Anúncios
Ir para conteúdo

[Coletivos]
Motoristas e cobradores do transporte municipal cruzam os braços

Paralisação teve início por volta das 10h, quando os veículos da Flama, do Grupo Passaredo, foram represados na Rodoviária/Shopping

6 nov 2019 – 13h36
Motoristas e cobradores durante reunião na Rodoviária/Shopping de Paulínia (Foto: Divulgação)

Passageiros de ônibus do transporte municipal urbano e rural de Paulínia estão a pé nesta quarta-feira (6). Motoristas e cobradores da Viação Flama, do Grupo Passaredo, concessionária do serviço na cidade, cruzaram os braços por volta das 10h, represando os veículos no Complexo Rodoviária/Shopping.

O estopim foi a nova data de fechamento da folha de pagamento dos trabalhadores que retornou do dia 30 para o dia 25. Com isso motoristas e cobradores receberam os holerites com cinco dias a menos. O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Campinas e Região também teme que a mudança possa prejudicar categoria, como o não pagamento de horas extras feitas entre os dias 26 e 30 de cada mês.

“Quando nós pegamos isso aqui (o sindicato) eles (Grupo Passaredo) fechavam o ponto dia 25 e os trabalhadores nunca mais recebiam aquelas horas extras que ficavam para trás”, relembrou o sindicalista Izael Soares. De acordo com ele, a empresa já havia tentado mudar a data recentemente, mas recuou.

Nesta quarta, quando Soares chegou na Rodoviária/Shopping para uma assembleia com a categoria se disse surpreendido pela mudança. “Os trabalhadores estão revoltados”, falou Soares. “Em função disso os ônibus estão parando e só vão trabalhar a hora que revogar essa questão do ponto”, destacou.

Motoristas e cobradores também exigem da Flama a garantia de que a empresa não atrasará nenhum benefício nem pagamento; e da Prefeitura, na eventual troca de empresa em futura licitação do transporte municipal, que quem assumir o serviço aceite o acordo coletivo vigente e os direitos já conquistados pela categoria.

A paralisação terminou as 14h30 (veja aqui a reportagem sobre a volta dos ônibus às ruas). “Só voltaremo a a trabalhar com o problema resolvido”, revelou Soares. A Secretaria Municipal de Transportes públicos foi procurada pela reportagem para se manifestar e não respondeu até o fechamento desta edição.

Tamanho

De acordo com o mais recente estudo da Secretaria Municipal de Transportes, divulgado em audiência pública em setembro de 2018, o Grupo Passaredo transporta 830.118 passageiros por mês, em Paulínia, com o número de 64 mil usuários diários. O sistema conta com treze linhas, que realizam 11.522 viagens mensais.

O Grupo Passaredo opera no município há 20 anos. O primeiro contrato foi assinado em 1999, pelo período de 10 anos. Em 2009 foi prorrogado, amigavelmente, por mais oito, o que motivou, em 2015, o Ministério Público a abrir Ação Civil Pública de Improbidade Administrativa e pedir a realização de concorrência pública.

Desde então o serviço é feito em Paulínia por meio de sucessivos contratos emergenciais, de seis em seis meses, entre o Grupo Passaredo e a Prefeitura de Paulínia. O último, fechado com a Viação Flama, foi assinado em junho e tem validade por seis meses ao custo de R$ 11,3 milhões aos cofres públicos.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Anúncios

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.