Ir para conteúdo

[Plano piloto]
Saúde faz cerco a pacientes da região nas UBSs de Paulínia

Prefeitura cria central para aumentar rigor na abertura de prontuários e impedir que usuários de fora prejudiquem atendimento local

6 maio 2019 – 18h34
Plano piloto de controle de abertura de prontuários foi implantado na UBS Coorpelotes (Foto: Divulgação)

APrefeitura anunciou nesta segunda-feira (6) que desde o último dia 2 faz um cerco a pacientes de outras cidades da região que buscam as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Paulínia. O objetivo da medida é priorizar o atendimento aos pacientes locais para diminuir o tempo de espera nos postinhos e melhorar o serviço prestado à população paulinense.

Segundo a Prefeitura, atualmente Paulínia tem cerca de 100 mil habitantes e, pelo menos, o dobro de prontuários registrados nas UBSs do município. “Sendo que a maioria é de moradores de fora”, destacou em nota. O secretário municipal de Saúde, Luís Carlos Casarin, declarou que 25% dos atendimentos de sua pasta são realizados para moradores de outras cidades que compõem a Região Metropolitana de Campinas (RMC).

Para implantar o plano de priorizar pacientes de Paulínia em detrimento dos da região, a Secretaria Municipal de Saúde criou a Central de Abertura de Prontuário (CAP). Ela aumentará o controle de novos prontuários, impedirá que pessoas da região façam cadastro nas UBSs e passará pente-fino nas fichas dos usuários. O projeto piloto foi implantado na UBS Cooperlotes.

Para fazer um prontuário é necessário o paciente apresentar RG, CPF, Cartão Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS), comprovante de residência – que poder ser conta de água, luz, carnê de Imposto Predial, Territorial Urbano (IPTU) ou contrato de aluguel, com a declaração do proprietário e locador registrada em cartório e assinada por ambos.

A CAP avaliará com maior rigor a veracidade desses documentos apresentados e também fará visitas nas residências, em alguns casos, para que ocorra a comprovação de que om paciente mora de fato no endereço citado na abertura do prontuário. As equipes são formadas por assistentes sociais, profissionais de enfermagem, auxiliares administrativos e motoristas.

“Quando uma pessoa de fora vem até aqui para fazer cadastro em uma UBS, os gestores do município de onde a pessoa mora não ficam sabendo do problema, e consequentemente ficam sem dados para formular políticas públicas eficazes”, justificou Casarin. “Além disso, a nossa prioridade são os moradores de Paulínia.”

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.