Ir para conteúdo

Proibidões

Procon divulga lista atualizada de sites que devem ser evitados na hora das compras pela internet, principalmente, na megaliquidação Black Friday

 

12 nov 2017 – 11h37

Produtos com descontos de até 80%. Essa foi a chamada que fez a megaliquidação Black Friday uma febre no comércio nacional desde 2010. A cópia da tradicional promoção americana está a 12 dias da próxima edição, que acontecerá à meia-noite do dia 24. Mas olho-vivo: existem muitas armadilhas preparadas na internet para tomar seu dinheiro conquistado com muito suor.

nnPara auxiliar os consumidores a não cair em nenhum golpe ao realizar as compras online, o Procon divulgou uma lista atualizada de sites que devem ser evitados (clique aqui). Parte deles já foi retirada do ar. Ainda assim, na hora de comprar pela internet, é fundamental checar informações sobre a loja, inclusive CNPJ, caso não seja uma página com referências, e canais de contato.

black
FINANÇAS | Consumidores devem ficar atentos para não serem enrolados / Foto: Divulgação

nnNa lista de sites proibidões do Procon estão empresas com irregularidades na prática do comércio eletrônico, principalmente por falta de entrega dos produtos. Elas não são localizados, nem através de rastreamento no banco de dados de órgãos como Junta Comercial, Receita Federal e Registro BR, responsável pelo registro de domínios no País, dificultando a solução da queixa do consumidor.

nnPara não virar mais uma vítima de sites maldosos nesta Black Friday, ou mesmo em qualquer outra época do ano, o Procon pede para o consumidor desconfiar de preços bem abaixo do mercado; evitar usar computadores públicos para compras pela internet; procurar escolher lojas recomendadas por amigos ou familiares; e checar se o site tem sistema de pagamento protegido.

nnEspecialistas também recomendam atenção redobrada para que realmente a oferta seja boa. Como é relâmpago e aparece com descontos tentadores, o consumidor tem de acompanhar o preço do produto que irá comprar desde já. A ideia é não pagar a “metade do dobro” e cair na “Black Fraude”. As principais decepções da Black Friday são ofertas falsas e maquiagem de preços.

nnPara escapar de arapucas, além de monitorar o preço, o consumidor deve procurar previamente informações sobre a mercadoria e planejar por meio de lista do produto a ser adquirido e a reflexão do limite de gasto para não estourar o orçamento. Compras de empresas internacionais estão sujeitas a outros custos nem sempre informados e a elas não se aplicam o Código do Consumidor.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.