Ir para conteúdo

Passeio animal

Detran e Fundação Procon ensinam o que fazer para passear com animais de estimação em segurança e também dentro da lei em carro, ônibus e avião

 

12 out 2017 – 17h30

Os animais de estimação costumam acompanhar seus donos em todos os momentos. E não poderia ser diferente durante viagem ou demais deslocamento em carros, ônibus e aviões.

nnPor isso, é importante saber quais cuidados devem ser tomados para levar os bichinhos aos passeios, seja de carro pela cidade e, especialmente, em viagens mais longas.

cao
JEITO CERTO | Animal acomodado em cadeirinha especial dentro de carro / Foto: Divulgação

nnO Detran indica que nos carros de passeio a legislação impede o transporte no colo dentro do carro, no colo ou à esquerda do motorista e também na parte externa do veículo.

nnA recomendação é que os pets sejam sempre transportados no banco de trás, com cadeirinha específica, para os pequenos, e cinto, para os grandes. Esses acessórios são encontrados em lojas para pets em geral.

cinto
JEITO CERTO | Cinto de segurança apropriado para levar animal em veículo / Foto: Divulgação

nnTambém é indicado que não se deixe o animal com a cabeça para fora do veículo, pois algum veículo pode passar e machucá-lo, na mesma linha da ideia da proibição de pessoas colocarem o braço para fora do carro.

nnAlém da legislação e das recomendações do Detran já citadas, a Fundação Procon, órgão ligado à Secretaria de Estado da Justiça e Defesa da Cidadania, oferece um guia completo com mais dicas para o transporte de animais (clique aqui ).

Veja abaixo as recomendações para transportar pets em carro, ônibus e avião.

O que pode

==> No carro

  • Como o animal não pode ser transportado no colo dentro do carro, no colo ou à esquerda do motorista, Detran e Procon também indicam que ele seja conduzido em caixa, cadeirinha ou cinto de segurança apropriado. Vale também a regra para que ele não viaje com a cabeça fora da janela, o que pode trazer riscos à segurança dos ocupantes do veículo e multa ao motorista.

==> No ônibus

  • Para viajar de ônibus, é necessário apresentar atestado que comprove as boas condições de saúde do bichinho. O animal não pode ficar solto a bordo do ônibus e deverá estar guardado em um dispositivo apropriado (gaiola ou caixa).
  • O dono deverá pagar uma passagem extra para acomodá-lo ao seu lado. Vale ressaltar que para usuários de cão-guia não é necessário pagar pelo transporte. Também é importante consultar a empresa de ônibus para saber quais as regras para o transporte de animais.

==> No avião

  • Para viagens aéreas, o transporte de animais é cobrado à parte e o dono precisa reservar a passagem com antecedência, pois muitos voos limitam o número de animais a serem transportados.
  • Além disso, é obrigatória a apresentação do atestado de saúde e comprovante de vacinação do animal. Ele deve ser transportado em compartimento fechado e revestido com material que contenha e absorva urina e fezes, evitando vazamento durante o transporte.
  • As companhias aéreas também possuem regulamento próprio para o transporte, sendo preciso consultá-los antes de comprar as passagens. E há ainda uma cartilha de bagagem da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), onde há orientação para o transporte de animais (clique aqui).
  • Em viagens internacionais, o bichinho deve passar por uma consulta com um veterinário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O dono também precisa obter informações sobre as regras federais do país de destino para evitar qualquer problema na hora do desembarque. Por exemplo, veja aqui as regras para entrada e saída de animais do Brasil.

Categorias

Cidades

Tags

,

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.