Ir para conteúdo

Delegado confirma que documentação de ônibus que matou ciclista estava vencida

Motorista presta depoimento nesta quinta-feira na Delegacia de Cosmópolis, que investiga o acidente com Cassiano

19 set 2018 – 12h10
Parte do ônibus da Sancetur que atingiu Cassiano durante o acidente do último dia 11 (Foto: Reprodução)

OO ônibus escolar da Sancetur envolvido no acidente que matou o ciclista José Cassiano Rodolfo dos Santos Zaine, no último dia 11, estava com a documentação vencida desde 2015. A informação foi confirmada nesta quinta-feira (20) pelo delegado de Cosmópolis, Fernando Fincatti Periolo, que investiga o caso.

nnCassiano foi atropelado por um ônibus da Sancetur na última terça-feira (11), por volta das 20h, quando voltava do trabalho na Estrada Municipal Ivo Macris, que liga Paulínia a Americana, no trecho entre os pesqueiros Escama de Prata e do Marcão (leia mais aqui). Ele foi levado ao Hospital Municipal de Paulínia “Vereador Antonio Orlando Navarro” e operado, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na sexta passada (14).

nnApós a morte de Cassiano, familiares da vítima denunciaram que o ônibus da Sancetur estava com documentação irregular. “Realmente, o ônibus estava com o licenciamento vencido desde 2015”, disse o delegado de Cosmópolis, que investiga as causas do acidente que aconteceu em sua área de atuação. Periolo aguarda a chegada de laudos e pediu perícia nos freios do veículo. “Se já descuida do licenciamento, às vezes, descuida da manutenção”.

nnPeriolo informou que o motorista do ônibus prestará depoimento nesta quinta (20) na Delegacia de Cosmópolis. “Por telefone, ele alegou que desviou de um buraco, que estava escuro e não viu (o ciclista)”, falou o delegado. O prazo para conclusão do processo normalmente é de 30 dias, mas esse tempo pode se prolongar. Isso porque todos são de Paulínia e se alguém não concordar em depor em Cosmópolis será ouvido por carta precatória. “Aí você manda uma precatória para Paulínia e demora meses para voltar.”

Frota

nnA Secretaria Municipal de Transportes de Paulínia informou que “o veículo de placa KOA-4561, prefixo 11265, não integra a frota de 117 ônibus da Sancetur utilizados no transporte escolar da Prefeitura de Paulínia e ressalta ainda que o veículo não estava a serviço da municipalidade no momento do acidente.” Mas não esclareceu se antes do atropelamento de Cassiano ou em outros dias transportou alunos da rede municipal.

nnDe acordo com a Prefeitura de Paulínia, as apurações sobre o caso continuam e, “caso seja constatada qualquer tipo de irregularidade, a empresa (Sancetur) sofrerá as penalidades previstas no contrato, que variam de advertência e multa – de 0,1% a 30% do valor atualizado – até a suspensão dos serviços”.

nnConforme a Prefeitura, os 117 ônibus da Sancetur utilizados no transporte escolar de Paulínia possuem laudo técnico emitido pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-SP). “A última vistoria foi realizada nos meses de junho e julho e é válida pelo segundo semestre de 2018”, destacou. “Para garantir ainda mais segurança aos estudantes, os fiscais da Secretaria realizam diariamente o acompanhamento dos itinerários.”

Sindicato

nnO coordenador do Sindicato dos Transportes em Paulínia, Izael Soares de Almeida, afirmou que vem acompanhando o caso do acidente com o ônibus da Sancetur que matou Cassiano, no último dia 11. O sindicalista acredita que a Prefeitura de Paulínia precisa realizar “uma investigação profunda”.

nn“Os trabalhadores reclamam muito de falta de manutenção adequada nos veículos”, afirmou Izael Almeida. “Não podemos pré-julgar, mas, pela segurança das crianças, dos trabalhadores, pedestres e outros usuários, é preciso que seja feita uma fiscalização ostensiva em toda frota de ônibus em Paulínia.”

nnA empresa Sancetur foi procurada, mas não se manifestou sobre o acidente. Assim que ela se pronunciar a reportagem será atualizada.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.