Ir para conteúdo

‘Operação Bandeira Suja’ prende dono de empresa de Paulínia na Bahia

Ação do Ministério Público combate furto de combustível dos dutos da Petrobras na região

30 ago 2018 – 2018
Parte do material apreendido pelo Ministério Público (Foto: Ministério Público de Minas Gerais/Divulgação)

Uma operação comandada pelo Ministério Público de Minas Gerais contra o desvio de combustível dos dutos da Petrobras na região prendeu nesta quinta-feira (30) duas pessoas e cumpriu seis mandados de busca e apreensão em residências e empresas de Paulínia, Cosmópolis, Artur Nogueira e da região de Piracicaba. “A Operação Bandeira Suja” apreendeu R$ 200 mil em dinheiro e R$ 83 mil em cheques, seis veículos de luxo, caminhões, três armas e até uma aeronave, avaliada em R$ 1 milhão. Um dono de empresa em Paulínia acabou preso na Bahia.

nnAlém dos mandados na região, outros 14 mandados de busca e apreensão e oito de prisões foram cumpridos em Minas Gerais. Os nomes dos acusados e das empresas não foram revelados pelo Ministério Público. A investigação começou em março deste ano em Mário Campos (MG). Segundo os promotores, o combustível era furtado semanalmente dos dutos da Petrobras que cortam a região e depois vendido por uma rede de postos das cidades mineiras de São Lourenço, Pouso Alegre e Elói Mendes.

nnDurante a “Operação Bandeira Suja” desta quinta-feira, as equipes localizaram bomba de sucção e mangueira usada furtar combustível dos dutos da Petrobras. As duas prisões na região aconteceram em Cosmópolis. Dois moradores daquela cidade foram apresentados na Delegacia Policial. Eles são suspeitos de participar de furtos na região e em Minas Gerais. De acordo com a polícia, um deles já tinha passagem por porte de arma. O outro possuía uma empresa de manutenção de caminhões-tanque.

nnSegundo os promotores, um dos mandados de Minas Gerais foi cumprido na Bahia. O homem seria considerado chefe da quadrilha, tem empresa em Paulínia, possui passagem criminal e é pai de um dos presos em Cosmópolis, informou o Ministério Público. Os materiais apreendidos foram levados para o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público de Campinas, e, em seguida, deverão ser encaminhados para de Minas Gerais.

nnO Ministério Público de Minas informou que a operação é contra furto e venda de gasolina da Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim (MG), na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Mas a quadrilha tinha ramificação interestadual e também agia na região. O Gaeco calcula que 40 mil litros de gasolina sem mistura eram furtados semanalmente. O combustível era armazenado em caminhões-tanque e levado para Minas. O prejuízo da Petrobras é de cerca de R$ 3,5 milhões.

nnA “Operação Bandeira Suja” contou com o apoio do Gaeco, do Ministério Público de Campinas; policiais militares do Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (Baep), de Paulínia; e policiais da Força Tática de Americana.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.