Ir para conteúdo

[Fundos]
Pauliprev mantém R$ 120 milhões em corretora liquidada pelo BC

Instituto de Previdência dos Funcionários Públicos de Paulínia prevê recuperar 80% desse valor e amargar prejuízo de R$ 24 milhões

24 set 2019 – 14h19
Fachada do prédio da sede do Instituto de Previdência dos Funcionários Públicos de Paulínia (Foto: Divulgação)

OInstituto de Previdência dos Funcionários Públicos de Paulínia (Pauliprev) mantém cerca R$ 120 milhões negociados pela corretora de valores Um Investimentos, liquidada extrajudicialmente sexta-feira passada (20), pelo Banco Central. A informação é do próprio Pauliprev, que acredita na perspectiva de recuperação de 80% dos ativos colocados na Um – ou R$ 96 milhões, um prejuízo que pode chegar a R$ 24 milhões.

De acordo com o Pauliprev, a liquidação da Um Investimentos não significa a perda de recursos, “pois o Banco Central nomeia interventor na corretora e os cotistas escolhem novas casas de gestão”, explicou em nota divulgada no início da tarde desta terça-feira (24). Os investimentos do instituto junto a essa corretora aconteceram no período entre setembro de 2013 e junho de 2016 (confira abaixo onde está o dinheiro).

O Pauliprev informou que atualmente possui uma carteira de fundos ilíquidos, “muitos deles já divulgados nas operações da Polícia Federal e do Ministério Público Estadual, que totalizam cerca de R$ 390 milhões”, inclusive os administrados pela Um Investimentos. Um ativo ilíquido (ou sem liquidez) é aquele que não pode ser convertido em caixa rapidamente, sem que haja redução substancial do preço.

O instituto garantiu que desde 2018 trabalha para recuperar valores investidos “sem as regras da boa governança corporativa e compliance”. “Não há no Pauliprev um desafio de encontrar culpados, mesmo por que essa tarefa está sendo feita pela Polícia Federal, Tribunal de Contas e Ministério Público”, destacou a nota. “O esforço do Instituto vai no sentido de melhorar sua gestão financeira e de investimentos em busca de recuperação de valores.”

“As perspectivas de recuperação dos ativos investidos na Um são muito boas, chegando a perto de 80%”, disse o diretor presidente do Pauliprev, Marco André Breda. Ele afirmou que essa avaliação decorre do esforço da área de investimentos, através de seu Comitê de Investimentos, responsável direto pela recuperação de cerca de R$ 22 milhões neste ano.

Mudanças

A autarquia atribuiu o sucesso da recuperação dos R$ 22 milhões “à mudança na instituição com a contratação de servidores próprios concursados e às eleições para presidente e conselheiros administrativo e fiscal”. A meta é recuperar algo em torno de 50% dos fundos ilíquidos (R$ 195 milhões dos R$ 390 milhões), cenário que vai na contramão de avaliações anteriores, quando se acreditava que tudo estava perdido”, informou a nota.

Hoje, a avaliação no Instituto é que, apesar dos maus investimentos feitos no passado, há um otimismo em relação à recuperação de perdas anunciadas. “Agindo com lisura e competência, como estamos fazendo, tenho convicção que nos tornaremos um dos melhores regimes próprios de previdência social do País”, acredita André Breda.

Objetivo

O objetivo da Pauliprev é a concessão de benefícios previdenciários aos funcionários públicos municipais de Paulínia que chegam a 5.243, segundo o último censo previdenciário do instituto concluído no início deste ano, entre ativos, pensionistas e aposentados. Para Breda, “com a responsável administração dos recursos e com a aplicação dos repasses em investimentos seguros essa tarefa deixará de ser uma preocupação para os servidores”.

O Pauliprev ressaltou que tanto os servidores municipais, interessados diretos no desempenho do instituto, como toda a sociedade de Paulínia podem acompanhar os destinos da autarquia. Todas as reuniões de conselho são registradas e gravadas, com acesso pelo Youtube e site (www.pauliprev.sp.gov.br). A autarquia administra um caixa de cerca de R$ 1 bilhão.

Motivos

Segundo o Banco Central, a liquidação da Um Investimentos foi motivada pela “a grave situação patrimonial, as graves violações às normas legais que disciplinam a atividade da instituição, bem como a existência de prejuízos que sujeitam a risco anormal os seus credores”.

A corretora Um Investimentos teve sua liquidação extrajudicial decretada no mesmo dia em que comemorava 50 anos. O ato assinado pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, determinou a indisponibilidade dos bens de seus controladores e administradores.

Veja a íntegra do comunicado do BC

O Presidente do Banco Central do Brasil, no uso das atribuições que lhe confere o art. 12, inciso XV, alínea “a”, do Regimento Interno, anexo à Portaria nº 84.287, de 27 de fevereiro de 2015, com fundamento nos arts. 15, inciso I, alíneas “a”, “b” e “c”, e § 2º, 16 e 52, da Lei nº 6.024, de 13 de março de 1974, Considerando a grave situação patrimonial, as graves violações às normas legais que disciplinam a atividade da instituição, bem como a existência de prejuízos que sujeitam a risco anormal os seus credores, conforme consta no PE 154288, R E S O L V E :

Art. 1º  Fica decretada a liquidação extrajudicial da Um Investimentos S/A Corretora de Títulos e Valores Mobiliários, CNPJ 33.968.066/0001-29, com sede na cidade do Rio de Janeiro (RJ).

Art. 2º  Fica nomeado liquidante, com amplos poderes de administração e liquidação, Eduardo Felix Bianchini, carteira de identidade 5436983-6 – SSP/SP e CPF 096.514.621-91.

Art. 3º  Fica indicado, como termo legal da liquidação extrajudicial, o dia 22 de julho de 2019.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.