domiciliar e, conforme a Prefeitura, somente a mulher dele apresentou sintomas.

Até as 18h desta segunda-feira, foram registrados 41 casos em investigação, dois óbitos suspeitos da Covid-19 e nenhuma morte em decorrência do novo coronavírus. Os exames descartados não foram informados pelo Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus. No domingo (29), eram 15.

A Prefeitura ressaltou que os outros dois casos positivos continuam em isolamento familiar, em situação estável, assim como seus familiares.

Campinas

A Secretaria de Saúde de Campinas divulgou nesta segunda-feira (30) a primeira morte confirmada pelo novo coronavírus na cidade e na Região Metropolitana de Campinas (RMC). A vítima é um idoso de 86 anos que morava em uma casa de repouso e tinha outros problemas de saúde. Morreu na madrugada desta segunda-feira, quando estava em isolamento domiciliar na residência de parentes.

O número de casos confirmados saltou em Campinas de 19 para 33 de domingo (29) para esta segunda. A cidade apura outros 550 suspeitas da Covid-19. Setenta e uma foram descartadas. Dos confirmados, um é o idoso que morreu. Dos demais, cinco estão entubados. Os outros seguem bem, em isolamento e monitorados pelo Departamento de Vigilância em Saúde. A maioria tem idade entre 20 e 49 anos. Os mais graves estão acima de 60 anos.

Médico

A Prefeitura de Campinas também confirmou que investiga a morte de um médico de 62 anos pela Covid-19. Para o prefeito Jonas Donizette (PSB) esse caso tem uma particularidade: o médico teria assinado documento lhe dando a própria alta e depois acabou morrendo. “Ainda não está confirmado, mas tudo leva a crer que sim (é Covid-19)”, disse Jonas, em entrevista coletiva.

O prefeito também anunciou a criação de um decreto que proibi visita a idosos em casas de repouso; e determina a remoção de moradores em situação de rua para abrigos. Jonas também reforçou a necessidade da população se manter em quarentena e avisou que a Guarda Municipal irá atuar para fechar comércios e bares que abrirem sem autorização.

Indaiatuba

A Prefeitura de Indaiatuba recebeu na manhã de segunda-feira (30) o primeiro exame positivado para Covid-19 de laboratório particular credenciado pelo Instituto Adolfo Lutz. O paciente é um homem de 36 anos e passou em rede privada de saúde onde colheu o exame no dia 25 de março, no entanto ele está em isolamento domiciliar desde o dia 20 quando percebeu os primeiros sintomas.

Conforme a Prefeitura, a mulher do paciente apresenta os sintomas de forma leve e colheu exame na rede particular, a filha está assintomática em monitoramento e a família está em isolamento absoluto. “Hoje o paciente passa bem e não apresenta mais os sintomas, a equipe da Vigilância Epidemiológica está monitorando o caso”, informou. Agora, são 44 casos confirmados da doença na RMC:

  • Paulínia – 3;
  • Campinas – 33;
  • Indaiatuba – 1;
  • Valinhos – 3;
  • Hortolândia – 1;
  • Holambra – 1;
  • Jaguariúna – 1;
  • Americana – 1.

Sumaré, Valinhos e Nova Odessa também confirmaram nesta segunda-feira (30) que apuram mais mortes relacionadas à Covid-19. Em Sumaré se trata da terceira e se refere a um idoso de 74 anos, que estava internado no Hospital Estadual e apresentava comorbidades. As outras duas mortes suspeitas também são de pacientes atendidos no Hospital Estadual e com comorbidades: uma mulher de 41 anos e outra de 89 anos.

Na manhã desta segunda-feira, a Secretaria de Saúde Valinhos divulgou que investiga o terceiro óbito por suspeita do novo coronavírus. A paciente era uma mulher de 61 anos. Conforme a Prefeitura, a vítima estava internada na Santa Casa e apresentava quadro de doença pulmonar, diabetes e problemas cardíacos. A cidade teve até agora três casos confirmados de pacientes que já se recuperaram da doença e aguarda exames de outros 123.

