Ir para conteúdo

[Educação]
Novas empresas de ônibus assumem transporte escolar nesta segunda-feira

Chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Transportes não descarta a possibilidade de problemas nos primeiros dias de mudança

1º mar 2020 – 13h11
Nem todos ônibus são amarelos, mas todos são identificados com inscrição ‘Escolar’ (Foto: Divulgação)

As empresas de ônibus Rápido Sumaré, S.T.P. Mobilidade Eireli e Sancetur passam a partir desta segunda-feira (2) a operar o transporte escolar oferecido pela Prefeitura de Paulínia a alunos das redes municipal e estadual de educação. O contrato emergencial custará R$ 31,7 milhões do dinheiro dos contribuintes.

Segundo a Prefeitura, as três empresas vão transportar em torno de 14,9 mil estudantes que se utilizam do benefício diariamente na cidade. Cada aluno custará R$ 2,1 mil aos cofres do município durante a vigência do contrato, que ainda não teve seu período de validade informado pelo governo Du Cazellato (PSDB).

Funcionário acerta os últimos detalhes das placas com destino dos escolares (Foto: Divulgação)

A Secretaria Municipal de Transportes informou que o valor de R$ 31,7 milhões é 29% mais baixo do previsto (R$ 44,4 milhões) no estudo feito pela empresa IPK, em março de 2019, que serviu como base para realização do contrato emergencial, conforme o extrato de dispensa de licitação publicado no Semanário Oficial de Paulínia.

Porém, esse novo contrato emergencial de R$ 31,7 milhões do governo Du Cazellato prevê 28 ônibus a menos e é aproximadamente 10% maior do que o assinado em agosto de 2019 pelo então prefeito interino Loira (DC), atual presidente da Câmara, e que terminou no último dia 14. A diferença entre um e outro chega perto de R$ 2,8 milhões – o do Loira tinha prazo de seis meses e o valor total era de R$ 28,8 milhões.

Empresas disponibilizarão 178 ônibus para o transporte de 14,9 mil estudantes (Foto: Divulgação)

A Prefeitura de Paulínia informou que pelo contrato atual as três empresas serão obrigadas a colocar 178 ônibus no transporte escolar de alunos dos ensinos Infantil, Fundamental, Médio, Técnico e Educação para Jovens e Adultos (EJA). Antes eram 206. “O número de ônibus que irão transportar os alunos com deficiência aumentou e todos estarão equipados com ar-condicionado”, ressaltou.

Das três contratadas pela Prefeitura, a S.T.P. é a mais desconhecida da população de Paulínia. A Prefeitura não informou de qual cidade ela é e em quais municípios operou o transporte escolar ou de passageiros. Também não especificou as diferenças entre o atual contrato e o anterior para justificar o aumento no valor do contrato atual de 10% mesmo com um número menor de ônibus prestando o serviço.

Às 17h29 deste domingo (1º), o secretário municipal de Transportes, Antônio Carlos Amante Carreira, informou por meio de redes sociais que a divisão das linhas entre as empresas do transporte escolar ficou da seguinte forma:

  • escolas municipais e estaduais e escolas técnicas – Rápido Sumaré, com 92 veículos;
  • creches e Emeis e algumas escolas municipais e estaduais – S.T.P., com 60 ônibus; e
  • alunos com necessidades especiais para escolas municipais e escolinhas especiais – Sancetur, com 26 veículos.

De acordo com Carreira, no contrato atual houve a redução do número de veículos para 178. No emergencial do Loira o total era de 206 ônibus. O secretário esclareceu que visitou a Rápido Sumaré e ela tem 107 ônibus – 92 contratados e 15 reservas que irão ficar em três pontos estratégicos em Paulínia, em caso de socorro.

Carreira destacou que a S.T.P. também ficará com vans e ônibus reservas para eventual emergências. “Já a Sancetur fará o trajeto com 26 veículos para pessoas especiais e vai manter o mesmo padrão do serviço”, escreveu. O secretário também solicitou apoio da Guarda Municipal a partir das 6h para o deslocamento de cerca de 150 veículos em direção ao bairros para buscar os estudantes.

Nem todos os ônibus escolares são amarelos, mas todos estão identificados com a inscrição “Escolar” possui placa de destino. A população pode obter mais informações sobre o funcionamento dos ônibus escolares a partir das 8h nos telefones (19) 3939-7012, 3939-7013, 3939-7014.

Terra

“Recentemente fizemos a transição entre duas empresas no transporte municipal (a troca do Grupo Passaredo pela Terra Auto Viação no transporte municipal urbano e rural de passageiros) e vamos acompanhar com mais rigor o início das operadoras do transporte escolar, visando evitar que crianças, jovens e adultos sejam prejudicados”, prometeu o chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Transportes, Adriano Mariano.

Apesar do período de transição de cerca de 15 dias, Mariano não descartou a possibilidade de nos primeiros dias haver problemas no transporte escolar. “Mas assim como no transporte urbano, a Administração estará fiscalizando as operações, pois agora as rotas foram registradas pelos técnicos da Secretaria de Transportes. Antes não havia registro dos percursos e fizemos o registro de todos itinerários”, ressaltou.

Extras

A Secretaria Municipal de Transportes informou que nesse novo contrato emergencial do transporte escolar, com dispensa de licitação, haverá uma novidade. Desta vez os alunos irão e voltarão nos mesmos veículos. “Antes os estudantes iam com um carro e voltaram com outro, dificultando até o embarque e desembarque”. Todos deverão estar devidamente identificados com placas de destinos.

O governo municipal de Du Cazellato destacou que promoveu uma reunião com o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários e Anexos de Campinas e representantes das três empresas do transporte escolar para que a mão de obra da Viação Flama (Grupo Passaredo), Smile e Sancetur, que prestavam o serviço até o dia 21 passado, devido ao período de transição, fosse absorvida pela Rápido Sumaré, S.T.P. Mobilidade e Sancetur.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.