Ir para conteúdo

Falta de servidores compromete atendimento a idosos

Sindicato diz que acamados no Centro de Geriatria não tomam banho diariamente nem recebem atendimento médico semanalmente

28 set 2018 – 16h27
Fachada do prédio do Centro de Geriatria de Paulínia, que atende atualmente 58 idosos (Foto: Divulgação)

Afalta de servidores públicos municipais tem comprometido o funcionamento do Lar Dia e do Centro de Geriatria, conhecido também como Lar dos Velhinhos, em Paulínia. Segundo o sindicato da categoria, idosos acamados não tomam banho diariamente, não há mais atendimento médico semanalmente como vinha ocorrendo no local e atividades de entretenimento têm sido suspensas.

nnEm junho passado, havia 30 idosos morando no Centro de Geriatria e outros 30 eram atendidos em regime de creche no Lar Dia, de acordo com relatório preparado na época pelo Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Paulínia para avaliar e discutir com a administração pública o atendimento aos idosos e as condições de trabalho dos servidores naquele local.

nnPassado esse tempo, o sindicato segue com queixas no atendimento do Centro de Geriatria e do Lar Dia. “Apuradas as informações recebidas, constamos que está ocorrendo problemas para que os servidores consigam desempenhar suas atividades”, destacou a presidente da entidade, Cláudia Bearzotti Pompeu, em documento protocolado na Prefeitura para relatar as reclamações e pedir nova reunião com a Secretaria Municipal de Saúde.

Banho

nnCláudia Pompeu disse que o problema no banho dos idosos ocorre desde o mês passado por causa do corte de horas extras. “O Lar Dia já teve a suspensão de um dia de atendimento e hoje (sexta-feira) não teria atendimento de novo”. Mas no final da tarde de quinta (27), conforme a sindicalista, a Prefeitura de Paulínia, após receber o documento do sindicato, fez uma reorganização para também receber nesta sexta-feira os idosos em regime de creche.

nnDentre as atividades de entretenimento para os idosos que não acontecem mais no Centro de Geriatria, estão o trabalho com cães treinados e pintura, esclareceu o sindicato. “As condições de trabalhos para os servidores desta unidade estão completamente inadequadas, o que causa profundo desgaste físico e emocional”, avaliou Cláudia Pompeu. “Os servidores acabam sendo questionados e até humilhados, pois os munícipes cobram diretamente deles sobre a qualidade dos serviços prestados.”

Reunião

nnO sindicato quer uma reunião de urgência para tratar dos problemas com a participação do secretário municipal de Saúde, Yanko Gonçalves Mello, de representantes da população, dos conselhos de Saúde e do Idoso, do Centro de Geriatria e de sindicalistas.

nnProcurada pela reportagem para prestar esclarecimentos à população, a Prefeitura de Paulínia informou que o “documento protocolado na quinta-feira, 27 de setembro, será devidamente respondido ao Sindicato assim que chegar no órgão responsável. Ressalta, ainda, que o Centro de Geriatria atende atualmente 58 pacientes, com 30 pessoas no setor de Longa Permanência (moram no local) e 28 recebem atendimento no Centro Dia.”

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.