Ir para conteúdo

População de Betel reclama de cheiro de enxofre

Cetesb inspeciona a Galvani Fertilizantes e constata o problema fora dos limites da empresa

25 ago  2018 – 15h43
Sede da Cetesb, na capital paulista; companhia avalia ações administrativas que tomará (Foto: Divulgação)

Moradores do bairro Betel, em Paulínia, sentiram forte cheiro de enxofre nesta semana, especialmente na sexta-feira (24). Eles acusam a Galvani Fertilizantes, que desde 2016 utiliza a marca Yara, de emitir poluentes e causar prejuízos à qualidade do ar.

nnA Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) informou que enviou técnicos na quinta-feira (23) para realizarem inspeções nas instalações da Galvani por causa das queixas da população de Betel relacionadas à percepção de odores na atmosfera.

nnEssa foi a segunda vistoria que a Cetesb realizou na empresa em menos de um mês em razão de reclamações de forte cheiro de enxofre. A primeira aconteceu no dia 8 de agosto passado, de acordo com informações da própria companhia do Estado.

nnNas duas inspeções, a Cetesb constatou “a presença de substâncias odoríferas na atmosfera, fora dos limites da propriedade da Galvani”. A companhia ainda avalia quais as ações administrativas que poderá tomar contra a empresa.

nnJá a Galvini esclareceu que o odor estava relacionado à rocha fosfática usada no processo produtivo. Ressaltou que a substância não contamina o ar nem causa mal à saúde humana e animal. Destacou que assim que foi identificado o problema passou a utilizar um insumo com menor concentração de sedimentos orgânicos.

nnA empresa de fertilizantes garantiu que respeita os parâmetros e as regulamentações exigidas pelos órgãos responsáveis. Também informou que deixa à disposição da população, 24 horas por dia, a linha de telefone 0800-7748677 para dúvidas, reclamações e sugestões. A ligação é gratuita.

nnA Galvani, desde os meados dos anos 80, mantém em Paulínia um dos maiores complexos industriais de produção de fertilizantes do Brasil, envolvendo a fabricação de ácido sulfúrico, superfosfatos, granulação, mistura e ensaque de fertilizantes.

nnA partir de dezembro de 2016, a Galvani adotou como identidade visual, a marca Yara, líder mundial de nutrição de plantas. A medida foi parte do processo de integração da empresa brasileira com a norueguesa, que adquiriu 60% de suas ações em 2014.

O que disse a empresa
  • Causas do cheiro de enxofre

“As substâncias odoríferas percebidas provavelmente foram relacionadas à rocha fosfática no processo produtivo. Agregado à situação térmica da região potencializando os efeitos. A Galvani possui quatro etapas de lavagem para eliminar qualquer vapor que chegue à chaminé com uma concentração de flúor em geral 10 vezes abaixo do permitido pelo órgão ambiental.”

  • Contaminação do ar e risco à saúde

“Não (é contaminante do ar), o odor sentido é relacionado a material orgânico e os sistemas e equipamentos de controle instalados na unidade garantem que as substâncias odoríferas emitidas não representam risco à saúde humana e animal. A empresa também mantém programas internos e externos de autofiscalização de presença de substâncias odoríferas na atmosfera, de forma a adotar medidas de controle imediatas caso os níveis dessas substâncias na atmosfera estejam próximos do limite permitido pelo órgão ambiental.”

  • Medidas tomadas

“Tão logo o desvio foi identificado, a empresa alterou a fonte de rocha fosfática, passando a utilizar um insumo com menor concentração de sedimentos orgânicos.”

  • O que fará para que o caso não se repita

“A empresa segue todos os parâmetros legais e as regulamentações exigidas pelos órgãos responsáveis. Além disso, tem pesquisado soluções pioneiras para reduzir o odor – embora este tipo de controle não tenha sido implementado em nenhuma empresa do ramo no Brasil –, e conta com a consultoria de empresas internacionais especialistas em monitoramento de odor para desenvolvimento de pesquisas para identificar novas soluções.”

  • Transparência

“Como parte de sua política de transparência, a Galvani disponibiliza para a comunidade vizinha às suas unidades o Linha Verde, um número telefônico que funciona 24 horas por dia para atender e encaminhar dúvidas, reclamações, sugestões e comentários a respeito das questões ambientais da empresa. O programa pode ser acessado de qualquer localidade por meio do telefone gratuito 0800-7748677.”

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.