Ir para conteúdo

[Saúde]
Paulínia tem uma morte confirmada por dengue e investiga outra

Informação é da Prefeitura; município vive uma epidemia da doença neste ano, com 903 casos confirmados até o último dia 29

31 jul 2019 – 11h20
Agente de controle de vetor durante uma das visitas a residências em Paulínia (Foto: Divulgação)

Paulínia tem uma morte por dengue confirmada e investiga um segundo caso de óbito pela doença na cidade neste ano. A informação é da Prefeitura, que iniciou esta semana mais um cronograma de visitas a residências para combate ao mosquito Aedes aegypti nos bairros (veja o quadro nesta página).

Segundo dados da Prefeitura, até o último dia 29, o município registrou 2.851 notificações de dengue. Dessas, 903 foram confirmadas, sendo 50 delas de pessoas de outras cidades que foram atendidas no Hospital Municipal de Paulínia “Vereador Antônio Orlando Navarro”.

Dos casos confirmados, seis deles são do tipo 2, a forma mais grave da doença. Devido ao número de ocorrências, Paulínia vive uma epidemia de dengue neste ano. Pelos parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS), uma doença pode ser considerada epidemia se atingir mais de 300 pessoas a cada 100 mil habitantes.

Para se ter uma ideia do avanço da dengue na cidade, em balanço divulgado no dia 14 de dezembro passado, em 2018, foram 18 casos da doença confirmados em Paulínia. Em 2017, 24. Nesses últimos dois anos não houve nenhuma morte por dengue na cidade, de acordo com dados da Prefeitura.

Abril

A Prefeitura informou apenas que a morte por dengue confirmada neste ano em Paulínia aconteceu em abril, no Centro Médico de Campinas. Não revelou sexo, idade nem bairro da vítima. O caso de óbito que ainda é investigado não teve também até aqui nenhum dado revelado. As regiões com maior incidência da doença não foram divulgadas.

“Houve aumento de casos dessa doença em toda a RMC (Região Metropolitana de Campinas) nesse período, conforme pode ser verificado junto às secretarias de cada município”, destacou a Prefeitura por meio de nota. “Proporcionalmente, em Paulínia, houve bem menos casos do que em algumas cidades da região.”

Criadouros

Para controlar a incidência da dengue, a Prefeitura informou que os agentes de controle de vetor estão diariamente nas ruas, orientando a população sobre a prevenção das arboviroses (dengue, zika e chikungunya) e eliminação de criadouros dos mosquitos. “Foram organizados, em conjunto com as secretarias de Meio Ambiente e Obras, mutirões de limpeza para controle dessas doenças, nos meses de fevereiro, março e abril.”

Os agentes também fazem visitas periódicas, conforme o governo provisório, aos imóveis públicos, como poliesportivo, garagem da Prefeitura (Barracão), creches, escolas, entre outros, e atendem as denúncias da população que podem ser feitas por meio dos telefones 156 e (19) 3874-3382.

Colaboração

A Prefeitura também informou que o Índice de Densidade Larvária (ADL), que mede o nível de infestação das larvas no município, caiu do ano passado para este. Em 2018, nos meses de abril a maio, o ADL foi de 4,5%. No mesmo período de 2019, esse índice diminuiu pouco mais de um ponto percentual, para 3,4%.

“Vale ressaltar que a colaboração da população é fundamental no combate ao mosquito Aedes aegypti, cuidando de seu quintal, fazendo denúncias através dos telefones citados acima e recebendo sempre os agentes em suas residências”, ressaltou a nota.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.