Ir para conteúdo

Prejus milionários

Relatórios das CEIs que investigaram investimentos no Pauliprev e desapropriações e doações de áreas em Paulínia apontam rombos de R$ 760 milhões

 

11 out 2017 – 13h

Os relatórios finais das duas Comissões Especiais de Inquéritos (CEIs), que investigaram eventuais irregularidades em investimentos do Instituto de Previdência dos Funcionários Públicos de Paulínia (Pauliprev) e em desapropriações de áreas particulares e doações feitas pela Prefeitura de Paulínia, foram apresentados na sessão da noite desta terça-feira, dia 10, na Câmara Municipal. Os dois documentos juntos apontam prejuízos de cerca de R$ 760 milhões aos cofres públicos do Pauliprev e do Município e serão, agora, remetidos ao Ministério Público.

nnA CEI do Pauliprev, presidida pelo vereador Tiguila Paes (PPS), “estima um prejuízo global de mais de R$ 260 milhões ao patrimônio financeiro do Pauliprev, resultantes de gestões temerárias, investimentos em fundos vulgarmente chamados no mercado de ‘podres’, fundos de baixa rentabilidade, aplicações com prazos de resgate de quatro até 10 anos, em outros que não podem ser resgatados, mas apenas negociados na Bovespa, entre outros”, segundo o relatório final da comissão.

sessao
POLÍTICA | Vereadores de Paulínia durante sessão da Câmara Municipal / Foto: Divulgação

nnA conclusão da CEI do Pauliprev requer à Prefeitura de Paulínia que “providencie as medidas judiciais cabíveis para ressarcir o Instituto Pauliprev dos eventuais prejuízos apontados”; que os gestores e corresponsáveis sejam acionados judicialmente e tenham bens bloqueados até o encerramento das futuras ações; dentre outras medidas. Também comunica que acionará todos os órgãos competentes das esferas estadual e federal para investigação e responsabilização de todos os envolvidos em crimes contra o Pauliprev. Clique aqui para conferir o relatório final das investigações.

nnJá a CEI das desapropriações de áreas particulares e doações da Prefeitura de Paulínia nos últimos 20 anos conclui que ex-prefeitos causaram prejuízos de R$ 500 milhões ao Município. A comissão foi presidida pelo vereador Kiko Meschiatti (PRB). O relatório dá destaque a eventuais irregularidades nas desapropriações da mata ao lado do Theatro Municipal e da antiga Fazenda Paraíso; classifica de “fracasso total” as doações em favor de empresas porque, “praticamente, não foram gerados” qualquer emprego em favor dos paulinenses nem aumentaram o “recolhimento de impostos”.

nnKiko Meschiatti pede no relatório final que a Prefeitura tome as medidas cabíveis e legais para a responsabilização “pessoal” de Edson Moura, Edson Moura Junior, ambos do PMDB, e José Pavan Junior (PSDB); de empresas e empresários que agiram de forma ilegal na cidade; bem como a devolução de dinheiro e de áreas ao Município em um prazo de 120 dias. Também comunica o envio do documento ao Ministério Público e demais órgãos federais e estaduais para a investigação e responsabilização dos acusados de crimes pela CEI. Clique aqui para conferir o relatório final.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Paulínia 24 Horas Notícia Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.