Ir para conteúdo

Cerco a ladrões

Polícia paulista será treinada para identificar combustíveis que podem ser furtados de dutos da Petrobras e planejar ações para combater os crimes

 

13 out 2017 – 5h30

As secretarias de Segurança Pública e Energia e Mineração do Estado se uniram para fechar o cerco a ladrões de petróleo e derivados nos dutos da Petrobras. As duas pastas criaram grupo de trabalhado para estudar ações de prevenção e combate a este tipo de crime que também rola nos tubos da Replan, em Paulínia.

nnEntre as ações estão o treinamento, por parte da Petrobras, das polícias Civil e Militar do Estado e Rodoviária Federal para identificar a diferença entre o petróleo cru e o processado; bem como os caminhões adaptados com mangueiras especiais, que retiram combustível diretamente dos dutos das refirnarias.

duto1
POLÍCIA | Buraco achado em alojamento de trabalhadores desativado, em Artur Nogueira / Foto: Divulgação

nnA polícia paulista também receberá da Petrobras a base de dados dos dutos da empresa. “O cruzamento de informações é essencial para identificar os autores e combater esse tipo de crime”, falou o secretário-adjunto da Secretaria da Segurança Pública e coordenador do grupo de trabalho, Sérgio Turra Sobrane.

nnA Petrobras ainda fará um trabalho junto aos promotores de Justiça para informar os tipos de roubos praticados, que irá orientar as aberturas de inquéritos e investigações. Os furtos ocorrem principalmente nos dutos da Transpetro, subsidiária da Petrobras responsável pelo transporte de combustíveis.

duto2
POLÍCIA | Viatura policial na entrada de antigo alojamento em Artur Nogueira / Foto: Divulgação

nnNo Brasil, há 30 mil quilômetros de dutos (terrestres e submarinos). Cada um deles transporta cerca de 20 mil litros (de gasolina, nafta, querosene de aviação, óleo diesel etc) por minuto. Cerca de 70% dos oleodutos estão entre Rio de Janeiro e São Paulo.

nnSegundo o Senado, em 2016 rolaram 72 ocorrências, com desvios de cerca de 14 milhões de litros, equivalente a 350 caminhões tanque e prejuízo de R$ 33,5 milhões. De janeiro a maio de 2017, já foram 78 crimes deste tipo. O petróleo furtado é destinado a refinarias clandestinas. Na região, foram ao menos dois casos.

duto3
POLÍCIA | PM observa buraco para furto de óleo em Engenheiro Coelho / Foto: Divulgação

nnA Polícia Civil de Artur Nogueira e Cosmópolis descobriu na noite do dia 22 de maio, um túnel usado para desviar combustível da Replan. O buraco de quatro metros de profundidade foi aberto em um antigo alojamento de trabalhadores da construção civil, em Artur Nogueira. Ninguém foi preso (leia mais aqui).

nnNo dia 2 de julho, uma ligação clandestina no duto da Petrobras que desviava óleo diesel da refinaria Replan, em Paulínia, foi descoberta pela Polícia Militar, por volta das 8h, em Engenheiro Coelho. Ninguém foi preso. Foram recuperados 45 mil litros do combustível e apreendida uma carreta-tangue (leia mais aqui).

duto4
POLÍCIA | Carreta abandonada por bandidos no caso de Engenheiro Coelho / Foto: Divlgação

nn“A parceria será direcionada a combater o crime e a prevenção de desastres ambientais que a extração ilegal de petróleo, gás e derivados pode causar, com a ajuda de investigação e inteligência policial e dos órgãos colaboradores”, disse o subsecretário de Petróleo e Gás da Secretaria Estadual de Energia e Mineração, Dirceu Abrahão.

nnO grupo de trabalho do governo do Estado de São Paulo é integrado por representantes do Ministério Público, Polícia Civil, Polícia Militar, Petrobras e das Secretarias da Segurança Pública e de Energia e Mineração.

replan
PRODUÇÃO | Visão aérea da Replan, refinaria da Petrobras, em Paulínia / Foto: Divulgação

nnAs medidas do governo paulista estão alinhadas com o que ocorre no Congresso Nacional, onde o Senado já aprovou, e está em votação na Câmara Federal, um projeto de lei que tipifica os crimes de subtração e receptação de derivados de petróleo em dutos de movimentação de combustíveis.

nnSão Paulo é o segundo maior produtor de petróleo do Brasil, com produção média de 455 mil barris de óleo por dia, e o maior consumidor do País. As quatro refinarias no Estado juntas, o que inclui a Replan, em Paulínia, processam cerca 918 mil barris de petróleo por dia – 38% da capacidade de refino nacional.

nnO estado paulista responde pela maior parte da carga processada do País e pela produção dos principais derivados de petróleo, como gasolina, diesel, óleo combustível, gás liquefeito de petróleo (GLP), querosene de aviação, coque e nafta, que abastecem o mercado nacional e regional.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.