Ir para conteúdo

[Poluição]
Lagoa do João Aranha registra mortandade de peixes

Companhia Ambiental do Estado de São Paulo abriu investigação para determinar o que teria causado a contaminação das águas

10 jul 2019 – 19h34
Peixes foram encontrados mortos por toda extensão da lagoa do João Aranha (Foto: Reprodução)

Uma mortandade de peixes foi registrada na lagoa do João Aranha, localizada dentro da Praça Waldemar Perissinoto, na manhã desta quarta-feira (10), em Paulínia. A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) abriu uma investigação para determinar as causas da contaminação das águas.

A suspeita é de que um vazamento de esgotos in natura seria a causa da mortandade de peixes na lagoa do João Aranha. Técnicos da Cetesb recolheram amostras das águas e peixes mortos. Caso se confirme a denúncia, a Cesteb tentará identificar a origem do problema para penalizar os responsáveis pelo crime ambiental.

Não foi informado um prazo para sair o resultado das análises nem para a autuação pelo órgão fiscalizador dos poluidores da lagoa. “Enquanto isso é recomendado que os moradores da região evitem pescar e ingerir os peixes retirados do local, devido ao risco de contaminação”, alertou a Prefeitura de Paulínia em nota.

A denúncia da poluição e mortandade de peixes foi feita pela população que usa o local para caminhar, pescar e lazer. O primeiro atendimento foi prestado pela Secretaria Municipal de Defesa e Desenvolvimento do Meio Ambiente (Seddema). A secretária municipal da Seddema, Débora de Jesus Mileo, checou a situação e acionou a Cetesb.

Sabesp

O vereador Fábio Valadão (PRTB) informou que “ao que tudo indica” houve quebra de equipamentos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), concessionária do serviço em Paulínia, “que acabou por descartar o esgoto na lagoa”. A companhia não se manifestou até a publicação deste texto.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.