Anúncios
Ir para conteúdo

[Verbas]
Candidatos gastaram R$ 90 mil por dia em média na eleição suplementar

Prestações de contas dos nove prefeituráveis revelam que o total de despesas contratadas por eles foi de R$ 2,6 milhões em 29 dias

13 set 2019 – 17h21
Cabos eleitorais agitam bandeiras em rotatória durante campanha na eleição suplementar (Foto: Divulgação)

As chapas dos nove candidatos a prefeito na eleição suplementar de Paulínia, realizada no último dia 1º de setembro, gastaram cerca de R$ 2,6 milhões em 29 dias de campanha. Do dia 3 de agosto passado até o último dia 31, os prefeituráveis colocaram diariamente R$ 90 mil em média na corrida eleitoral ao Paço Municipal “Palácio Cidade Feliz”.

Os números estão baseados nas prestações de contas que os nove candidatos a prefeito apresentaram à Justiça Eleitoral. Os últimos números financeiros que faltavam de Loira (DC) e Coronel Furtado (PSC) foram divulgados nesta sexta-feira (13) no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Clique no nome de cada candidato e veja quanto cada um gastou na eleição suplementar.

De acordo com as prestações de contas dos candidatos a prefeito, o custo médio de cada voto dado na eleição fora de época em Paulínia foi de R$ 53,94. Confira abaixo os números:

– Total de despesas contratadas pelos 19 candidatos

  • R$ 2.622.301,14

– Total de votos dos 19 candidatos

  • 48.613

– Custo médio de cada voto em Paulínia

  • R$ 53,942

Mas o custo do voto é diferente para cada candidato, pois está relacionado ao total de despesas contratadas e o número de votos conseguido nas urnas. O mais caro foi o do Capitão Cambuí (R$ 108); seguido por Tuta Bosco (R$ 80). Quem menos gastou foi Marcelo Barros (R$ 1,38).

Ranking do custo de cada voto por candidato

1º – Capitão Cambuí (PSL)

– Despesas contratadas

  • R$ 474.476,79

– Total de votos

  • 4.361

– Custo médio de cada voto

  • R$ 108,799

2º – Tuta Bosco (PPS)

– Despesas contratadas

  • R$ 761.100,81

– Total de votos

  • 9.485

– Custo médio de cada voto

  • R$ 80,242

3º – Custódio Campos (PT)

– Despesas contratadas

  • R$ 77.209,11

– Total de votos

  • 1.054

– Custo médio de cada voto

  • R$ 73,253

4º – Loira (DC)

– Despesas contratadas

  • R$ 386.770,55

– Total de votos

  • 5.535

– Custo médio de cada voto

  • R$ 69,877

5º – Nani Moura (MDB)

– Despesas contratadas

  • R$ 444.225,78

– Total de votos

  • 11.211

– Custo médio de cada voto

  • R$ 39,624

6º – Du Cazellato (PSDB)

– Despesas contratadas

  • R$ 448.900,00

– Total de votos

  • 13.119

– Custo médio de cada voto

  • R$ 34,217

7º – Coronel Furtado (PSC)

– Despesas contratadas

  • R$ 25.000,00

– Total de votos

  • 1.913

– Custo médio de cada voto

  • R$ 13,068

8º – Ângela Duarte (PRTB)

– Despesas contratadas

  • R$ 3.614,00

– Total de votos

  • 1.212

– Custo médio de cada voto

  • R$ 2,981

9º – Marcelo Barros (PSOL)

– Despesas contratadas

  • R$ 1.004,10

– Total de votos

  • 723

– Custo médio de cada voto

  • R$ 1,388

O vereador Du Cazellato foi eleito na eleição suplementar prefeito de Paulínia para o mandato-tampão que vai até o dia 31 de dezembro de 2020. Ele toma posse no próximo dia 7. O pleito fora de época ocorreu por causa da cassação do prefeito Dixon Carvalho (PP) e do vice Sandro Caprino (PRB) por abuso de poder econômico nas eleições de 2016. Eles tiveram as contas de campanha rejeitadas.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia
Anúncios

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.