Ir para conteúdo

Em onze meses

Dixon tem o sexto pedido de afastamento do cargo enviado à Câmara de Paulínia; agora é acusado de usar a máquina pública para se livrar de ações

 

20 nov 2016 – 17h

O sexto pedido de afastamento do prefeito de Paulínia, Dixon Carvalho (PP), em 11 meses de governo, deu entrada na Câmara de Vereadores, na manhã desta segunda-feira, dia 20. É assinado pelo estudante Jhonatan Willian Lozado de Oliveira, candidato derrotado a vereador pelo PRTB nas eleições municipais de 2016 na cidade.

nnJhonatan Lozado pede abertura de Comissão Processante (CP) e afastamento imediato do prefeito e seu vice, Sandro Caprino (PRB), porque, segundo ele, Dixon usa a máquina pública para se livrar de processos eleitorais de cassação de sua chapa desde sua eleição em 2016 até agora, e para direcionamento do contrato emergencial do lixo na cidade.

dixon
POLÍTICA | O prefeito de Paulínia, Dixon Carvalho (PP), durante discurso / Foto: Divulgação

nnO ex-candidato a vereador em Paulínia destaca ainda na representação de 56 páginas que na ação que investiga o financiamento da campanha da Coligação “Gente do Bem”, tanto Dixon como Caprino já foram cassados pela Justiça local e aguardam recurso no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (confira o documento completo de Jhonatan Lozado, inclusive, com a sentença de cassação da Chapa de Dixon que se refere aqui).

nnO documento deu entrada na Câmara às 8h53. Foi enviado à Procuradoria do Legislativo para análise jurídica. Até as 18h54, não estava decidido se irá ser apreciado na sessão desta terça-feira, dia 21. Se aprovado pelos vereadores, afasta imediatamente Dixon e Caprino e no final das investigações da CP, se forem comprovadas as denúncias, cassa o mandato dos dois.

Anúncio

nnJhonatan Lozado antecipa em sua representação contra Dixon e Caprino que “está providenciando sua desfiliação de qualquer agremiação partidária à qual possa eventualmente ainda estar filiado”. O PRTB tem um vereador com cadeira na Câmara de Paulínia: o advogado Fábio Valadão.

nnDixon já se livrou de cinco pedidos de cassação de seu mandado na Câmara de Vereadores: nos casos do contrato emergencial da merenda; lixo; que questionou a evolução de seu patrimônio pessoal; por crime de responsabilidade e quebra de decoro envolvendo ainda 13 dos 15 vereadores; e o da nomeação de servidor com diploma falso.

capa
POLÍTICA | Capa da representação contra o prefeito Dixon e o vice Caprino / Foto: Reprodução

nnCaprino já teve aprovada na Câmara de Vereadores a abertura de CP, que pode culminar com a cassação de seu mandato de vice-prefeito, na sessão do dia 29 de agosto – a mesma que livrou Dixon e 13 dos 15 vereadores de Comissão Processante (leia mais aqui). Prefeito e vice estão rompidos desde o dia 11 de maio (relembre aqui).

nnDixon informou, por meio de nota, que desde quando foi eleito vem sendo vítima de “ações orquestradas” para desestabilizar seu governo. O prefeito declarou que confia na “lisura dos atos do Legislativo”. Confira abaixo a nota na íntegra.

Nota de Dixon

Como vem ocorrendo sistematicamente desde que fui eleito democraticamente, em uma resposta incisiva da população de Paulínia aos desmandos e discutíveis administrações de meus antecessores, mais uma vez ações orquestradas tentam desestabilizar nosso governo. No entanto, confio na seriedade, responsabilidade e na lisura dos atos do Legislativo que, ao contrário do que muitos tentam plantar, fiscaliza atentamente todas as ações do nosso governo.nn

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Categorias

Política

Tags

Anúncios

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.

2 comentários em “Em onze meses Deixe um comentário

  1. Pingback: Mais um pra conta
  2. Pingback: Engavetados

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: