Ir para conteúdo

[Provisório]
Petroleiros da Replan suspendem greve e voltam ao trabalho após 20 dias

Trabalhadores decidem retomar seus postos nesta sexta-feira na Refinaria de Paulínia, a maior da Petrobras no Brasil, apesar de impasse

21 fev 2020 – 17h
Assembleia na sede do Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado, em Campinas (Foto: Divulgação)

Os petroleiros da Refinaria de Paulínia (Replan) voltaram ao trabalho nesta sexta-feira (21) após 20 dias de greve. A maior unidade da Petrobras no Brasil, foi a última a atender a indicação da Federação Única dos Petroleiros (FUP) para que os sindicatos suspendessem temporariamente a paralisação nacional.

A decisão foi tomada na manhã desta sexta-feira, mesmo após impasse criado com a assembleia realizada na sede do Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo (Sindipetro Unificado-SP), às 17h desta quinta, em Campinas. Na ocasião os petroleiros decidiram reivindicar a retomada da tabela de turno, mas a Replan, na manhã deste sexta, não aceitou negociar esse ponto.

Além do retorno da tabela, os petroleiros também ressaltaram em documento entregue à estatal a importância da garantia da segurança. Durante os 20 dias de greve a Refinaria de Paulínia funcionou com um grupo de contingência. Com a negativa dada pela estatal, na manhã desta sexta-feira, houve nova assembleia dos trabalhadores que decidiram mesmo assim retornar ao trabalho.

O primeiro grupo de petroleiros entrou na refinaria por volta das 11h. O segundo estava previsto para começar sua jornada às 15h30. O Sindipetro Unificado-SP reafirmou o caráter temporário da suspensão. A continuidade ou fim da greve dependerá dos resultados de uma reunião da Replan com os petroleiros em Paulínia e de outra entre a FUP e a direção da Petrobras, mediada pelo ministro do Tribunal Superior do Trabalho, Ives Gandra, em Brasília (DF). Ambas previstas para ocorrerem nesta sexta-feira.

De acordo com o diretor do Sindipetro Unificado-SP, Jorge Nascimento, é necessário manter um caráter permanente de assembleia neste momento. “Estamos apenas suspendendo a greve, mas não encerrando. Isso dependerá da disponibilidade da empresa em avançar com as nossas pautas de reivindicações. Por isso, é necessário mantermos um caráter permanente de assembleias e diálogo”, afirmou.

A greve nacional dos petroleiros teve início no último dia 1º de fevereiro, ocorreu em 10 estados, com a adesão de 7 mil funcionários de refinarias por todo o País. Entre as reivindicações estão a suspensão das demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen), que devem afetar pelo menos mil famílias, conforme a FUP, e a negociação para cumprimento de Acordo Coletivo de Trabalho. O fechamento da fábrica foi anunciado em janeiro deste ano.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.