Ir para conteúdo

No xadrez

Acusados de atacar a 3ª Companhia da Polícia Militar, em Cosmópolis, são presos; eles fizeram mãe e criança de 7 anos de escudos em tentativa de fuga

 

13 set 2017 – 14h13

Os dois acusados de atirar na sede da 3ª Companhia da Polícia Militar, em Cosmópolis, foram presos no final da noite desta terça-feira, dia 12, quando se preparavam para fugir da cidade. Antes de se entregarem, porém, fizeram uma mulher e a filha dela de 7 anos reféns. A negociação durou uma hora e ninguém se feriu.

nnO ataque a tiros foi às 10h30 desta terça (12), na região central de Cosmópolis (leia mais aqui). Segundo a polícia, Matheus Lucas de Souza Coelho, 20 anos, fez quatro disparos no portão da PM. Já Cleberton Freitas Paraguaçu, 22 anos, dirigia o Prisma marrom, roubado em Paulínia (leia mais aqui) e utilizado no atentado.

 

nnHoras após o ataque, a polícia já havia localizado o Prisma, um Sandero roubado, uma arma, não utilizada no crime, e uma pessoa do convívio dos suspeitos. Por volta das 22h, chegou denúncia de que Matheus e Cleberton, moradores de Cosmópolis, estavam em uma casa no bairro Cidade Alta se preparando para fugir da cidade.

nnA polícia fez um cerco no local, os dois suspeitos perceberam e tentaram escapar pelos fundos, escalando muros e telhados. Na Rua Paulo Roberto Borelli, invadiram uma casa onde estavam quatro adultos e uma criança de 7 anos. A mãe e a menina foram feitas reféns pelos criminosos no quarto da casa.

matheus
POLÍCIA | Momento em que o capitão Hoio imobilizava Matheus / Imagem: Fegadoli Jr.

nnO comandante da 3ª Companhia em Cosmópolis, o capitão Alexandre Hoio de Souza, iniciou as negociações para a liberação dos reféns e a rendição dos acusados. Após meia hora, com a presença da mãe, Cleberton se entregou. Matheus continuou usando as vítimas como escudos por mais meia hora.

nnO autor dos disparos somente aceitou liberar os reféns e se entregar com a presença da mãe e da imprensa. Confira acima o vídeo feito pelo repórter Fegadoli Jr. Segundo o comandante, ele confessou o ataque à sede da PM, os roubos do Prisma, em Paulínia, de do Sandero, e a um restaurante, onde conseguiu a arma apreendida pela polícia durante a tarde.

matheus1
POLÍCIA | Toucas, arma e celular usados no atentado à sede da PM  / Imagem: Fegadoli Jr.

nnMhateus e Cleberton foram apresentados na Delegacia de Polícia de Cosmópolis e ficaram presos por sequestro e cárcere privado, disparos de arma de fogo contra a Polícia Militar e porte ilegal de armas. Segundo Hoio, os dois atacaram à 3ª Companhia “em um momento de loucura” e a ação não foi orquestrada nem tem relação com organização criminosa.

Clique aqui para ver mais notícias de Paulínia

Ver tudo

Site de notícias criado para divulgar fatos jornalísticos da cidade de Paulínia.