Nova Odessa

A Secretaria de Saúde de Nova Odessa investiga a segunda morte suspeita por coronavírus. Trata-se de um homem de 52 anos, diabético e portador de doença pulmonar, que foi atendido em um hospital particular de Americana, na noite de sábado (29), e não resistiu. Foi colhido material para a realização de exame pelo Instituto Adolfo Lutz. A Vigilância Epidemiológica já está acompanhando o caso e a família.

O Município ainda aguarda também o resultado do exame realizado no homem de 96 anos, que morreu no dia 24 deste mês, com suspeita de coronavírus. Ele foi atendido no Hospital e Maternidade Municipal “Doutor Acílio Carreon Garcia”. O paciente era portador de doença pulmonar crônica e foi levado à unidade de saúde após crise respiratória. Na RMC são 15 mortes investigadas até o momento pelo novo coronavírus.

  • Paulínia – 2;
  • Nova Odessa – 2
  • Campinas – 1;
  • Valinhos – 3;
  • Sumaré – 3;
  • Indaiatuba – 2;
  • Americana – 1; e
  • Pedreira – 1.

O estado de São Paulo chegou nesta segunda-feira (30) a 113 óbitos relacionados ao novo coronavírus. Somente nesta tarde 15 novas mortes foram confirmadas. Todas as novas vítimas da Covid-19 são da Grande São Paulo (a de Campinas ainda não foi computada) e foram atendidas em hospitais da rede privada de saúde. Um dos óbitos, um homem de 41 anos com comorbidades, é do município de Osasco.

Os demais são da Capital, sendo oito mulheres (duas de 77 anos; três de 83; 87, 92 e 93 anos) e seis homens (dois de 64 anos, 90, 93, 100 anos, além de um jovem de 31 anos com comorbidade).

Jovens

Segue em investigação, por parte da Prefeitura de São Paulo, o histórico dos jovens de 26 e 33 anos, cujas mortes foram confirmadas domingo (29). O levantamento busca saber se eles possuíam comorbidades, por exemplo.

Até o meio da última semana, apenas a Capital paulista registrava óbitos relacionados à Covid-19. Porém, há registro de pelo menos um óbito nos municípios de Vargem Grande Paulista, São Bernardo do Campo, Guarulhos, Taboão da Serra, Embu das Artes, Sorocaba, Osasco e Ribeirão Preto. O estado de São Paulo também registra 1.517 casos confirmados.

Brasil

O número de mortes no Brasil em razão do novo coronavírus subiu de 136 para 159 entre domingo (29) e esta segunda-feira (30). Um aumento de 16% entre a última atualização e a divulgada há pouco pelo Ministério da Saúde.

Os casos confirmados saíram de 4.256 para 4.579. O resultado de novas 323 pessoas infectadas marcou um incremento de 7% em relação ao domingo. O número foi o menor desempenho nos últimos cinco dias, quando o número de novas pessoas infectadas, por exemplo, passou dos 500 na última sexta-feira (27). O Ministério da Saúde afirmou que era esperado crescimento diário de até 33%.

Ranking

Os estados com mais casos foram São Paulo (1.451), Rio de Janeiro (600), Ceará (372), Distrito Federal (312) e Minas Gerais (231). A menor incidência está em estados da Região Norte, como Rondônia (6), Amapá (8), Tocantins (9) e Roraima (16). O índice de letalidade atingiu 3,5% com o balanço desta segunda, acima do verificado no balanço de domingo, quando ficou na casa dos 3,2%.

São Paulo concentra 113 do total de mortes, seguido por Rio de Janeiro (18), Pernambuco (6), Ceará (5), Piauí (3), Paraná (3), Rio Grande do Sul (3), Santa Catarina (1), Goiás (1), Distrito Federal (1), Rio Grande do Norte (1), Bahia (1), Minas Gerais (1) e Amazonas (1). Com 23 novas mortes, foi o maior resultado registrado desde o início juntamente com o de domingo, que teve o mesmo número.

Em relação ao perfil das pessoas que morreram, 40,4% eram mulheres e 59,6%, homens. Mantendo o padrão identificado ao longo da semana, 90% tinham mais de 60 anos e as doenças crônicas mais associadas foram cardiopatias (81), diabetes (58), pneumopatia (24) e condições neurológicas (14). As hospitalizações somaram 757.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.